Aromas e Temperos: pitadas de Portugal e Brasil em Lisboa

10

Desde que me mudei para Lisboa, em 2013, ainda não tinha sentido vontade de visitar churrascarias e outros restaurantes de comida brasileira. A “culpa” disso tudo, certamente, está no prazer e na curiosidade que tenho em experimentar novos sabores. Como a gastronomia portuguesa é muito variada e inesgotável, confesso: ainda não tinha tido tempo de conhecer as opções brasileiras daqui.

Porém – tinha que haver um porém 😀 – a cearense Juliana Magalhães fez com que eu mudasse de ideia ao nos convidar para conhecer seu restaurante, o Aromas e Temperos. Ela é chef de cozinha aqui em Lisboa e abriu esse espaço no primeiro semestre de 2015 com a proposta de unir temperos de Portugal com os aromas da culinária do Brasil.

aromas_e_temperos_restaurante_brasileiro_em_lisboa_chef_juliana

A chef de cozinha brasileira Juliana Magalhães

Nós adoramos o conceito do restaurante e, agora sim, eu tinha um ótimo motivo para voltar a sentir o gostinho da comida brasileira em terras lisboetas!

O Aromas e Temperos fica em uma rua bem tranquila, no bairro de Arroios, onde antes era uma tasca (como são chamados os pequenos restaurantes típicos). O salão, com apenas sete mesas, é bem clean e traz um ar de aconchego – ambiente ideal para casais, famílias ou para um pequeno grupo de amigos.

Quer ter a nossa companhia durante a sua passagem por Lisboa? Faça o nosso tour

O que é servido no Aromas e Temperos?

Fizemos a reserva para um dia de semana e, ao chegarmos para o jantar, às 20h30, fomos recebidos pela sorridente Larissa – também brasileira.

As boas-vindas foram feitas com o couvert em nossa mesa: uma cesta de palitinhos de queijo crocantes, mini pães de queijo (feitos com Queijo da Ilha – açoriano), placas de polvilho, além de uma manteiga temperada para acompanhar. Esse era só o início de uma noite cheia de crocância e de memórias.

aromas_e_temperos_restaurante_brasileiro_em_lisboa_paodequeijo

Couvert caprichado com Guaraná e cerveja artesanal portuguesa

Para acompanhar o couvert, as entradas e o prato principal, a Pri pediu um “clássico” Guaraná Antárctica (não é difícil encontrá-lo nos supermercados aqui de Portugal, mas pedir em um restaurante sempre tem um sabor especial) e eu preferi experimentar uma cerveja artesanal portuguesa, a Red Zeppelin Ale, da marca Musa – que caiu muito bem com as escolhas do menu. Aprovada!

Não demorou muito e a chef Juliana veio até a nossa mesa para apresentar os sabores servidos na sua “casa”. Fiquei com água na boca só de ouvir ela explicar cada uma das receitas. A proposta do restaurante é que as pessoas partilhem as refeições, seja entre o casal, os amigos ou a família.

aromas_e_temperos_restaurante_brasileiro_em_lisboa_detalhes

Cuidado e delicadeza em cada um dos detalhes

Como a Pri tem algumas restrições alimentares, ela não poderia me acompanhar em todos os pratos. Assim, a Juliana gentilmente serviu a ela uma salada de folhas, tomate, cebola e amêndoas (uma “explosão de sabores”, nas palavras da Pri), enquanto, para mim, vieram as porções um pouco menores do que o habitual, com exceção do prato principal, visto que não partilharíamos tudo.

Primeiro provamos o Crocante da Ilha – que são cubinhos fritos de tapioca com Queijo da Ilha – acompanhados de geléia de pera Rocha (aquela que chamamos de “pera portuguesa” no Brasil) com suco de clementinas e malaguetas. Posso já dizer que essa foi a nossa porção favorita. Uma combinação criativa, saborosa e leve, mesmo tendo como ingrediente um queijo mais forte.

aromas_e_temperos_restaurante_brasileiro_em_lisboa_crocante_da_ilha

Crocante da Ilha (com uma textura que nos fez lembrar o Provolone à Milanesa)

Depois chegaram os tão aguardados pastéis (brasileiros rs.) de bacalhau. Na minha opinião, mais uma união perfeita entre Brasil e Portugal assinada pela Juliana. Afinal, quem pede essa entrada é presenteado com uma massa de borda crocante e recheio de bacalhau refogado no azeite de dendê, leite de coco, pimentões coloridos e azeitona preta. E eu fui um deles!

aromas_e_temperos_restaurante_brasileiro_em_lisboa_pasteis_de_bacalhau

Os pastéis (brasileiros) de bacalhau com assinatura da Juliana Magalhães

Adianto que aquele cliché “também se come com os olhos” se aplica ao Aromas e Temperos. O cuidado com a apresentação – desde a escolha das louças e dos pratos que combinam com as cores e texturas dos alimentos, além do capricho no empratamento, chamam a atenção.

Nessa altura do jantar ainda me restava metade da cerveja. Ótimo! Sabe por que? O próximo prato foi o Bolinho de Feiju – feito com feijão preto e recheado com couve galega, bacon e chouriço, empanado em broa de milho e cama de couve crocante, acompanhado de um molho de malaguetas.

aromas_e_temperos_restaurante_brasileiro_em_lisboa_bolinho_de_feiju

O Bolinho de Feiju me levou diretamente para os domingos em família, no Brasil

A primeira mordida me transportou para um domingo com a família, em que a minha avó preparava uma bela feijoada (ela ainda prepara mas, agora, aqui de longe, só consigo acompanhar por fotos 🙁 ).

Leve um suvenir inesquecível de sua viagem a Portugal

Mas ainda faltava saborear o famoso escondinho de carne seca desfiada refogada em manteiga da terra e batata doce, um dos pratos que a chef mais se orgulha do menu. A combinação do adocicado da batata roxa, da cobertura de queijo e a singularidade da carne seca, que a própria Juliana prepara, faz jus a fama. A quantidade que vem no mini tacho é ideal para duas pessoas que já tenham compartilhado uma ou duas entradas, por exemplo.

aromas_e_temperos_restaurante_brasileiro_em_lisboa_escondidinho

O famoso escondinho de carne seca

Finalizamos com uma mousse de chocolate com caramelo de whisky e biscoito. Balanceada, macia e sem excesso de doce.

aromas_e_temperos_restaurante_brasileiro_em_lisboa_mousse_de_chocolate

Mousse de chocolate com biscoito

Um restaurante para matar as saudades do Brasil, mas sem esquecer que estamos em Portugal 🙂

Serviço
Aromas e Temperos
Endereço: Travessa Rebelo da Silva, 2 – Lisboa
Contato: (+351) 213 620 119
Horário: segunda a sábado, das 12h às 14h30 e das 19h30 às 23h30 – fecha domingo
Preço: média de 16€ por pessoa
Facebook: www.facebook.com/AromasTemperos

Apesar desse jantar ter sido um convite da chef de cozinha Juliana Magalhães, expressamos aqui a nossa opinião pessoal, sem qualquer interferência editorial. Somente aceitamos fazer a visita e escrever sobre o restaurante, pois além do local ser bastante respeitado e elogiado por portugueses, brasileiros e estrangeiros, fomos surpreendidos pela delicadeza e preparo da comida como um todo.

Compartilhe.

Sobre o autor

Rafael Boro

Sou jornalista, tenho 32 anos e, apesar de ter nascido em São Paulo, adotei Lisboa como minha cidade. Gosto de apreciar a gastronomia lusa e, sempre que posso, vou a um café ou a um restaurante que não conheço. Lisboa também me trouxe um time de futebol do coração, o Sporting, mesmo tendo o tênis como o meu principal esporte. Troco fácil os transportes públicos por uma longa caminhada. Na minha playlist de música portuguesa não falta David Fonseca e Tara Perdida.

10 comentários

  1. Deu água na boca, embora estejamos no. Brasil esses tipo de culinária não é comum no estado de São Paulo , principalmente com essa apresentação.
    Muito boa a matéria!!!!

    • Rafael Boro
      Rafael Boro em

      Olá, Carmen

      Fico feliz que tenha gostado da matéria.
      A apresentação dos pratos faz toda a diferença! Sem contar o sabor 🙂 É de dar água na boca mesmo.

      Um grande abraço!

    • Rafael Boro
      Rafael Boro em

      Olá, Hirebe
      Tudo bem?

      Muito obrigado!
      Essa união de sabores é de dar água na boca.

      Abraços!

  2. Elizabeth Dias Finizola em

    Pelo que li e fotos maravilhosas de pratos servidos está o restaurante de parabéns. Excelentes combinações , visual perfeito. Apareceremos numa nova ida a Lisboa. Muito sucesso!!!

    • Rafael Boro
      Rafael Boro em

      Olá, Elizabeth
      Tudo bom?

      Obrigado pelo carinho!
      Fico feliz que tenha gostado do artigo e das fotos. Você vai gostar bastante quando provar essas combinações na sua próxima viagem a Lisboa 🙂

      Um grande abraço!

  3. Elizabeth Sorrentino em

    Nossa Rafael tudo parece uma delícia sabe Rafael, meus avós maternos eram portugueses e meu sonho é conhecer Portugal ando pesquizando tudo sobre Portugal e, também a culinária e sei que a culinária portuguesa se parece bastante com a brasileira. Parabéns pelo artigo e, muita prosperidade para você aí em Portugal um grande abraço.

    • Rafael Boro
      Rafael Boro em

      Olá, Elizabeth
      Tudo bem?
      Gostei muito da sua mensagem! 🙂 Não desista do seu sonho. Você vai realizá-lo e será inesquecível, principalmente por ter a oportunidade de ver as paisagens e provar a gastronomia do país dos seus avós.
      Obrigado pelo carinho e um grande abraço!

    • Rafael Boro

      Que bom saber, Tania.
      Tenho certeza que você vai gostar da proposta e da comida. 🙂
      Um grande abraço e boa viagem!

Deixe um comentário