3 experiências gastronômicas que você precisa ter no Porto

14

Ir ao Porto é sempre uma nova experiência. Se eu fosse enumerar aqui as surpresas que tive a cada passagem pela cidade, dava para fazer uma série no Cultuga rs.  Mas o fato é que pude retornar ao norte de Portugal nesse mês de novembro com a Pri para o IIEEBB – II Encontro Europeu de Blogueiros de Viagem (veja como foi esse encontro) e, para não fugir a regra, fui novamente surpreendido.

Parece cliché falar aqui dos sabores portuenses, mas o fato é que tivemos três experiências completamente diferentes, mas igualmente deliciosas, no fim de semana do encontro. Portanto, se você está com viagem marcada para o Porto, tome nota dessas sugestões que podem render, sim, as melhores recordações – e muita saudade (fica o aviso!):

Apaixone-se por Portugal com a nossa consultoria de viagem

1. Sentar a beira do Douro para petiscar e tomar um bom vinho, sem pressa

restaurante_no_porto_portugal_fishfixe_cultugaA ribeira do Douro é o lugar que mais gosto de estar quando vou ao Porto. Pode parecer um pouco repetitivo, pois todo mundo gosta dessa região, mas poder ficar ali, tão perto do rio, apreciar a Ponte D. Luis I, ver aqueles charmosos edifícios coloridos com alturas diferentes e estar de frente para as caves de vinho do Porto, em Vila Nova de Gaia, é uma sensação ótima. E, eu garanto: esse conjunto todo fica ainda melhor quando acrescenta-se uma simples palavra – comida.

Sentar a beira do Douro, deixar o tempo passar, petiscar e beber um bom vinho é o que você deve fazer quando estiver na cidade. Toma nota dessa dica! Claro que, por ali, há inúmeros restaurantes pega-turista. Tenha apenas atenção quando for escolher. O ideal é verificar se a comida oferecida é própria da região e, mais importante, se os peixes são frescos.

Durante o IIEEBB, conheci o Fish Fixe , restaurante do Sr. Joaquim Granja, um verdadeiro apaixonado por gastronomia mas, sobretudo, por peixes. O menu servido especialmente para os blogueiros era farto e, ali, tive uma bela amostra da variedade culinária que Portugal – como um todo – oferece: pães, queijos, carne de porco, peixes e mariscos. Provei de tudo um pouco.

Para o meu paladar, os melhores petiscos foram: o queijo da Ilha, o chouriço assado, a alheira, o camarão, o bolinho de bacalhau e as pataniscas – Ah, as pataniscas (que são pedaços de bacalhau empanados. A casquinha exterior lembra um pouco do sabor do bolinho de arroz). O vinho servido durante esse almoço foi um regional duriense, o Cabeça do Pote Branco.

Para finalizar, não poderia faltar boa sobremesa. Em Portugal é assim: a gente come, come, come, mas sempre consegue arrumar um espaço para a sobremesa. O Doce do Douro – um bolo bem fofo com uma casquinha de açúcar por cima – foi o escolhido.

O restaurante funciona no almoço e no jantar. Há pratos especiais durante o dia, com o isso o preço médio fica em torno de 15. Na janta, o valor sobe um pouco.

2. Almoçar em uma tradicional cave de Vinho do Porto

restaurante_no_porto_portugal_cavetaylor_cultuga

Visitar as caves do Vinho do Porto, em Vila Nova de Gaia, é um passeio clássico e obrigatório. Mas, algum dia, você já pensou em almoçar pertinho das salas onde estão armazenados esses vinhos tão preciosos? Isso é possível em algumas caves, entre elas no restaurante Barão Fladgate, que pertence a tradicional Taylor’s.

A experiência começa logo na chegada, com uma vista deslumbrante sobre o Douro, pois esse restaurante fica bem no alto de Gaia. Há opções de mesa interiores e exteriores. Para um dia bonito de primavera ou verão, aconselho uma reserva do lado de fora, junto a essa paisagem de tirar o fôlego. Porém, se o dia estiver frio ou chuvoso, entre o outono e o inverno, não se preocupe, pois o salão também é bastante charmoso e muito agradável, com revestimento em pedra e uma iluminação muito marcante. O preço médio gasto é de 40.

Apesar do belo sol que estava naquele dia, é novembro, né? Portanto, o frio nos levou para o salão, mas bem acompanhados por um Porto Branco Chip Dry.

Como entrada, tivemos um creme de abóbora com pato crocante e toque de vinho do Porto. Aqui, os pedacinhos de pato – e eu adoro esse tipo de carne – fizeram a diferença. Para acompanhar, provamos um vinho Evel 2014 Douro.

Depois, nos serviram um bacalhau com crosta de broa e presunto, batata a murro e grelos salteados em azeite e alho. Esse é um clássico lusitano, mas o toque do presunto deixou o prato ainda mais saboroso. Para acompanhar, veio então um vinho tinto Romariz 2013.

Terminamos essa experiência com um leite creme envolto em massa crispy com sorvete de chocolate e avelã. Essa ligação do sorvete com o leite creme, que não era tão doce, ficou impecável. Dessa vez, o acompanhamento foi o Vinho do Porto Taylor’s LBV 2010.

O destaque aqui também vai para o serviço do restaurante, que foi impecável. Garçons atenciosos, extremamente gentis e sincronizados para servir o nosso grupo ao mesmo tempo, que era bem grande e ainda contava com alguns pedidos especiais.

Mas, quer saber o que foi ainda melhor? Depois de provar bons vinhos, poder embarcar diretamente na história deles em um passeio guiado pelas caves da Taylor’s. A entrada é junto ao restaurante e você pode conjugar as duas experiências no mesmo dia.

3. Comer peixes e frutos do mar frescos em um restaurante bem tradicional

restaurante_no_porto_portugal_matosinhos_oslusiadas_cultuga

Com esse título, já dá até para sentir o cheiro, né? Quem gosta de sabores do mar, certamente precisa visitar um restaurante especializado durante sua passagem pela região litoral do país. A costa portuguesa é famosa por ter um paladar inconfundível. Aqui, a dica não é exatamente no Porto, mas na cidade vizinha a ele, que tem acesso fácil de carro ou metro: Matosinhos.

Matosinhos era uma antiga vila de pescadores, mas ainda hoje tem como sua principal jóia as preciosidades marinhas. Por ali, você encontra diversos locais para comer peixes frescos e frutos do mar. Para o nosso grupo conhecer tal potencial e ter essa experiência, fomos ao Restaurante Os Lusíadas.

A recepção foi com uma mesa enorme, reservada ao grupo, e nem bem sentamos, os garçons serviram enormes bandejas com uma variedade muito interessante e saborosa de porções, com sapateiras, percebes, amêijoas e camarões. Isso foi só a entrada, detalhe.

Mas… Adivinha qual foi o prato principal? Peixe, é claro! O Robalo ao Sal, feito na hora, diante dos nossos olhos, desmanchava na boca.  Essa é uma especialidades da casa e foi uma das minhas grandes memórias dessa visita ao norte.

Para fechar a noite, nada melhor do que um Pão de Ló tipo Ovar. Esse é um doce tradicional da cidade de Ovar (a cerca de 40km do Porto), que se faz desde o final do século XVII. Ele é um bolo bastante fofo por fora e bem cremoso por dentro.

Para provar os incríveis pratos do Restaurante Os Lusíadas, você deve gastar por volta de 35.

Faça um ensaio fotográfico inesquecível no Porto

BONUS: sentiu falta da Francesinha aqui nessa lista de experiências? É que, para ela, o Cultuga tem um post especial 🙂 

Acho que já deu para perceber que, por aqui, o ato de comer não é somente para ganhar energia e continuar o passeio. Comer é uma verdadeira experiência e precisa fazer parte do seu roteiro!

A equipe do Cultuga esteve nesses três restaurantes a convite da Associação de Turismo do Porto especialmente para o IIEEBB. Porém, esse artigo reflete as nossas opiniões pessoais, sem qualquer interferência editorial externa.

Organize aqui a sua viagem para Portugal

icon-saude

Faça o Seguro Viagem com a Real Seguro Viagem em 6x sem juros

icon-carroVeja os melhores preços para alugar um carro na Rental Cars

icon-hotel

Reserve o seu hotel pelo Booking, com opção de cancelamento gratuito

Serviços do Cultuga

icon-tour

Deseja ter a nossa companhia durante a sua visita a Lisboa? Faça um tour conosco

icon-consultoria

Apaixone-se por Portugal com a nossa consultoria de viagem

icon-foto

Leve um suvenir diferente da sua viagem: faça um ensaio fotográfico

Veja também o índice de artigos do Cultuga para ajudar no planejamento do seu roteiro com muitas dicas, sugestões de rota e outras informações sobre Portugal 🙂

Compartilhe.

Sobre o autor

Rafael Boro

Sou jornalista, tenho 34 anos e, apesar de ter nascido em São Paulo, adotei Lisboa como minha cidade. Gosto de apreciar a gastronomia lusa e, sempre que posso, vou a um café ou a um restaurante que não conheço. Lisboa também me trouxe um time de futebol do coração, o Sporting, mesmo tendo o tênis como o meu principal esporte. Troco fácil os transportes públicos por uma longa caminhada. Na minha playlist de música portuguesa não falta David Fonseca e Tara Perdida.

14 comentários

  1. Tarquínio Marques em

    Oi,
    Digo que conheço demais essa região e meu sítio preferido no Porto, é na Ribeira, onde sempre como um bacalhau num daqueles restaurantes que servem a comida ao ar livre. Obrigado pelas dicas, abraço.

    PS. Sou filho de português e já visitei Portugal 10 vezes.

    • Rafael Boro

      Olá, Tarquínio!
      Fico feliz que tenha gostado das dicas!
      A Ribeira é mesmo incrível. Imagino como você se sente ao voltar tantas vezes para Portugal e para o Porto. Deve ser muito especial, principalmente por ter raízes tão próximas e fortes com o país.
      Um grande abraço!

    • Rafael Boro

      Uma delícia mesmo, Rita! Sabores únicos!
      Um grande beijo e mais uma vez parabéns pela organização do IIEEBB.

  2. Boa tarde Rafael,
    Depois de rodar por inúmeros sites de dicas sobre Portugal, acabei entrando no seu e estou a algum tempo me deliciando.
    Vou a Portugal em maio do dia 8 a 22. Já tenho reservado Fátima do dia 12 a14 , antes e depois deste período , quero conhecer Portugal ,cidade que me apaixonei ano passado e não pude apreciar( por isto meu retorno ) . O que você sugere de roteiro,vou com meu marido, mãe é uma tia.
    Gostaria de fugir do roteiro pega- turista e conhecer o dia-a-dia e os restaurantes locais. Já anotei suas dicas do Porto.
    Aguardo retorno e desde já agradeço .

    Karla Nardi

    • Priscila Roque
      Priscila Roque em

      Olá, Karla
      Agradeço em meu nome e no nome do Rafael o seu contato e carinho 🙂
      Faz muito bem em retornar a Portugal. Maio é um mês delicioso para visitar o país. Tenho a certeza que você poderá aproveitar bastante dessa vez!
      Aqui no Cultuga oferecemos o serviço de consultoria e roteiro personalizado, que vão de encontro com as suas necessidades. Poderemos conversar sobre o perfil da sua família e, juntos, ajudaremos a organizar e planejar essa viagem – com grande prazer. Certamente teremos muito para conversar! Aqui você poderá ver mais detalhes desses serviços: https://www.cultuga.com.br/2014/04/assessoria-de-viagem-roteiro-personalizado-portugal/
      Estamos à disposição! Um forte abraço

    • Rafael Boro

      Olá, Mila
      Tudo bem?

      A média de preço dos restaurantes é:
      Fish Fixe: 15€
      Barão Fladgate: 40€
      Os Lusíadas: 35€

      Espero que faça uma excelente viagem! Você vai adorar o Porto e todas as outras cidades que visitar 🙂

      Um grande abraço!

  3. Juliana Araripe em

    Boa noite!
    Meus pais estão indo a Portugal e me indicaram o site para que eu os ajude no roteiro. A viagem é para Lisboa, para um show, mas eles querem aproveitar para passar em Fátima e ir a Coimbra e Porto. Qual seria o melhor meio deles se locomoverem nesse roteiro, considerando que eles não querem alugar carro? O que seria mais fácil?
    Muito obrigada e parabéns pelo trabalho!

    • Rafael Boro
      Rafael Boro em

      Olá, Juliana
      Tudo bem?

      Obrigado pela mensagem 🙂

      Para Fátima, a melhor coisa é fazer um bate-volta de ônibus (autocarro) a partir de Lisboa. Já para Coimbra e Porto, a forma mais rápida e prática é viajar de trem (comboio). Eles podem passar uma noite em Coimbra, saindo de Lisboa para depois chegar ao Porto, ou fazer um bate-volta a partir do Porto. Mas isso depende do estilo de viagem e do tempo que eles terão em Portugal.

      Um grande abraço!

  4. Adorei todos os posts sobre Porto. Sou amante de vinho e estou indo com meu marido pela primeira vez a Portugal, em julho deste ano. Programando meu roteiro, separei quatro noites em Porto, pois meu voo de volta ao Brasil parte de lá. Estou na dúvida de como funcionam os passeios pelas vinícolas da região do Douro, como a Quinta do Seixo. Estaremos de carro, mas para degustar não poderemos ir dirigindo, e, assim, pensamos em eventuais excursões, não precisa ser nada privativo, o importante, para nós, é a história, o sabor e a paisagem. Vocês sabem me informar se há serviços de agências que levam do Porto até as quintas, ou seria melhor se hospedar (uma noite!) mais próximo às vinícolas para ter acesso a este tipo de serviço e poder degustar sem medo de se embriagar (rs!!).
    Mais uma vez parabéns pela riqueza de detalhes e informações excelentes!!!

    • Rafael Boro
      Rafael Boro em

      Olá, Mariane
      Tudo bem?
      Agradecemos o carinho e os elogios ao Cultuga! <3 Esse feedback é muito importante para nós. 🙂

      Quatro noites é um bom período para ficar no Porto. Vocês podem dividir dois dias na cidade e os outros para um bate-volta a Braga, Aveiro ou Guimarães, além do Alto Douro.
      Vocês não precisam se preocupar muito com a questão de fazer uma degustação e dirigir (lógico, não dá para passar dos limites rs). Por ser uma área que a economia gira em torno do vinho e quase todo mundo que está lá bebe, a fiscalização é muito pequena. Quando há blitz (chamada de "operação stop" aqui em Portugal), a polícia avisa. Mas geralmente acontece em feriados, festivais ou grandes eventos. Estando de carro, vocês terão mais mobilidade e liberdade na viagem, além de aproveitarem melhor a vista. As excursões acabam sendo muito "batidonas" e por vezes cansativas. Uma boa alternativa para "descer o alcool" é fazer o passeio das quintas após ao almoço e na sequência aproveitar a paisagem da região. Voltando, assim, mais tarde para o Porto. 😉

      Quinta do Seixo, Quinta da Pacheca e Quinta do Vallado são locais com ótimos passeios. Geralmente, os programas são bem parecidos: visita guiada pela propriedade para a conhecer toda a história, bem como os processos de vinificação e uma prova de vinhos com direito a uma pequena explicação sobre os vinhos. Algumas oferecem pic-nic, passeios de bicicleta, almoços ou petiscos.

      Caso vocês queiram dormir lá, indicamos a Casa do Romezal. É um local super agradável, vista linda e os proprietários são muito simpáticos. Gostamos bastante deles: https://www.cultuga.com.br/2016/12/onde-dormir-na-regiao-douro-casa-do-romezal/

      Um forte abraço e façam uma boa viagem!

Deixe um comentário