[Série Luso-Brasileiros] Conheça a história do Wesley Vargas

PORTUGAL NA PANDEMIA: eventos podem ser adiados ou cancelados; atrações e estabelecimentos podem funcionar sob horário e regime especiais. Acompanhe aqui as atualizações da Covid-19

Envie este artigo para alguém que você gosta!

Chegamos a mais uma terça-feira de depoimentos da série Luso-Brasileiros aqui no Cultuga. Semanalmente, compartilhamos histórias dos nossos leitores que cultivam grande carinho por suas raízes.

Hoje a conversa é com o Wesley Vargas. Tive a oportunidade de conhecê-lo em Lisboa durante a época em que viveu por aqui. O que eu não sabia era que o seu envolvimento com Portugal era ainda mais profundo e especial.

A história começa no bisavô José Simões, nascido em São Martinho da Cortiça, mas criado em Lisboa.

“Meu avô conta que ele pouco falava de São Martinho, e que as histórias eram sempre de Lisboa.

Ele [o bisavô] veio para o Brasil já adulto, na década de 1920, e criou todos os filhos numa casa que funcionava sob os preceitos portugueses. Portanto, meu avô, o senhor Nelson Simões, tem muito de tuga!

O Sr. Nelson, então, foi também quem despertou a curiosidade no Wesley sobre Portugal:

“Desde criança, meu avô gosta muito de falar de Portugal e das coisas que ele ouvia do meu biso, ou seja, desde sempre eu soube de onde viemos.

Acho que as primeiras coisas que eu ouvi falar foram histórias engraçadas/ inusitadas de pessoas que meu bisavô conhecia. E esse tipo de história é o que não falta em Portugal haha.

Sobre Lisboa, meu avô sempre contou como meu bisavô gostava de lá, mas que veio pro Brasil procurando novas oportunidades.”

Como disse no início do texto, o Wesley viveu em Lisboa – e isso foi entre os anos de 2012 e 2013. Por isso, também perguntei o que ele viu ao chegar a terra de sua família.

“A princípio, eu pude ver um céu que há muito não via. Ou melhor, nunca havia visto. A luz da cidade me surpreendeu muito.

Sou designer e tenho uma certa necessidade de organização e de entender as coisas, e me entender nelas e interagindo com elas.

Ao ponto que fui estabelecendo essas relações eu-cidade, comecei a perceber um sentimento de pertencer, que eu nunca tinha sentido antes. Me sinto parte de lá.

Comecei a ver que a cidade fazia sentido pra mim, tanto estrutural quanto ‘romanticamente’. Eu sabia onde era tudo. Sabia como chegar a tudo. Sabia como procurar tudo. E ainda sei. Não é só um sentimento de pertencer, é algo mais. Mas eu realmente me sinto parte de lá.

Algo que é comum a todos que vivem no Brasil, mas tem família portuguesa, é identificar alguns sinais daquilo que se vê em casa. E foi isso que o Wesley também me contou.

Todos os velhinhos e velhinhas de Lisboa são meus avós. Eles andam igual, eles falam igual, eles são – as vezes – rabugentos tal como meus avós. Até as roupinhas! Camisa de manga curta, calça social e sapato bem confortável. Vestidinho, saias, calças confortáveis e sandalinhas. Se não tem uma xicarazinha de café na mão, estão pensando em pegar uma. O jeito como as pessoas se preocupavam com as refeições e também numa vida bem aproveitada. Também a forma como elas se divertem e observam as coisas bonitas e os bons momentos. Essas são coisas que me são extremamente familiares.”

Ah, e como não poderia faltar, ele ainda me disse: “Acho que já falei sobre o sentimento que tenho com essa cidade, mas pra deixar bem claro em Português: Lisboa é muito gira!

Na foto do topo, da direita para a esquerda, estão o Wesley, a tia Rosana, a avó Alaíde e o avô Nelson na Quinta da Regaleira, em Sintra :D

Obrigada, obrigada e obrigada, Wesley! Adorei conhecer um pouco mais sobre a sua família!


Envie este artigo para alguém que você gosta!

Este conteúdo foi útil para você? ❤

Estamos há 10 anos produzindo conteúdo autêntico sobre a cultura portuguesa e o turismo cultural e criativo de Portugal de forma independente. Você se identifica com essa proposta?

 Acompanhe o nosso canal no YouTube

Colabore via PayPal para continuarmos ativos

Conheça nossas experiências para quem viaja a Portugal

Viaje a Portugal com segurança ✈

icon-saude

SEGURO SAÚDE E VIAGEM
Faça o seu seguro para Portugal na Real Seguro Viagem com este link do Cultuga e ganhe 10% de desconto!

icon-carro

ALUGUEL DE CARRO
Viajar de carro é uma ótima opção para se aproximar da natureza e fazer um roteiro ao seu ritmo. Na RentalCars você recebe o orçamento de aluguel de carro das empresas mais conhecidas de Portugal.

icon-hotel

HOTÉIS E APARTAMENTOS
Encontre hotéis no Booking focados na higienização de seus espaços e evite surpresas frente a imprevistos com a opção de cancelamento gratuito!

TRANSFERS EM PORTUGAL
Conheça o Vinícius e sua equipe! Eles terão enorme carinho em receber você em segurança e tranquilidade no aeroporto.

Sobre o autor

Priscila Roque

Sou jornalista especializada em cultura e fotógrafa. Tenho Lisboa como o meu lugar no mundo, o meu refúgio, a minha casa. Mas é também em Portugal, este país vivo e com tanto para contar, que me sinto completa. Os meus pais são portugueses imigrados no Brasil. Depois de fazer o caminho inverso deles, trocando São Paulo por Lisboa, assumi como missão do Cultuga diminuir a distância que separa o Brasil de Portugal.

Deixe um comentário