10 expressões divertidas usadas pelos portugueses

42

Se tem algo que eu adoro é descobrir expressões usadas pelos portugueses. Passei a prestar mais atenção nisso depois de ver o quanto os meus amigos portugueses se divertiam quando eu dizia algo como “vou chutar o balde” ou “oi?” (quando não entedia algo que eles diziam, por exemplo).

Nos últimos dias, deixei o caderninho aberto na mesa do escritório e comecei a anotar todas aquelas frases ou expressões que ouvia na TV ou na rua. Acompanhe a lista com as minhas favoritas!

Apaixone-se por Portugal com a nossa consultoria de viagem

1. “Estou feito ao bife”

A primeira vez que ouvi essa frase foi em um comercial de supermercado. Eles criaram uma coleção de pelúcias com o formato de frutas, legumes e temperos e, na publicidade, o pobre alho dizia: “Estou feito ao biiiiiife”. Nessa semana, ouvi novamente uma moça ao telefone no metrô dizendo o mesmo. E, definitivamente, essa é minha expressão portuguesa favorita! Como você deve imaginar, o significado é o mesmo de “estou frito!”, ou seja, em apuros.

2. Algo “está ao rubro”

Assistindo a transmissão do festival português de verão MEO Sudoeste, ouvi muitas e muitas vezes os apresentadores dizendo que o local estava “ao rubro”. Isso quer dizer que estava no limite, em seu ponto mais alto. Seria o auge do festival.

3. “Chorar por mais”

Essa veio da fofa e querida chef portuguesa Filipa Gomes. Ela tem um programa no canal a cabo 24Kitchen. Dá para imaginar em quais momentos ela diz que tal prato é para “chorar por mais”, né? Significa, claro, que é delicioso – o tal “comer de joelhos”!

4. “Encher chouriços”

No Brasil, a gente diz “encher linguiça”. Em Portugal, claro, só poderia ser chouriços!

5. “Partiu a loiça toda”

Essa também veio da TV e de um sujeito que eu a-do-ro: Vasco Palmeirim. Ele é apresentador de TV e locutor de rádio. Até o último domingo, o Vasco apresentava o The Voice Portugal (o programa acabou). Depois de um participante ter surpreendido a todos (no bom sentido), ele disse que o fulano “partiu a loiça toda”. Corri para o meu caderno e anotei. Achei engraçadíssimo. É como “quebrar tudo”. Ah, e é bem comum os portugueses chamarem a “louça” de “loiça” mesmo.

6. “Força!”

Agora seguimos para uma loja de roupas. Entre as araras, escolhi uma peça aqui, outra acolá, chamei o vendedor e disse: “posso provar?”. Ele apontou para o provador e disse: “Força!”.

7. “Não estava a espera”

Nesse caso, não há muito para explicar. Mas resolvi colocar aqui na lista porque os portugueses surpreendidos por algo SEMPRE dizem: “Eu – realmente – não estava a espera”.

8. “Tás a ver?”

“Tás a ver?” é um daqueles vícios, principalmente dos mais jovens. Ao término de qualquer frase, vem um “tás a ver?” ou “tás a perceber”? Essa expressão também chamou a atenção de Gabriel o Pensador, que faz um enorme sucesso em Portugal e acabou por gravar até uma canção com esse título.

9. “Peço desculpas”

Um dos significados é, obviamente, aquilo que você está imaginando. Quando alguém comete um erro, claramente, diz: “peço desculpas”. Mas essa expressão também é dita muitas vezes no lugar de “com licença”.

10. “Muita bom!”

Você não leu errado… É com “a” mesmo. Quando algo é absolutamente bom, os portugueses enchem a boca e dizem: “É muuuuita bom!”

E você, conhece mais expressões bacanas para colocar nessa lista?

Organize aqui a sua viagem para Portugal

icon-saude

Faça o Seguro Viagem com a Real Seguro Viagem em 6x sem juros

icon-carroVeja os melhores preços para alugar um carro na Rental Cars

icon-hotel

Reserve o seu hotel pelo Booking, com opção de cancelamento gratuito

Serviços do Cultuga

icon-tour

Deseja ter a nossa companhia durante a sua visita a Lisboa? Faça um tour conosco

icon-consultoria

Apaixone-se por Portugal com a nossa consultoria de viagem

icon-foto

Leve um suvenir diferente da sua viagem: faça um ensaio fotográfico

Veja também o índice de artigos do Cultuga para ajudar no planejamento do seu roteiro com muitas dicas, sugestões de rota e outras informações sobre Portugal 🙂

Compartilhe.

Sobre o autor

Priscila Roque

Sou jornalista especializada em cultura e fotógrafa. Foi preciso passar dos 30 anos para assumir que Lisboa é, realmente, o meu lugar no mundo. Mas a paixão por Portugal começou bem mais cedo, ainda na adolescência, quando descobri alguns músicos locais. Os meus pais são portugueses imigrados no Brasil. Depois de fazer o caminho inverso deles, trocando São Paulo por Lisboa, quero agora, com o Cultuga, diminuir a distância que separa o Brasil de Portugal.

42 comentários

  1. Deborah Calazans em

    Priscila,
    Um dos meus divertimentos favoritos é prestar atenção às expressões lusitanas e procurar as equivalências “tupinicas”.
    Ora bem, como dizem aí: (ora bem, me parece algo como o nosso “vamulá”!)
    Passou-se da cabeça = pirou, enlouqueceu.
    Está de rastos = está destroçado emocionalmente, tá na pior!
    Entretanto = enquanto isso.
    Faz-me confusão = incomoda-me.
    Perceber = entender.
    Aperceber-se = perceber (percebeu a diferença?).
    Recebi um recado uma vez que foi um verdadeiro orgasmo linguístico!
    “Houve uma fuga na sanita. Eu chamei o picheleiro, ele verificou o autoclismo, e fez o reparo.”
    Nenhum brasileiro entendeu o que se passou!
    Beijo,
    Deborah

    • Priscila Roque
      Priscila Roque em

      Olá, Deborah!
      Nós também fazemos uma listinha de tudo o que ouvimos, sabia? A-do-rei os seus apontamentos.
      O “entretanto” acho bem engraçado. Para brasileiros, parece totalmente fora de propósito, né?
      O “perceber” eu já adotei. Gosto também do “Esse doce SABE a morango” (tem o sabor de). Já ouviu essa?
      Agora, o “passou-se da cabeça” e o “está de rastos” ainda não ouvi. Vou ficar mais atenta!
      E a frase é fantástica. É preciso, realmente, um pouquinho de vivência em Portugal para entender 🙂
      Seja sempre bem-vinda! Um grande beijo

      • Deborah Calazans em

        Olá Priscila.
        Obrigada pela resposta!
        Eu estou sempre com os ouvidos atentos às diferenças entre português tupinica e lusitano!
        Adoro o sotaque lusitano e, sempre que posso, tento imitar! É claro que fica muito estranho, algo como Amália Rodrigues a cantar pagode!!!
        A expressão “isso me sabe a morango” era muito usada pelas pessoas mais cultas no início do século XX. Saber e sabor confundiam-se ao longo da História da Língua Portuguesa. Meu avô usava muito falar assim.
        Estou chegando a Lisboa terça feira 22 de abril (percurso inverso ao de Pedro Álvares Cabral) para passar uma semana. Você quer alguma coisa daqui? Sempre tem um lugarzinho na mala!!!
        Avisa a tempo de comprar, sff (acho este “si faz favoire” um charme!). Já me pediram pequi em conserva e já está na mala! Vivi muitos anos fora do Brasil e sei que de vez em quando bate uma saudade forte de alguma besteira!
        Beijo grande (ou um grande beijinho como dizem aí)
        Deborah

        • Priscila Roque
          Priscila Roque em

          Olá, Deborah!
          Adorei saber 🙂 Obrigada por dividir as suas descobertas por aqui!
          Agradeço tamanho carinho e disposição em nos trazer algo, mas não se preocupe! Até que conseguimos controlar bem as saudades dos sabores, sabe? O que falta mesmo é açaí, acredita? Mas a gente supera aos pouquinhos!
          Faça uma linda viagem e aproveite bastante. Conte conosco para o que o for preciso.
          Um grande beijo!

          • Fernando Martins em

            Olá Priscila !!!

            Quando estiver de passeio pelo Porto, passa em uma casa de brasileiros que fica bem no Edifício Transparente em Matosinhos (de frente para o mar ao lado do Castelo do Queijo – Praia Internacional). Lá tem Açaí o ano inteiro com direito à granola, banana e leite condensado !!! Abraços aqui de Sampa, Brasil !!!

          • Não sei se chego a tempo, mas no Pingo Doce tem açaí e já vi nas ljas brasileiras em Lisboa tem também.! Eu tenho saudades é da batata baroa, como eu gosto! qdo chego ao Brasil é a primeira coisa que como rsss.

          • Priscila Roque
            Priscila Roque em

            Para açaí é sempre tempo, Adriana rs. 😀 Obrigada pela mensagem!
            Já provei esse que vende no Pingo, sim! Ele é gostoso, mas sinto falta daquele batido com morango, na tigela, sabe? Huummmmm!
            Um grande beijo

  2. Bom dia!
    Excelente publicação.
    10 é pouco, né Priscila?!…
    Criado por pais e avós portugueses, jamais esqueço uma das muitas expressões da minha avó:
    “Miúdos! Não chapinem a alcatifa!!!”
    Nada mais do que “Crianças, não sujem o tapete!!!”
    Bjs!!!

    • Priscila Roque
      Priscila Roque em

      Olá, Alê!
      Obrigada 🙂
      Ah, sim! Há muitas outras mesmo rs. Sempre tomo nota em um caderninho!
      Que fofa a sua avó! “Chapinar” é novo para mim! Ainda não tinha escutado 🙂
      Um grande beijo

  3. A gente ainda usa aqui no Brasil… e não é preciso dar tratos à bola para entender o significado; certamente sabemos qual a origem, mas os portugueses atuais podem ter esquecido… “tratos à bola”!

    • Priscila Roque
      Priscila Roque em

      Olá, Ari!
      Há muitas expressões usadas no Brasil que têm origem em Portugal. Saiu um livro bem interessante nesse mês sobre o assunto aqui em Portugal. Chama-se “Puxar a Brasa à Nossa Sardinha”, da jornalista Andreia Vale.
      Obrigada pelo comentário 🙂

  4. Acho que essa é mais comum entre os jovens… quando querem dizer que uma pessoa é uma “figura”, dizem “ganda maluco”! Assim mesmo, o “grande” sem o “r”. Acho muita “piada” essa expressão, haha.

    • Priscila Roque
      Priscila Roque em

      Oi, Vivi! Tudo bem?
      Nossa, eu também acho bem engraçado quando ouço “ganda” maluco… Assim como o “muuuuitA bom” 😀

  5. Olá Priscila,

    Parabéns pelo site, morei no Porto por 5 anos, hoje moro na Holanda há 3, mas continuo sentindo o Porto como a minha casa na Europa. 🙂 Também adoro essas expressões tugas, meu marido é português e a gente se diverte com as expressões brasucas e tugas que rolam nos papos aqui em casa. Dentre as várias expressões de Portugal já citadas no seu artigo e nos comentários, tem uma que é das minhas favoritas porque acho fofíssima: “Continuação!” Você já deve ter ouvido por aí ao se despedir de alguém ou ao sair do caixa após pagar uma compra, e significa que a pessoa que se despede de você deseja que você continue tendo um bom dia, ou seja, o seu dia já vinha sendo bom antes desse encontro.
    Beijinhos e continuação! 😉

    • Priscila Roque
      Priscila Roque em

      Olá, Larissa
      Obrigada pelo carinho 🙂
      É verdade rs. Mas costumo ouvir a frase completa por aqui, principalmente ao me despedir no telefone: “Continuação de um bom dia. Com licença”, por exemplo 🙂 Ainda não ouvi somente a “continuação”. Adorei saber!
      Um grande beijo

  6. Olá!
    Me desculpe, mas eu não entendi o ”força!”. O que exatamente significa essa expressão…?
    Cortesmente, C.A.

      • Carlos Amaral em

        Adorando essas comparações!!
        amando o blog que recém descobri!
        Acho que o força deles aí é algo como aqui se diria, vai fundo!!

        Tem outra expressão tb que eles usam muito, parecido com o andar de rastos que é estar em baixa que seria o mesmo que estar deprimido. Fulano está mesmo em baixa!
        Ah eles tb adoram enfatizar algo usando o mesmo. Fulano está MESMO em baixa = Fulano está muito triste, deprimido!!

        • Priscila Roque
          Priscila Roque em

          Olá, Carlos
          Agradeço a sua mensagem e carinho 🙂
          Boa a sua definição de “força!”. É bem por aí rs.!
          Obrigada também pela inclusão do “em baixa”!
          Um forte abraço e um excelente ano. Seja sempre bem-vindo!

          • Carlos Amaral em

            Eu que agradeço Priscila!!

            Fiquei encantando com a sua história de exemplo e de coragem, por ter realizado o sonho de ir de vez e tb pelo seu blog que achei genial.
            Quero ser que nem você quando crescer!
            A minha história é mais ou menos parecida com a diferença de que sou mais velho, mais difícil pra tomar decisões como essa; Tb sou luso descendente como vc, tenho dupla nacionalidade, sou carioca, morei aí dos 11 aos 15 e depois voltei a morar na cidade maravilha purgatório da beleza e do caos onde vivo até hoje!!

            E bota caos nisso!!

            Todos os anos, quando volto das férias que sempre tem Lisboa como porta de entrada ou de saída da Europa, volto pra casa muito triste!

            Parece que depois de tantas idas e vindas meu sentimento de pertencimento ficou extremamente comprometido e abalado não sei mais a que lugar pertenço e o coração, ah esse sempre partido ao meio!

            Sei que a vida aí tb está longe da perfeição mas acredito que com todas as dificuldades, se colocarmos na balança, ainda ganha daqui em qualidade de vida e de paz!

            Viver no Rio anda muito chato, SABES, perigoso, caro, inseguro, trânsito caótico, vive-se MESMO mal, rs!

            Vou continuar por aqui acompanhando suas histórias, namorando a terrinha pelas suas fotos e quem sabe não tomo coragem de um dia fazer o mesmo?

            Boa sorte pra vcs, Feliz Ano Novo e que em 2016 tudo CORRA bem na nova vida aí na terrinha.

            Carlos Amaral -Rio

          • Priscila Roque
            Priscila Roque em

            Obrigada, mesmo, por tanto carinho, Carlos 🙂
            Depois que nos tornamos imigrantes, é realmente difícil entender ou perceber a que lugar pertencemos. É como se tivéssemos que fazer uma escolha, mas tudo o que acumulamos com essas vivências – curtas ou longas – nos transforma em uma outra pessoa e no tal “cidadão do mundo”. Algo que já não se volta mais atrás.
            A parte boa é que a Internet nos leva para muitos lugares e dá ainda mais força aos nossos sonhos. Por que não arriscar, se a vida é mesmo única?
            Um novo ano de muita paz e realizações para você!
            (sou suspeita para falar do Rio de Janeiro, pois era o meu principal destino de férias quando estava no Brasil. Tenho amigos muito queridos por aí!)

  7. Ola, achei muito legal esse site…Meu marido também é portuga e com quase 10 anos de convivência ainda rimos de algumas coisas… Tem uma expressão que acho muito legal : “Isso é que era bom, era o que faltava”! Nós dizemos “Era só o que faltava”!! Outra: “Fogo”! no lugar de “é Fogo” como dizemos… Tem tantas que é difícil… “Tas boa como o milho”… “Vai lá vai”….(como quem diz, olha ela toda, toda”… Tás boa tas… “To cheia de fome” …. Tá frio que tá danado”… Acho uma graça eles dizerem: “Magoastes”? que significa que machucar… Já não me vem à cabeça mas são muitas… Eles despedem-se : *Um grande beijinho para si”…

  8. Cristiane Paiva em

    Olá! Seu site é maravilhoso, e com certeza de muita ajuda. Também tenho dupla cidadania, por parte de mãe. E gostaria muito de viver em Portugal. Com certeza está nos meus planos. Mas uma vez em viagem à Lisboa, o taxistafalou um expressão que eu e meu marido adoramos: vou fazer uma marosca. Pelo que entendemos, é que ele ia fazer uma bandalha, ou seja, uma manobra ilegal no trânsito. Nunca mais esquecemos e ede vez em quando brincamos com essa expressão. Parabéns e obrigada!!!

    • Priscila Roque
      Priscila Roque em

      Olá, Cristiane
      Como vai?
      Agradeço o seu carinho 🙂
      Aauaauahauhhauhauah adorei conhecer essa do “Vou fazer uma marosca”. Eu não conhecia!
      Seja sempre bem-vinda! Um forte abraço e uma ótima semana!

  9. Pingback: 10 espressioni tipiche portoghesi - i Viaggi di Clach

  10. Adorei!! Muitaaaaa bom este post e o blog em si!
    Tenho a minha familia no Brasil e realmente a gente ri muito com todas estas diferenças de vocabulário.
    Um abraço de uma portuga por terras africanas! 🙂

  11. Olá Priscila, ouvi uma num ônibus que foi muito engraçada. A situação era um carro de polícia com a sirene a milhão, o trânsito uma confusão, a viatura cruzou o ônibus, estava fazendo uma curva e.. bateu num outro carro. O portuga muito espontaneamente falou : acabaram – se as pressas!!!! Hilário!

  12. Elydio Fernandes dos Santos em

    Gostaria de saber o que significa a expressão usada em Portugal (Povoa de Varzim) “andar de loiça em cabaça”

    Grato por sua atenção

    Elydio F. dos Santos

    • Rafael Boro

      Olá, Elydio
      Como vai?
      Infelizmente, não conheço essa expressão. 🙁 Quem sabe algum leitor já tenha ouvido e deixe uma mensagem aqui.
      Um abraço!

    • Elydio, esse expressão deve ser muito antiga ou um regionalismo muito específico. Eu enquanto portuguesa nunca ouvi essa expressão.

  13. Muito bom esse site está me ajudando muito pois sou brasileira e namoro um portuga lindo mais nem sempre entendemos a linguagem rimos muito com isso, Obrigada beijinhos

  14. Pricila bom dia
    eu acabara de usar essa expressao de ” bom dia ” e a pessoa com quem eu venho alguns dias tentado abri um dialogo achou uma abrrraço eu usar essa expressao de bom dia
    como eu nao tenho a menor ideia o pq da reaçao dela quero entender melhor o que essa palavra significa para os portugueses
    muito obrigado
    tenha um bom dia
    Gabriel
    Simoes Filho Bahia, Brasil

    • Priscila Roque
      Priscila Roque em

      Olá, Wesley
      Tudo bem?
      Eu não me recordo dessa expressão com algum significado diferente. Em que contexto você a escutou?
      Um grande abraço

Deixe um comentário