Pastéis de Belém: impossível comer um só

0

Uma das perguntas que mais ouço durante os passeios guiados que eu e o Rafa fazemos por Lisboa é: “Vale a pena ir aos Pastéis de Belém?”. COMO? É claro que sim 😀

Pastéis de Belém: impossível comer um só

Eu até entendo essa dúvida, pois tem gente que morre de medo desses locais mega movimentados que, por vezes, podem parecer pega-turista. Falo como uma viajante repetente e moradora da cidade, pois estive por aqui em viagem diversas vezes antes de escolher Lisboa como minha base.

Veja quais doces típicos de Portugal que você PRECISA experimentar!

O sucesso dos Pastéis de Belém

Os Pastéis de Belém (a Antiga Confeitaria de Belém), onde estão, são de 1837. Portanto, uma das lojas centenárias da cidade e, se não fosse o tamanho sucesso que fez ao longo de sua história, não veríamos pastéis de nata aos montes por todo o país (e fora dele).

Quantos tabuleiros de Pastéis de Belém você quer? ?? #pasteisdebelem #lisboa #portugal #cultuga

A post shared by Cultuga – Dicas sobre Portugal (@cultugaoficial) on

As pessoas viajavam de barco a vapor do centro histórico de Lisboa, na época, só para comer os pastéis. Daí achar que não vale a pena porque sempre está cheio de turistas? Quer outra boa justificativa? Saem 20 mil pastéis por DIA. Por isso, eles também estão sempre fresquinhos.

A loja abre todos os dias do ano, inclusive no Natal e no Ano Novo, e não são comercializados somente Pastéis de Belém por lá. Há ainda salgados, lanches, outros doces e bebidas diversas.

pasteis de belém

A fachada e todo o interior têm lindos azulejos e a calçada personalizada. Você não gosta de doces? Não se preocupe, lá também tem ótimos salgados. 😉

Ao chegar na porta, não se assuste com a fila gigante. Aquelas pessoas que estão ali vão comprar pastéis de Belém para levar. Entre e percorra as muitas salas que a confeitaria tem. Se todas as mesas estiverem ocupadas, vá até a última área, que é enorme. Perceba que uma fila é formada do lado esquerdo. Não se preocupe, pois ela é bastante rápida. Um funcionário vai direcioná-lo a uma mesa vazia.

Salão dos Pastéis de Belém em Lisboa

De um modo geral, não é necessário chamar o garçom em restaurantes e pastelarias em Portugal. Ele vai a sua mesa perguntar o que você precisa. Nos Pastéis de Belém, note que são muitos atendentes no salão. Cada um é responsável por uma ou duas fileiras da sala. Por isso, de nada adianta chamar qualquer um deles. Fique tranquilo, pois o atendente responsável pela mesa em que você está sentado vai tirar o seu pedido. Tenha paciência 🙂

Outra coisa que vale lembrar é que os Pastéis de Belém somente podem ser chamados assim nessa confeitaria. A receita é original do Mosteiro dos Jerónimos e, depois da extinção das ordens religiosas (pós Guerra Civil Portuguesa, 1828-1834), a receita foi passada para esse vizinho (sortudo) – que manteve o “segredo” do creme desde 1837.

Veja bem, isso não significa que não há outros excelentes pastéis de nata em Lisboa (e também por Portugal). Experimente todos aqueles que você puder. Há casquinhas finas, grossas, mais estaladiças, menos crocantes, mais oleosas, mais sequinhas, cremes bem doces, outros menos doces, alguns mais líquidos, outros mais espessos… Enfim, mas há muitos deliciosos por aí!

Pastéis de Belém/ Antiga Confeitaria de Belém
Endereço: R. Belém 84-92 – Lisboa
Horário: aberto todos os dias. De 1 de outubro a 30 de junho, das 8h às 23h. De 1 de julho a 30 de setembro, das 8h às 00h. Nos dias 24, 25, 31 de dezembro e 1 de Janeiro, a loja fecha às 19h.

 

Organize AQUI a sua viagem para Portugal!

icon-saude

Parcele o seguro saúde na Real Seguro Viagem em 6x SEM JUROS

icon-carroVeja os melhores preços para alugar um carro

icon-hotel

Reserve o seu hotel no Booking, com cancelamento gratuito

Conheça os serviços exclusivos do Cultuga

icon-tour

Deseja ter a nossa companhia em Lisboa? Faça um tour conosco

icon-consultoria

Reserve um transfer ou city tour com os nossos parceiros em Portugal

icon-foto

Faça um ensaio fotográfico em Lisboa ou no Porto

Veja o índice de artigos do Cultuga para ajudar no planejamento do seu roteiro ❤

Compartilhe.

Sobre o autor

Priscila Roque

Sou jornalista especializada em cultura e fotógrafa. Foi preciso passar dos 30 anos para assumir que Lisboa é, realmente, o meu lugar no mundo. Mas a paixão por Portugal começou bem mais cedo, ainda na adolescência, quando descobri alguns músicos locais. Os meus pais são portugueses imigrados no Brasil. Depois de fazer o caminho inverso deles, trocando São Paulo por Lisboa, quero agora, com o Cultuga, diminuir a distância que separa o Brasil de Portugal.

Deixe um comentário