15 doces portugueses que você PRECISA experimentar

49

Confesso: eu não daria conta de fazer uma lista com os melhores doces portugueses. Isso porque, a cada esquina desse pequeno grande país há padarias, pastelarias, doçarias e confeitarias com uma imensa (e maravilhosa) variedade deles.

Desde que cheguei a Portugal, perdi as contas de quantos doces tradicionais e outros mais contemporâneos já provei. Mas, para o meu paladar, tive experiências inesquecíveis. Aqueles que usam a gema do ovo com açúcar como base então… Huuuuum!


Ah, ok, ok… A doçaria portuguesa não vive só de ovos, mesmo. Amêndoas, chocolate e nozes também têm espaço. Frutos e frutas que nascem em abundância em cada região também podem ser protagonistas das sobremesas. Mas, por onde começar?

Veja também quais são os doces portugueses típicos do Natal

Pensando nisso, reuni aqui os meus doces portugueses favoritos e que são ótimos anfitriões. Tome nota daqueles que você mais se interessou para não deixar de experimentar na sua próxima viagem a Portugal:

 1. Pastel de nata e Pastel de Belém

doces_portugueses_pasteldebelem_cultuga

O pastel de nata é o doce português típico mais conhecido no Brasil e um dos mais consumidos pelos portugueses, sobretudo os lisboetas. Você pode encontrá-lo em, praticamente, todas as pastelarias, doçarias, confeitarias e padarias do país. Seu acompanhamento perfeito é, sem dúvidas, o cafezinho.

Muitos brasileiros costumam chamar essa pérola conventual de Pastel de Belém. Tal confusão acontece por conta da famosa receita produzida pela Pastelaria de Belém, a partir da criação original de um pasteleiro do Mosteiro dos Jerónimos. É somente aqui, na antiga confeitaria de Belém, fundada em 1837, que ele pode levar esse nome. Nos outros locais, são mesmo os pastéis de nata.

As duas experiências valem a pena, tome nota. É tão bom, tão bom, que nunca consigo comer um só – principalmente quando vou a Belém.

Onde comer bons pastéis de nata em Lisboa: Manteigaria, Fábrica da NataNata
Onde comer o famoso Pastel de Belém: Pastéis de Belém

2. Bola de Berlim

doces_portugueses_boladeberlim_cultuga

Inspirada na famosa Berliner – um doce típico alemão -, a Bola de Berlim chegou a Portugal pelas mãos das famílias judaicas que fugiram da Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial.

O que a difere da receita original é seu recheio: no lugar das frutas vermelhas, usa-se creme a base de ovos, o famoso creme de pasteleiro português.

Outra curiosidade engraçada é que a Bola de Berlim é super popular no verão português. Pelas praias, espalham-se vendedores com caixas vendendo o doce pelas areias e gritando: “Olha a boliiiiinha de Berliiiim“.

Mas, você deve estar pensando: “Ei, isso aí chama Sonho“. É isso mesmo. No Brasil, a Bola de Berlim ganhou o nome de Sonho e também outros recheios.

Onde comer a Bola de Berlim mais famosa de Viana do Castelo: Pastelaria do Manuel Natário (a favorita de Jorge Amado. O amigo Natário foi tão importante em suas 11 passagens por Viana, que ele resolveu eternizá-lo em seu romance “Tocaia Grande”)
Onde comer boas Bolas de Berlim em Lisboa: Pastelaria Versailles e Tartine

Quer que a gente te leve para experimentar doces portugueses em sua passagem por Lisboa?

3. Ovos Moles de Aveiro

ovos-moles-de-aveiro-cultuga

Esse doce típico, tradicional de Aveiro (cerca de 75km do Porto), nada mais é do que uma simples massa composta por gema de ovo, açúcar e água, envolvida por uma película que se assemelha a hóstia. Seu formato é inspirado, geralmente, em temas marinhos, como animais e conchas.

O mais interessante dos Ovos Moles de Aveiro é que eles só podem ser produzidos lá (e tem até uma legislação própria). Tudo isso para evitar que a receita original seja perdida ao longo da história (veja mais algumas curiosidades sobre os Ovos Moles).

Quer um conselho? Compre uma, duas, três caixas para comer durante a sua viagem a Portugal. Eles podem durar até 15 dias sem precisar de refrigeração.

Onde comprar os Ovos Moles em Aveiro: Oficina do Doce

4. Brisa do Liz

Bolo de Noz e Brisa do Liz (Leiria)

Quando o doce de ovos e as amêndoas são misturadas por mãos habilidosas de confeiteiras e confeiteiros de Leiria, o resultado é um doce incrível: a Brisa do Liz.

A história conta que essa iguaria com a cara (é só a aparência mesmo rs.) do quindim brasileiro nasceu no extinto Convento de Santana, em Leiria.

Eu já estive em Leiria algumas vezes. Posso dizer que provei (e repeti) a Brisa da Pastelaria LuziClara. Sempre que vou até o centro do país, faço questão de passar por ali. O local é muito agradável e a família LuziClara sempre me atende muito bem. A Brisa, claro, estava uma delícia.

Onde comer a Brisa do Liz em Leiria: Pastelaria LuziClara

Apaixone-se por Portugal com a nossa consultoria de viagem

5. Pão de Ló

doces_portugueses_paodelo_cultuga

Em Portugal, há um tradicional pão de ló que tem o centro bem cremoso, como se não estivesse cozido por dentro, sabe? Mas, na verdade, esse é o exato segredo dele. Diz a lenda que, certa vez, uma pasteleira foi fazer tal bolo para a corte e algo deu errado na receita, por tamanho nervosismo. O resultado foi o centro bem molhadinho. O que ninguém imaginava é que ele agradaria a todos e um tropeço desses ganharia tanta fama!

Há diversos locais que produzem o pão de ló dessa forma. Em Ovar e Alfeizerão é que estão os mais famosos e típicos do país. Entretanto, se você não estiver com viagem marcada para o centro de Portugal, poderá provar um que eu adoro: o Ti’Piedade, de Cadaval.

Onde provar o pão de ló de Ovar: Pão de Ló São Luiz
Onde provar o pão de ló de Alfeizerão: Casa do Pão de Ló
Onde comprar o Ti’Piedade: Supermercado do El Corte Inglés

6. Torta de Azeitão

doces_portugueses_tortadeazeitao_cultuga

Azeitão é uma vila, do outro lado do Rio Tejo de quem vem de Lisboa, conhecida principalmente por suas quintas produtoras de vinho. Se esse cantinho da península de Setúbal estiver em seu destino de viagem, você não pode deixar de fazer uma parada para experimentar a Torta de Azeitão.

Torta, em Portugal, tem o mesmo significado de “rocambole” no Brasil. Pela foto já deu para perceber, né? (as tortas que conhecemos no Brasil são chamadas de “tartes” em Portugal). E, como todo bom doce português típico, o ovo também é a estrela dessa receita. Mas ainda tem a canela, que dá um toque especial.

Na Vila Nogueira de Azeitão há algumas pastelarias e confeitarias especializadas nesse doce. Mas, se você quer uma boa dica, indico a Pastelaria Regional Cego. Estive por lá a convite de uma querida amiga portuguesa que frequenta o local desde a sua infância. O local é mesmo especial. Aproveite para provar também os “Esses de Azeitão” – umas bolachas durinhas boas para molhar no chá ou no café.

Onde provar a Torta de Azeitão: Pastelaria Regional Cego

 7. Tarte de Amêndoa

doces_portugueses_tartedeamendoa_cultuga

Aqui está um exemplo de tort… Não! Tarte rs. Lembra do que disse na Torta de Azeitão? Essa, sim, é uma tarte!

As pastelarias portuguesas costumam fazê-la em diversos sabores, como chocolate, morango, limão… Porém, a que derruba todas elas, na minha opinião, é a tarte de amêndoas. Esse melado que você vê na foto fica crocante, lembrando um pouco a textura do pé de moleque (mas só a textura).

Essa da foto é de uma franquia que eu gosto muito chamada A Tarte.  A parte boa é que você poderá encontrá-la em diversas partes do país, seja em quiosques próprios, seja nos cafés.

Onde comprar a tarte de amêndoa d’A Tarte: Portela Cafés (Centro Comercial Vasco da Gama) e El Corte Inglés

8. Salame de Chocolate

doces_portugueses_salamedechocolare_cultuga

Esse é um doce tradicional de duas cozinhas que eu adoro e valorizo: a portuguesa e a italiana. Não é difícil encontrar o salame de chocolate por todo o país. E, olha, ele tem os seus méritos. Afinal, são poucos os doces portugueses feitos com chocolate (perto da infinidade que leva o ovos e amêndoas como protagonistas).

Segredo? Não, ele não tem. É chocolate, bolacha do tipo Maria, manteiga, açúcar e, claro, gemas. O resultado, eu garanto, vai fazer o seu café da tarde mais feliz!

Onde comer salame de chocolate em Lisboa: A Padaria Portuguesa

Onde provar e comprar Queijo Serra da Estrela em Portugal?

9. Travesseiro de Sintra

doces_portugueses_travesseirodesintra_cultuga

Esse é um clássico que não pode ficar de fora do seu roteiro gastronômico por Portugal. Se você acha que visitar a romântica Vila de Sintra é só conhecer o Palácio da Pena, a Quinta da Regaleira, o Palácio Nacional ou Castelo dos Mouros, engano seu.

Não comer o divinal Travesseiro de Sintra é uma heresia. Esse doce típico é composto por uma massa folhada coberta com açúcar e recheada com creme de ovos e amêndoas. Tem como ficar ruim? Não, né? Tome nota: para essa experiência, inclua no seu roteiro a Piriquita, uma pastelaria com mais de 150 anos que fica no centro histórico.

Onde provar os Travesseiros de Sintra (ainda quentinhos): Piriquita

 10. Queijada de Sintra

doces_portugueses_queijadadesintra_cultuga

Antes de deixar a vila de Sintra, atenção! O magnífico Travesseiro não é a única estrela da doçaria tradicional local. É também na Piriquita, a mesma pastelaria que indiquei a pouco, que você poderá provar a Queijada de Sintra.

Conta a lenda que o Rei D. Carlos sugeriu que Amaro e Constância Gomes, casal fundador da Piriquita, fabricassem a queijada. Parece que D. Carlos estava certo. Mais de 150 depois, esse doce típico adoça a boca de turistas e portugueses.

Mas a história não para por aqui. A disputa sobre quem produz a melhor queijada da região não tem fim. Tirar a prova não parece uma má ideia, certo? Portanto, aproveite para conhecer também as Queijadas da Sapa, de 1756!

Onde provar a queijada de Sintra: Piriquita e Queijadas da Sapa

11. Pastel de Feijão

doces_portugueses_pasteldefeijaomafra_cultuga

O nome parece que não condiz com a foto, não é? Realmente, o pastel de feijão é diferente do que você pode ter imaginado (caso você não tenha referências de doce de feijão, como eu, claro).

São algumas as cidades e vilas que o produzem, mas aconselho que faça a prova em Mafra (cerca de 35km de Lisboa). Depois de visitar o lindo Palácio Nacional de Mafra e seu Convento – uma das maiores obras do barroco português, siga para a Pastelaria Fradinho. Ah, e você pode aproveitar para levar um pão de Mafra – igualmente tradicional e gostoso.

Onde provar o pastel de feijão em Mafra: Pastelaria Fradinho

12. Sericaia

doces_portugueses_sericaia_cultuga

A Sericaia é um clássico da região do Alentejo. Como não poderia ser diferente da maioria dos doces portugueses, esse quase bolo bem cremoso e molhado é a mistura perfeita de ovos, limão, farinha, leite, açúcar e canela.

Para deixar a Sericaia ainda mais alentejana, aconselho que experimente com calda e ameixa.

Onde provar a Sericaia em Évora: Pastelaria Pão de Rala (tudo aqui é uma delícia rs.)

13. Queijada de Évora

doces_portugueses_queijadadeevora_cultuga

Casquinha crocante com um recheio a base de ovos (é, claro!) e queijo fresco de ovelha. Só de escrever essa frase já me deu água na boca!

Quando estive em Évora (aqui tem um roteiro ótimo para conhecer a cidade), comi esse doce típico em dois lugares diferentes. Ambos estavam ótimos, mas o da Pastelaria Conventual Pão de Rala era, sim, imbatível (assim como tudo naquele lugar)!

Onde provar a queijada de Évora: Pastelaria Pão de Rala

14. Guardanapo

doces-portugueses-tipicos-guardanapo-cultuga

É só bater o olho nesse doce que você vai perceber o porquê do nome 🙂 A primeira vez que comi foi em Belmonte, a vila onde nasceu Pedro Álvares Cabral. Entretanto, o guardanapo é um clássico das pastelarias de todo o país.

Essa massa de bolo bem fofinha, recheada com doce de ovos (não poderia ser outra coisa rs) e dobrada como um guardanapo de papel combina perfeitamente com um cafezinho.

Onde provar o guardanapo em Lisboa: Confeitaria Nacional

15. Pudim da Batalha

pudim-da-batalha-pastelaria-oliveira-doces-portugueses-cultuga

Batalha é uma vila conhecida pelo seu Mosteiro, um dos mais incríveis de Portugal, e visita obrigatória para quem vai até lá. Porém, tomar um café acompanhado de um Pudim da Batalha também é uma obrigação. 🙂

Pela foto, você pode pensar: “Isso não é uma queijada?”. Não. A textura dele é diferente e bem molhadinho. Dá para sentir os pedacinhos das amêndoas que se misturam com a massa.

Eu provei – e levei uma caixinha com vários para casa -, na Pastelaria Oliveira. Lá eles mantém a receita original criada por uma senhora de Aveiro nos anos 1920.

Onde provar o Pudim da Batalha: Pastelaria Oliveira

Ainda sobrou mais um espacinho no estômago? Oba! Então dá uma olhada em mais sugestões do que você pode experimentar enquanto estiver em Lisboa, que escrevemos ao blog DucsAmsterdam 🙂

Organize aqui a sua viagem para Portugal

icon-saude

Faça o Seguro Viagem com a Real Seguro Viagem em 6x sem juros

icon-carroVeja os melhores preços para alugar um carro na Rental Cars

icon-hotel

Reserve a sua hospedagem pelo Booking, com cancelamento gratuito

icon-tour

Saboreie Lisboa e o Porto com os passeios da GetYourGuide

Serviços do Cultuga

icon-tour

Deseja ter a nossa companhia durante a sua visita a Lisboa? Faça um tour conosco

icon-consultoria

Apaixone-se por Portugal com a nossa consultoria de viagem

icon-foto

Leve um suvenir diferente da sua viagem: faça um ensaio fotográfico

Veja também o índice de artigos do Cultuga para ajudar no planejamento do seu roteiro com muitas dicas, sugestões de rota e outras informações sobre Portugal 🙂

Compartilhe.

Sobre o autor

Rafael Boro

Sou jornalista, tenho 33 anos e, apesar de ter nascido em São Paulo, adotei Lisboa como minha cidade. Gosto de apreciar a gastronomia lusa e, sempre que posso, vou a um café ou a um restaurante que não conheço. Lisboa também me trouxe um time de futebol do coração, o Sporting, mesmo tendo o tênis como o meu principal esporte. Troco fácil os transportes públicos por uma longa caminhada. Na minha playlist de música portuguesa não falta David Fonseca e Tara Perdida.

49 comentários

  1. Rafael belo post, parabens pelo blog, sou leitor assiduo mais comento pouco, em breve devo fazer o mesmo caminho de vocês estou só esperando a cidadania sair, e o blog tem sido de grande valia com informações e dicas. Gde Abraço

    • Rafael Boro

      Olá Marco,
      Muito obrigado. Fico feliz em saber que gosta do conteúdo do Cultuga e também pretende atravessar o Atlântico! 🙂
      Um grande abraço!

  2. Susana Miranda da silva em

    Prezado,
    Boa Noite.
    Gostei do seu artigo sobre Portugal. Estou fazendo umas pesquisa para uma brincadeira de família. Estamos fazendo o madter che da família e abril eu e o meu marido iremos apresentar Portugal. Será que você poderia me ajudar com algumas dicas…obrigada_!!

  3. Alexandre Cruz em

    Gostaria de parabenizar o trabalho que vcs desenvolvem, minha esposa possuí cidadania portuguesa e pensamos em viver em Portugal ao nos aposentarmos, por isso, tenho pesquisado diversos sites sobre vida, cultura e outros de Portugal, como isso, posso dizer é que o blog de vcs é “sensacional”, muito esclarecedor e fácil de se obter as melhores informações.

  4. Andréa Braga em

    Você sabe se há regras para trazer pastel de Belem para o Brasil? Assim como existe para Queijos?
    Pois foi a primeira coisa que meu filho pediu que trouxesse.

  5. Deborah Calazans em

    As fotos ficaram lindas!!!
    Foi bom rever os doces portugueses sem engordar nem um grama com eles!!!
    Muito interessante e elucidativo o texto.
    Torço pelo sucesso de vcs.
    É bom ver gente fazendo um trabalho de qualidade.
    Parabéns.

  6. Olá, gostei muito do conteúdo do post. Me interesso muito pela cultura portuguesa. Pretendo visitar Portugal algum dia.
    Você saberia me dizer se existem doces que os portugueses trouxeram para o Brasil, que fazem parte de nossa cultura? Tive essa curiosidade. Hahah.
    Parabéns pelo ótimo trabalho.
    Grande abraço.

    • Priscila Roque
      Priscila Roque em

      Olá, Ayla
      Como vai?
      Agradecemos o seu carinho 🙂
      É uma boa pergunta! Quando tivermos a oportunidade, vamos perguntar a especialistas no Brasil e em Portugal. Porém, penso que os doces brasileiros que têm como sua principal base o ovo, como o quindim, por exemplo, trazem na bagagem um pouco de Portugal, sabe? O ovo é a base da doçaria conventual portuguesa, sobretudo a gema. Antigamente, nos conventos e mosteiros era comum usar a clara para engomar os trajes. Assim, com a sobra de tanta gema, surgiram os doces conventuais. No caso do quindim, ele mistura essa base do ovo com açúcar, mas leva o toque brasileiro do coco.
      Um forte abraço!

  7. Mariângela Teixeira da Cunha em

    Olá Rafael! Belo trabalho. Retornei de Portugal onde vivi durante 7 anos trazendo o marido e a filha, ambos portugueses a quase 4 anos, atendendo a pedido da família. Deixei amigos, lembranças e uma vida, além de parte da família, já que a sogra, que é na verdade como uma mãe e a cunhada/irmã aí ficaram, mas em contato diário (ainda bem!). Confesso que hoje fica a saudade e muito arrependimento, além da vontade de voltar um dia para ficar. Obrigada por tudo.

    • Rafael Boro
      Rafael Boro em

      Obrigado pelo carinho, Mariângela! Lindas palavras sobre o seu amor por Portugal 🙂

      Um grande abraço!

  8. ALINE BASTOS em

    Olá amados! Encontrei vcs enquanto procurava informações sobre doces portugueses e amei ler a matéria! Sou estudante de Confeitaria aqui no Brasil e tenho muito interesse em me especializar em doces portugueses. Sou descendente de Portugueses e desejo mergulhar nas minhas raízes. Gostaria muito da ajuda de vcs em me indicar um local em Portugal onde eu possa fazer aulas de Confeitaria Portuguesa. Espero que possam me ajudar! Forte abraço!

    • Rafael Boro
      Rafael Boro em

      Olá, Aline
      Tudo bem?

      Ficamos felizes que tenha gostado da matéria. Você vai adorar mergulhar nesse mundo incrível dos doces portugueses 🙂

      A respeito das aulas de confeitaria, aconselho que você procure a Associação de Cozinheiros Profissionais de Portugal (http://www.acpp.pt/) para solicitar essas indicações. Um outro nome forte na doçaria conventual portuguesa atual é a Chef Marlene Vieira (https://pt-pt.facebook.com/marlene.vieira.3367). Entre em contato com ela e verifique se ela pode ajudá-la com algumas indicações. Por fim, o Turismo de Portugal também pode auxiliá-la. Veja esse curso que eles oferecem: http://escolas.turismodeportugal.pt/curso/gestao-e-producao-de-pastelaria

      Um grande abraço!

      • ALINE BASTOS em

        Muito obrigada pelas dicas Rafael!!! Se Deus quiser, em breve estarei em Portugal a passeio e pretendo experimentar de perto essas maravilhas. Desejo muito sucesso pra vc e sua família! Forte abraço!

        • Rafael Boro
          Rafael Boro em

          De nada, Aline!

          Obrigado pelo carinho! Você terá experiências ótimas por aqui, pode ter certeza. 🙂

          Um grande abraço e uma ótima viagem!!

  9. Fantástico…tão bom recordar e conhecer lugares e sabores de Portugal por meio de seu trabalho… Amei!!!
    Obrigada… Beijinhos…

    • Rafael Boro
      Rafael Boro em

      Obrigado pelas palavras, Helena! 🙂
      Ficamos felizes que tenha recordado bons momentos e conhecido novos lugares com o Cultuga.

      Um grande abraço!!!

  10. Rafael, iremos a Lisboa no dia 25/07 e ficaremos por lá até o dia 30 quando iremos pra Barcelona. O que vc me indica como um bate volta além de Sintra e Cascais?.. Obgda! Elanne

  11. Carla Reis em

    Olá Rafael
    Adorei suas dicas sobre os doces , provei alguns e realmente são deliciosos !!! Sobre o pastel de feijão , também pode ser consumido nas pastelarias de Torres Vedras , uma cidade super simpática há 40 km de Lisboa . Inclusive, acho que a receita original é desse lugar !!!

    • Rafael Boro
      Rafael Boro em

      Olá, Carla
      Fico feliz que tenha gostado das recomendações e também dos doces.

      Obrigado pela dica!! Vou procurar as melhores pastelarias de Torres Vedras para provar quando estiver por lá 🙂

      Um grande abraço!

  12. Janete Leao em

    Maravilha amooooooo todos esses doces, especialmente o sericaia, do meu Alentejo querido .Amo Portugal!!!
    Parabéns!

    • Rafael Boro
      Rafael Boro em

      Tão bom saber isso, Janete!

      Eu também adoro esses e muitos outros doces. Todas as regiões têm maravilhas da doçaria portuguesa e o seu Alentejo tem muitas!!!

      Obrigado pelo carinho 🙂

      Um grande abraço!

  13. Estava em busca de simples doces portugueses e encontrei uma gama de informações, que só aguçou ainda mais meu lado gastronômico rs. Ótima matéria, e já me enriqueceu com mais um conhecimento na área. Como faço para seguir o blog de vocês ?

  14. Lilia Borges em

    Puxa, estive em Portugal agora em setembro e alguns doces de sua lista não provei…
    Mas fico feliz por ter tido oportunidade de provar os Pastéis de Belém, o travesseiro de Sintra. Sem contar na Torta de Guimarães e um outro doce que não me lembro o nome mas que é delicioso!
    Viva Portugal!!
    Um abraço.

    • Rafael Boro

      Olá, Lilia
      Tudo bem?
      Agora você tem uma boa desculpa para voltar a Portugal: provar os doces que faltaram 🙂
      Ainda não experimentei a Torta de Guimarães. Bom motivo para voltar aquela bela cidade.
      Um grande abraço e viva Portugal!

  15. Tania Lustosa em

    Boa noite, Rafael,
    Parabéns pela competência e poder de síntese! Gostei demais do seu blog!
    Gosto muito dos doces conventuais, já tendo provado alguns dos que menciona e concordo com você!
    Aproveito para pedir ajuda! Meu marido e eu, um casal idoso, chegaremos a Lisboa num feriado e gostaria de reservar um buffet em algum restaurante, onde haja várias opções para quem aprecie a gastronomia portuguesa, mas precise controlar o consumo de sódio. Para mim, uma variedade de sobremesas tradicionais é o principal.
    Me sugeriram reservar “As Velhas”. Você tem outra sugestão?
    Agradeço antecipadamente!

    • Rafael Boro

      Olá, Tania
      Tudo bem?
      Obrigado pelos elogios. Fico muito feliz que tenha gostado do Cultuga! 🙂
      Aqui em Portugal não é muito comum ter buffet. Os restaurantes usam cardápios com várias opções de pratos. Não conheço nenhum que controle o sal, mas é possível perguntar qual receita não leva muito sal ou pedir para fazer com menor quantidade. Mas pode ficar tranquila que sobremesas tradicionais e um bom cafezinho não faltam nos bons restaurantes. 🙂
      As Velhas é muito bem cotado. Um lugar que você e seu marido podem gostar é o Solar dos Presuntos.
      Um forte abraço e boa viagem!

  16. Sou Portuguesa e tenho a dizer que esta lista está super completa! pessoalmente, não resisto aos nossos doces, especialmente os conventuais 😉

    • Rafael Boro

      Olá, Ester
      Tudo bem?
      Fico contente que tenha gostado da minha lista. 🙂 Eu também não consigo ficar sem os doces portugueses. Cada vez que eu provo um diferente e gosto muito, tenho vontade de colocar aqui no artigo rs
      Um grande abraço!

  17. Vera Lopes em

    Ola Rafael excelente matéria.Eu morei em Portugal por quatro anos e me apaixonei pelos doces de lá pela culinária em geral. pela música então simplesmente me apaixonei. Enfim por esse país fantástico e não foi muito difícil me adaptar também quisera são tantas coisas maravilhosas.Só não me adaptei com o frio sendo baiana não tinha como logo tive alguns problemas de saúde muitas dores nas articulações devido as baixas temperaturas, então tive que voltar para o brasil.Tive muita pena juro que se Portugal fosse um país mais quente pelo menos com um verão mais longo provavelmente nunca mais voltava a morar no Brasil.Tenho imensas saudades de tudo, ainda bem que aprendi muito da culinária em geral e quando bate a saudade lá estou eu fazendo um prato tipico português e olha que sei fazer vários deles. É claro que pretendo voltar a Portugal mas só a passeio rsrsrs

    • Rafael Boro
      Rafael Boro em

      Olá, Vera!
      Bom saber que gostou da matéria. Espero que ela te inspire na hora de fazer as delícias da culinária portuguesa – doces e salgadas. <3

      Uma pena você ter tido esse problema nas articulações. 🙁 Tomara que você possa voltar muitas vezes (no verão) para matar a saudade desse país encantador.
      Um grande abraço e seja sempre bem-vinda ao Cultuga!

    • Rafael Boro
      Rafael Boro em

      Obrigado, Juliana. Que bom que gostou da matéria! 🙂
      Realmente, os doces portugueses são maravilhosos e eu adoro.
      Um grande abraço!

  18. Bom dia, estive a ver o vosso site que está muito interessante, no entanto, para uma próxima oportunidade que tenham, passem por Torres Vedras (40 km de Lisboa), porque o pastel de feijão é originário de Torres Vedras, onde a receita é religiosamente guardada onde existem as maiores provas deste. https://pt.wikipedia.org/wiki/Pastel_de_feij%C3%A3o
    Abraço a todos.

    • Rafael Boro

      Olá, Rui
      Tudo bem?
      Fico feliz que tenha gostado do Cultuga! 🙂
      Já nos falaram do ótimo pastel de feijão de Torres Vedras, mas ainda não tive a oportunidade de prová-lo e de visitar a cidade. No dia em que eu fizer isso, vou atualizar o artigo com ele. Obrigado pela dica.
      Um grande abraço!

Deixe um comentário