Águeda: fomos ver as ruas das sombrinhas coloridas!

2

Ainda era madrugada quando saímos de casa, em Lisboa, rumo a Águeda – a famosa terra que se enche de alegria durante o verão com ruas cobertas de sombrinhas coloridas ♥

Fomos a convite da Câmara Municipal de Águeda para participar das Jornadas Internacionais de Turismo e, após esse evento – que reuniu profissionais e interessados em discutir a promoção e a parceria de destinos, aproveitamos para percorrer esse cantinho português que já estava na nossa lista de desejos há muito tempo…

Fomos a Águeda participar das Jornadas Internacionais do Turismo. Fotos: Câmara Municipal de Águeda

Roteiro: o que fazer em Águeda?

Como chegar

Nós optamos pelo transporte público. Assim, pegamos o trem Alfapendular a partir de Lisboa-Santa Apolónia e descemos em Aveiro, na região centro de Portugal (essa passagem pode ser comprada antecipadamente pelo site da CP e o percurso dura, em média, 2h10). Depois, seguimos com um trem regional (Linha do Vouga) de Aveiro a Águeda. Por ser um percurso regional, a passagem é comprada na hora, na própria bilheteria da estação, e o percurso é de, aproximadamente, 40 minutos.

Algumas considerações a fazer sobre essa viagem: apesar do trem ser bem velhinho, que faz a conexão entre Aveiro e Águeda, o percurso é delicioso. Percorremos aquela paisagem bucólica e interiorana, de levar os pensamentos para longe. Como o meu pai nasceu no distrito de Aveiro, quanto mais eu conheço a região, mais fico encantada com detalhes tão simples como esse.

Mas, pelo visto, não sou só eu. Nesse verão, a CP colocou um trem histórico para fazer a Linha do Vouga, justamente incluindo esse percurso apaixonante com Aveiro e Águeda. Como funciona somente aos sábados, não conseguimos ter essa experiência. Entretanto, fica ativo até o dia 30 de setembro de 2017 e deixo a dica aos viajantes deste verão.

Outro ponto importante é que a estação de Águeda fica bem perto do centro histórico, onde estão as ruas com os guarda-chuvas coloridos. Portanto, dá para fazer facilmente em um bate-volta de Aveiro, ou até pernoitar na cidade.

Quem viaja com carro alugado, pode incluir facilmente Águeda em um roteiro casado com Aveiro, pois as estradas são boas e bem sinalizadas. Em meia hora você chega lá.

Quanto tempo ficar e onde dormir em Águeda?

Águeda é uma pequena cidade do distrito de Aveiro, com 11 mil habitantes. O seu cartão postal são as sombrinhas coloridas idealizadas pela Sextafeira Produções, que alegram de uma forma muito particular as ruas no verão e marcam o principal evento cultural promovido pela Câmara, o AgitÁgueda, desde 2012.

Portanto, para quem deseja ver esses guarda-chuvas, eles ficam espalhados pelas principais ruas do centro histórico entre os meses de julho e setembro. Para dar uma volta a cidade e sentir sua atmosfera, meio período basta. Porém, para quem vai efetivamente no mês de julho, aconselho pernoitar por aqui, para que também possa aproveitar o festival AgitÁgueda, que tem uma programação muito consistente, gratuita e de excelente qualidade todos os dias (vimos um pouquinho do show da banda portuguesa Amor Electro – que eu a-do-ro. Boa estrutura para familias com crianças, inclusive. Na programação desse ano teve até Ugly Kid Joe como atração internacional – lembra deles?).

Arena em que acontecem os shows do AgitAgueda durante o mês de julho

Pernoitar em Águeda também pode ser uma boa opção para quem deseja fugir dos grandes centros turísticos do país, no percurso que liga Lisboa ao Porto. Ela fica a menos de 15km da A1, a principal autoestrada do país.

Por indicação da Câmara Municipal de Águeda,  nos hospedamos no alojamento local XPT Águeda. Ele é novíssimo, tem uma excelente atmosfera e a gestão é familiar. Conhecemos o Tiago, que toma a frente da organização, e ele foi muito gentil conosco e nos deixou bastante a vontade.

O nosso quarto em Águeda

A ressalva é que, por ser em um edifício histórico, não há elevador. Por isso, não indico para quem está com malas grandes ou tem limitação de mobilidade. Fora isso, a cama é bastante confortável, tem uma pequena televisão e um ótimo chuveiro. Além dos quartos com banheiro privativo, que foi o caso do nosso, eles ainda possuem quartos coletivos para os mochileiros e peregrinos (há um Caminho de Fátima e um Caminho de Santiago de Compostela que passam por aqui).

Vista a partir do topo do XPT Águeda

Agenda dos principais eventos

  • Agitágueda – durante o mês de julho (mas os guarda-chuvas coloridos ficam de julho a setembro)
  • Festa do Leitão e Mostra de Artesanato –  primeira semana de setembro (quarta-feira a domingo)
  • Sextas Culturais – na segunda sexta-feira de cada mês, de outubro a maio

Graciosidade dos caminhos coloridos de Águeda

Chegamos na sexta-feira e ficamos até domingo, por conta das Jornadas Internacionais de Turismo. Além do nosso percurso diário e a pé entre a hospedagem e o recém-inaugurado Centro de Artes de Águeda (que tem uma boa agenda de eventos culturais para o ano todo), também caminhamos fora de horas pelas ruas da cidade em busca de bonitas fotografias.

Centro de Artes de Águeda

Jornadas Internacionais do Turismo, no Centro de Artes de Águeda

Era comecinho de julho e a cidade estava com bastante movimento. Mas algo que me chamou logo a atenção foram os auto-falantes que embalaram o nosso passeio com uma boa trilha sonora ao meio da tarde. Aliás, isso é algo que me cativa bastante – e não somente no verão. Há cidades que colocam música nos auto-falantes das ruas do centro histórico. Lembro que foi assim no inverno da Guarda e também em Coimbra (nesta, confesso que foi mágico. Quando chegávamos perto da Igreja de Santa Cruz, começou a tocar “Coimbra é uma lição/ De sonho e tradição/ O lente é uma canção/ E a lua a faculdade….”).

Sobre os guarda-chuvas que cobrem as ruas, eles são realmente marcantes, de encher os olhos e rendem inúmeros cliques. É incrível ver como um projeto criativo, jovem e tão colorido transformou a rotina de uma cidade e ultrapassou fronteiras. Em 2014, entrevistei a Patricia Cunha, uma das idealizadoras dessa instalação, que me contou como foi o desenvolvimento do “Umbrella Sky Project“. Desta vez, também tive a oportunidade de conhecê-la pessoalmente durante as Jornadas.

Que delícia perceber esse engajamento e a preocupação de alguém da terra em fazer algo que deixou uma marca permanente em Águeda. O quanto a arte pode fazer por um espaço, agregando valor, e ao seu povo. Ainda, perceber que além do esforço da produtora em fazer parte dessa bonita festa de verão todos os anos, a Câmara Municipal “oficializou” e adotou o projeto também como sua marca.

Apesar de atrair visitantes do mundo todo, senti uma vida local muito presente nos bancos, nos cafés e nas esquinas. Há ainda muitos habitantes da melhor idade que andam de moto por lá – homens e mulheres.

E o cheiro de frango de churrasco…? Taí outra lembrança que me toca pessoalmente. A família do meu pai é da Gafanha da Nazaré (30km de Águeda), uma região famosa pela salga do bacalhau. Aliás, há muitas especialidades por aqui. Mas, confesso, que o cheiro do frango, ai, ai, ai. Se tem algo que as minhas tias não abrem mão é de comer um frango assado. Nham!

Fecho as indicações da cidade sugerindo ainda uma passagem pelo posto de turismo. Fomos muito bem atendidos pela Sra. Madalena, que nos deu boas indicações sobre a cidade e nos ofereceu o novo mapa de Águeda, com um material de muito bom gosto sobre a arte de rua local. Aproveitamos para comprar um imã de guarda-chuva colorido, claro, para lembrarmos dos bons momentos que passamos por aqui 🙂

Obra do artista português Bordalo II

Doces portugueses que você PRECISA experimentar

Onde comer em Águeda

Assim como toda cidade portuguesa que se preze, esse cantinho também tem sua especialidade na doçaria regional. São os Pastéis de Águeda – com açúcar, ovos e amêndoas (só para fazer invejinha: ganhamos duas caixas deles no evento para levar a Lisboa. Ui!). Logo que chegamos, antes mesmo de entrar no evento, fizemos uma breve pausa na Almendrina, uma padaria e pastelaria que fica na Praça da República, para provar. Bom atendimento, ótimos preços e excelente para um café da manhã.

Almendrina: para o café da manhã

Pastel de Águeda

Se você pretende almoçar ou jantar por aqui, deixo também a dica d’ O Típico (fica na Rua Dr. Manuel Alegre, 42. Fora das principais ruas do centro histórico, mas bem fácil de chegar a pé). Restaurante familiar, com ambiente muito agradável e boa comida tradicional. Nos serviram os clássicos arroz de pato e bacalhau com natas. Bom, inclusive, para grupos de amigos e famílias numerosas, pois eles conseguem juntar as mesas. Basta solicitar a reserva antecipadamente.

Organize aqui a sua viagem para Portugal

icon-saude

Faça o Seguro Viagem com a Real Seguro Viagem em 6x sem juros

icon-carroVeja os melhores preços para alugar um carro na Rental Cars

icon-hotel

Reserve o seu hotel em Águeda pelo Booking, com opção de cancelamento gratuito

Serviços do Cultuga

icon-tour

Deseja ter a nossa companhia durante a sua visita a Lisboa? Faça um tour conosco

icon-consultoria

Apaixone-se por Portugal com a nossa consultoria de viagem

icon-foto

Leve um suvenir diferente da sua viagem: faça um ensaio fotográfico

Veja também o índice de artigos do Cultuga para ajudar no planejamento do seu roteiro com muitas dicas, sugestões de rota e outras informações sobre Portugal 🙂

Compartilhe.

Sobre o autor

Priscila Roque

Sou jornalista especializada em cultura e fotógrafa. Foi preciso passar dos 30 anos para assumir que Lisboa é, realmente, o meu lugar no mundo. Mas a paixão por Portugal começou bem mais cedo, ainda na adolescência, quando descobri alguns músicos locais. Os meus pais são portugueses imigrados no Brasil. Depois de fazer o caminho inverso deles, trocando São Paulo por Lisboa, quero agora, com o Cultuga, diminuir a distância que separa o Brasil de Portugal.

2 comentários

Deixe um comentário