A música portuguesa no rádio brasileiro

0

Meu primeiro contato com a música portuguesa aconteceu na infância, pois, minha avó paterna é portuguesa. O meu bisavô já colecionava discos 78 rotações e minha avó continuou essa tradição. Então, ela gostava de ouvir fados, marchas populares lusas e, também, muita música brasileira. Como ela residiu muitos anos na casa de meus pais, eu acabei sendo influenciada por este ambiente sonoro. E assim foi se moldando meu gosto musical.

Em 1999, aos 17 anos, decidi iniciar minhas atividades de pesquisa em torno de personalidades da “Era de Ouro do Rádio” brasileiro, desde então nunca mais parei. Meu foco de estudo sempre foi direcionado àqueles cantores(as) que não possuíam biografias em livros. A minha primeira obra (2002) foi dedicada a Aurora Miranda, irmã de Carmen Miranda, uma ótima intérprete, a segunda cantora a mais gravar discos no Brasil na década de 1930. Em 2001, fui até o Rio de Janeiro para conhecê-la pessoalmente, foi uma grande emoção, eu admirava a voz de Aurora desde criança.

O meu interesse pelos artistas portugueses que militaram no Rádio brasileiro surgiu mais ou menos em 2005. Eu fui visitar uma amiga, a Denise Duran, irmã da cantora e compositora Dolores Duran (1930-1959), e ela me mostrou um belo acervo discográfico que foi de sua irmã. A maioria dos discos tinham dedicatórias carinhosas de colegas para Dolores, entre estes discos estava o LP “Adega da Cidália” (1957), da portuguesa Cidália Meireles, que eu “redescobri”, pois, minha avó escutava muito as músicas da Cidália.

Eu sempre tive grande interesse e paixão pelos artistas que pertenceram ao “cast” da Rádio e TV Record, e a Cidália durante largos anos foi contratada das “Emissoras Unidas”, passei então a pesquisar tudo o que estava relacionada a esta artista lusa. Antes de desenvolver a carreira solo, Cidália Meireles fez parte de um trio famoso com suas irmãs Rosária e Milita, era o Trio Irmãs Meireles, que alcançou êxito em Portugal através das ondas da Emissora Nacional de Lisboa na década de 1940. Acabei por registrar em livro a trajetória artística das Meireles (obra esta que pretendo lançar agora em 2012).

Mais tarde, em 2006, conheci a Irene Coelho, uma cantora e radialista paulista que dedicou toda sua carreira a música portuguesa, tal a sua paixão pela cultura de Portugal. Ela apresentava o programa “Melodias Portuguesas” na Rádio Trianon AM, com estúdios na Av. Paulista. Um dia, Irene me convidou para uma visita ao seu apartamento e me mostrou todo o material que colecionou durante sua trajetória. Eram fotografias, revistas, discos, recortes de jornais e outras preciosidades, logo pensei: “com todo esse material dá para escrever um livro de olhos fechados!”.

Dias depois falei com Irene Coelho sobre a possibilidade de escrever uma biografia, ela não ficou muito animada, afirmava que estava com 86 anos e estava muito cansada. Mesmo assim, não desisti da minha ideia, continuei a pesquisar sobre sua vida artística. Infelizmente, a artista veio a falecer em 2008, sem ver o livro editado, aliás esse evento só se concretizou em 2011, graças ao auxílio de um maravilhoso casal, a Verônica e o Albino Vieira, que acreditaram no meu projeto, abraçaram a causa e conseguiram o patrocínio necessário para editar o meu livro intitulado “Irene Coelho, uma brasileira de coração português” (Ed. Instituto Memória, 2011).

Atualmente desenvolvo outro projeto cultural, uma extensão da minha primeira obra, que é um bate-papo juntamente com uma exposição designada “Memórias da Música Portuguesa no Rádio Brasileiro 1930-1960”. Durante a apresentação do bate-papo relembro os grandes ídolos da música portuguesa da Era do Rádio, como: Éster de Abreu, Manoel Monteiro, Beatriz Costa, Joaquim Pimentel, Irene Coelho, Arminda Falcão, Gilda Valença e Francisco José. Já a exposição conta com material do meu acervo pessoal: discos 78 rotações e LP’s, revistas da época e muitas fotografias.

Também tenho um blog e um podcast, o Cardápio Cultural, onde podem ser encontrados muitas postagens e programas produzidos por mim sobre artistas brasileiros e portugueses.”

Thais Matarazzo
http://thmatarazzo.bloguepessoal.com
http://cardapiocultural.podbean.com

AGENDA DE EVENTOS – MAIO/JUNHO/ 2012

livro_irene_coelhoBate-papo Cultural e Exposição “Memórias da Música Portuguesa no Rádio Brasileiro”
Dia 18 de maio, sexta-feira, às 17h, na Casa de Cultura “Salvador Ligabue”
Localizada no centro histórico do bairro da Freguesia do Ó – Largo Nª. Srª. do Ó, 215 – Telefone 3931-8266

Dia 26 de maio, sábado, às 14 horas
Av. Celso Garcia, 4200 – Tatuapé – São Paulo – SP
(próximo ao Metrô Tatuapé) – Tel. (11) 2092-4570

XVII Semana Cultural Portuguesa de Campinas
Dia 05 de junho, terça-feira, às 19h, no Museu da Imagem e do Som de Campinas
Palácio dos Azulejos – Piso Superior
Rua Regente Feijó, 859. Tel. (19) 3733-8800
(esquina com Rua Ferreira Penteado).

Sessão de autógrafos – livro “Irene Coelho, uma brasileira de coração português”
Dia 20 de maio – a partir das 13 horas – Festa Nossa Senhora de Fátima
Casa Ilha da Madeira – Av. Parada Pinto,  2896  – Tel: (11) 2231-0922

Você também tem uma história especial com Portugal e gostaria de vê-la publicada aqui no Cultuga? Escreva para nós!

Compartilhe.

Sobre o autor

Priscila Roque

Sou jornalista especializada em cultura e fotógrafa. Foi preciso passar dos 30 anos para assumir que Lisboa é, realmente, o meu lugar no mundo. Mas a paixão por Portugal começou bem mais cedo, ainda na adolescência, quando descobri alguns músicos locais. Os meus pais são portugueses imigrados no Brasil. Depois de fazer o caminho inverso deles, trocando São Paulo por Lisboa, quero agora, com o Cultuga, diminuir a distância que separa o Brasil de Portugal.

Deixe um comentário