5 aldeias pitorescas para visitar na Serra da Lousã

7

Aquela imagem das aldeias portuguesas de pedra, que parecem presépios, cenográficas e pitorescas, não saía da minha cabeça. Eu e o Rafa já tínhamos lido bastante, recolhido materiais de várias delas espalhadas pelo país e, assim, decidimos começar a nossa viagem por um grupo de aldeias localizado na Serra da Lousã, a 40km de Coimbra (e, olha, esse é só um dos motivos para visitar a Serra da Lousã).

O que são as Aldeias do Xisto?

As localidades que vistamos fazem parte das Aldeias do Xisto, uma rede que reúne 27 aldeias distribuídas pelo interior do centro de Portugal. Nem todas são inteiramente construídas com pedras de xisto, mas a maioria delas sim.

Aldeias pitorescas de Portugal - Talasnal

Bom dia, Talasnal!

Na região da Serra da Lousã estão 12 e, dessas, elegemos 5 para a visita a partir das sugestões do responsável pelo Turismo das Aldeias do Xisto, que também nos acompanhou durante um dos dias em que estivemos por lá.

Entretanto, o ideal é separar dois dias para passear nessa área. É possível visitar essas cinco aldeias em um único dia de carro, sim, pois elas ficam bem pertinho uma das outras e são super pequenas. Entretanto, para aproveitar a boa energia desse local, sem correria, considere dormir ao menos uma noite e ter uma experiência por aqui, seja em uma casa de turismo rural incrustada em algum ponto da Serra, seja na própria vila da Lousã – a 10 minutos das aldeias.

Pudemos perceber que tais aldeias estão longe de se tratar do mesmo. Cada uma tem personalidade própria, suas mais valias. Umas quase abandonadas, outras em plena atividade e desenvolvimento. Entretanto, todas com enorme charme. É um passeio e tanto para os amantes da natureza, da arquitetura, dos passeios de moto e bike e dos percursos pedestres.

Como chegar as aldeias da Serra da Lousã

A melhor forma para chegar a essas aldeias é de carro ou moto. Partindo de Lisboa, siga a norte pela A1, A13 e N342. São, aproximadamente, 210 km de trajeto – pouco mais de 2h. Da cidade do Porto são cerca de 140 km, também pelas mesmas estradas, mas no sentido sul. De Coimbra são 40km de distância via N17 e N236.

Ao chegar a vila da Lousã você logo verá as indicações com placas bem sinalizadas para diversas Aldeias do Xisto. Então, é só seguir para as escolhidas.

Carro passa por estrada que liga as Aldeias do Xisto, na Serra da Lousã

Trecho da estrada lindíssima (no outono) que liga as Aldeias do Xisto na Serra da Lousã

Dê preferência para dirigir com a luz do dia. À noite, como são estradas rurais, apesar de terem bom asfalto, não têm iluminação. Isso também atrai muitos animais para a pista e, por isso, a atenção precisa ser redobrada (fomos de madrugada até Candal fazer algumas fotos e vimos um veado atravessando a estrada. O percurso demorou o dobro do tempo).

O que ver nas Aldeias do Xisto

Aldeia do Chiqueiro (mapa oficial)

Aldeias pitorescas de Portugal - Chiqueiro

Aldeia do Chiqueiro

Partindo da vila da Lousã, subimos pela estrada onde havia uma placa que indicava o percurso das aldeias, passando pelo Miradouro da Tarrasteira, pelo Terreiro das Bruxas e pelo Miradouro do Chiqueiro (as coordenadas desses locais estão no artigo que fizemos com motivos para visitar a região).

Em todas as aldeias da rede é assim: um pouco antes de chegar, ainda na estrada, você verá uma placa amarela no chão com o logo das Aldeias do Xisto. E, ao chegar efetivamente nelas, encontrará uma placa maior com o nome da aldeia e algumas informações importantes. É aqui que você também vai parar o carro. Separe 15 minutos para a sua visita na aldeia do Chiqueiro.

Apesar do nome, hoje já não vemos porcos por aqui. São apenas dois habitantes com os seus animais por entre essas casinhas de xisto escuro em um local que parece ter parado no tempo.

Aldeias pitorescas de Portugal - Chiqueiro

Detalhes da aldeia do Chiqueiro

Mas nem sempre foi assim, pois na década de 1940 chegaram a viver 45 pessoas nessa aldeia. Chiqueiro foi uma das mais importantes da região, inclusive com um padre residente e atividades em sua capela.

Somente como título de curiosidade, essa região começou a ser habitada permanentemente a partir da segunda metade do século XVII, em uma área rica para a produção de feijão, milho e batata. Antes disso, as casas eram ocupadas apenas na primavera e no verão para atividade pastoril.

Aldeias pitorescas de Portugal - Chiqueiro

Ah, encontramos um jovem morador dessa aldeia (e morremos de amores)

Aldeia de Casal Novo (mapa oficial)

Aldeias pitorescas de Portugal - Casal Novo

Luz incrível nas primeiras horas da manhã na aldeia de Casal Novo

A cerca de 1km de distância do Chiqueiro está Casal Novo – essa sem habitantes permanentes, somente por temporada ou de passagem.

Tenha atenção ao chegar, pois ela é bastante discreta. Casal Novo fica em uma longa descida a pé e pouco vemos de suas casas a partir da própria estrada.

Durante a nossa passagem, acompanhamos parte de um treinamento de uma equipe de homens que seguiam pela escadaria com seus cães, oferecendo alguma vida ao local. Porém, o que também nos impressionou foram os detalhes, quase que cenográficos mesmo, como uma fonte de água potável em que havia uma caneca de metal pendurada e as árvores tão vibrantes no início do outono.

Aldeias pitorescas de Portugal - Casal Novo

Detalhes da aldeia de Casal Novo

A maior população de Casal Novo que se tem registro foi em 1885, quando moravam 65 pessoas por aqui. Entretanto, desde 1981 ninguém vive de forma permanente nela e algumas casas são alugadas para o turismo.

Aldeia do Talasnal (mapa oficial)

serra-da-lousa-turismo-aldeias-do-xisto-talasnal

Talasnal vista a partir da estrada, pela manhã

De volta para o carro, mais 2,5km de percurso a frente e chegamos a Talasnal, a aldeia mais popular do grupo e também uma das mais envolventes. Por aqui, há um restaurante bastante famoso (o Ti’Lena – que não tivemos a oportunidade de experimentar, infelizmente, pois fomos fora do horário de funcionamento. Se você quiser conhecê-lo, é ideal reservar) e alojamentos rurais. Por ela também passam alguns percursos pedestres importantes da Serra da Lousã.

Essa é uma aldeia um pouco maior, quando comparada com as demais que visitamos, e tal estrutura logo se percebe na chegada, com uma boa área para estacionar. Apesar de não ter habitantes permanentes, há muitas casas alugadas para turismo e outras de comércio, assim, também vimos um movimento por ali.

Aldeias pitorescas de Portugal - Talasnal

Acordar cedo tem lá suas vantagens…

No passado, a região foi produtora de azeite, testemunhado pelos lagares que ainda estão em suas terras – um em ruínas e o outro recentemente recuperado. Em 1911, a aldeia chegou a ter 129 habitantes.

Talasnal é um dos cartões postais das Aldeias do Xisto. Da estrada, conseguimos ver recortes na mata estrategicamente posicionados para que a gente possa se deliciar com fotografias dessas casas que parecem incrustadas na Serra.

Aldeias pitorescas de Portugal - Talasnal

Aldeia do Talasnal vista a partir da estrada: impossível não parar o carro para fotografar

Aldeias pitorescas de Portugal - Talasnal

Detalhes do Talasnal

A nossa paixão por esses becos e ruelas em xisto escuro foi tamanha, que decidimos voltar antes do amanhecer, no dia seguinte, para ver como essa aldeia se abria para o dia, em cada um de seus detalhes…

Aldeia do Candal (mapa oficial)

Aldeias pitorescas de Portugal - Candal

Mirante lindíssimo no alto do Candal

A parada em Candal foi estratégica, quase 10km depois. Fácil para estacionar e com um café logo a entrada, que também é o posto de turismo das Aldeias do Xisto e lojinha (segunda a sexta, das 10h30 às 18h30. Sábado, das 10h30 às 19h30. Domingo, das 10h às 19h. Fecha terça).

Pudemos provar, então, os Talasnicos – um doce típico aqui das aldeias, que se refere, claro, da vizinha Talasnal, com mel e castanhas.

Aldeias pitorescas de Portugal - Candal

serra-da-lousa-turismo-aldeias-do-xisto-3

De barriga cheia, subimos ladeiras acima em busca da vista lindíssima que se tem sobre o vale. É, realmente, compensador. Candal é uma das aldeias mais desenvolvidas do grupo por sua proximidade com a estrada nacional N236 – uma ligação mais rápida a Lousã e região. Assim, não somente vemos casas bastante rústicas, como também alguma modernidade com construções rebocadas.

Por entre a sua paisagem ainda notamos moinhos desativados, dos anos 20, que eram impulsionados pela água da Ribeira de Candal para moer os cereais. Nessa mesma época, houve uma intensa imigração portuguesa para os Estados Unidos que impactou a aldeia. Ainda assim, na década de 1940, eram 201 habitantes. Suas atividades principais da época eram a pecuária, com a criação de cabras e ovelhas, além da fabricação do carvão e da agricultura de subsistência.

Aldeias pitorescas de Portugal - Candal

Fomos da vila da Lousã até a aldeia do Candal depois das 23h ver como ela era durante a noite

Somente a título de curiosidade, parte dessa população, nos anos 1950 e 1960, imigrou para o Brasil. Portanto, se você que está lendo esse artigo tiver algum familiar candalense, já deixo o convite para a visita e digo que realmente vale a pena dar um pulinho nesse espaço tão peculiar e autêntico.

Aldeia da Cerdeira (mapa oficial)

Aldeias pitorescas de Portugal - Cerdeira

Vista para a Cerdeira a partir da estrada

Fechamos o nosso percurso pelas Aldeias do Xisto com a Cerdeira, e não poderia ter sido melhor. Na minha opinião, uma das mais apaixonantes do grupo. Um local em que tudo sugere arte e criatividade.

Diversas casas aqui dispostas são geridas por um mesmo grupo, o Cerdeira Village. Tivemos a oportunidade de conhecer os seus proprietários, que nos mostraram alguns espaços e nos explicaram também o trabalho que fazem trazendo para cá experiências criativas, como workshops e residências artísticas, de talha em madeira a cerâmica, passando por pintura a óleo, desenhos, cestaria e azulejos.

ateliers, biblioteca, alojamentos, café e também um forno comunitário. Em julho, é um festival expressivo que toma conta dessa área e reúne mentes criativas e contemporâneas de várias partes do mundo, o Elementos à Solta – Art meets Nature, transformando esse espaço em uma verdadeira galeria a céu aberto.

Aldeias pitorescas de Portugal - Cerdeira

Ficamos encantados com aquilo que vimos. É como se estivéssemos envolvidos por um enorme jardim, de propriedade privada – pelo particular cuidado, mas sem qualquer limitação ou grades. Partilhamos tal natureza livre de imensa beleza e o silêncio com os animais selvagens da Serra.

Mas, vamos combinar que encontrar inspiração na Serra da Lousã não é tão difícil. Com um cenário estimulante, que esbanja verde, aldeias pitorescas, todo o charme da vila da Lousã e comida boa, difícil mesmo é ir embora daqui 😀

Veja todo o percurso que fizemos, partindo do nosso hotel:

Organize aqui a sua viagem para Portugal

icon-saude

Faça o Seguro Viagem com a Real Seguro Viagem em 6x sem juros

icon-carroVeja os melhores preços para alugar um carro na Rental Cars

icon-hotel

Reserve o seu hotel pelo Booking, com opção de cancelamento gratuito

Serviços do Cultuga

icon-tour

Deseja ter a nossa companhia durante a sua visita a Lisboa? Faça um tour conosco

icon-consultoria

Apaixone-se por Portugal com a nossa consultoria de viagem

icon-foto

Leve um suvenir diferente da sua viagem: faça um ensaio fotográfico

Veja também o índice de artigos do Cultuga para ajudar no planejamento do seu roteiro com muitas dicas, sugestões de rota e outras informações sobre Portugal 🙂

Compartilhe.

Sobre o autor

Priscila Roque

Sou jornalista especializada em cultura e fotógrafa. Foi preciso passar dos 30 anos para assumir que Lisboa é, realmente, o meu lugar no mundo. Mas a paixão por Portugal começou bem mais cedo, ainda na adolescência, quando descobri alguns músicos locais. Os meus pais são portugueses imigrados no Brasil. Depois de fazer o caminho inverso deles, trocando São Paulo por Lisboa, quero agora, com o Cultuga, diminuir a distância que separa o Brasil de Portugal.

7 comentários

  1. Antonio Andrade Leal em

    Priscila e Rafa, já fiz comentários a respeito do trabalho de vcs, mas quero ressaltar. Vcs fazem um trabalho maravilhoso, porque vcs amam o que fazem. Vocês fazem um trabalho com muito profissionalismo e seriedade. O trabalho de vcs envolve história, geografia, memória, economia, jornalismo, etc. Trabalho de resgate da história de tantas famílias que deixaram as terras lusitanas em busca de outros destinos. A emoção não é apenas das pessoas que contam suas histórias familiares, mas a emoção também emergem de nós que temos histórias parecidas. Sou de pai e mãe de origem portuguesa. Sou da 5ª geração de portugueses aqui no Brasil, mas me emociono bastante ao ouvir essas histórias relatadas por essas pessoas, assim como eu, tiveram ancestralidade em terras lusas. Parabens pelo trabalho maravilhoso de vcs, continuem sempre

    • Rafael Boro

      Olá, Antonio
      Tudo bem?
      Quantas palavras lindas e quanto amor por Portugal! 🙂 Ficamos muito felizes em saber o carinho e respeito que tem pelo nosso trabalho.
      Um forte abraço e obrigado pelo recado!

  2. Marcia Fernandes Lourenço em

    Olá,
    Estarei em Portugal entre 15 e 25 de outubro e pretendo visitar as aldeias de xisto. Estarei em Coimbra e terei um dia para passear pelas ladeias alem de ir a aldeia onde meus avõs nasceram (Matela, perto de Guarda)

    Vc poderia me sugerir quais aldeias visitar?
    Obrigada

    • Rafael Boro

      Olá, Marcia
      Tudo bem?
      Cada uma da cinco aldeias desse post tem o seu charme. Entretanto, indico Talasnal e Candal. Você vai gostar bastante.
      Um abraço e boa viagem!

        • Marcia Fernandes Lourenço em

          Mais uma pergunta: vc acha muito puxado fazer essas aldeias, Candal, Talasnal, ir até Piodão, depois Matela (pequena vila perto de Guarda) e voltar para Coimbra?

          • Rafael Boro

            Olá, Marcia
            Eu acho muito puxado passar por todos esses lugares em um único dia. As estradas do Piódão e da Lousã são lentas, com isso, a viagem ficaria cansativa. Ao todo, são quase 6h30 dirigindo. Você não vai conseguir aproveitar os locais com calma. 😉 Tente eleger o que você mais gosta.
            Um abraço e boa viagem!

Deixe um comentário