Como usar o transporte público do Porto?

0

Você está com viagem marcada para Portugal e terá alguns dias para percorrer o Porto? Então saiba que boa parte das atrações podem ser feitas a pé. Entretanto, com o alto desnível da cidade, pode ser que você fique cansado – sobretudo ao fim do dia – e, assim, utilizar o transporte público pode ajudar bastante.

Outros dois pontos importantes são a experiência, como no caso do bondinho (o “elétrico”, em Portugal), e os percursos para fora da cidade, em bate-volta. Acompanhe esse artigo, que vou te ensinar como fazer o melhor uso do transporte público do Porto!

Como usar o transporte público do Porto?

Item necessário: cartão Andante

Parte dos transportes públicos urbanos da cidade são integrados por um cartão reutilizável, o Andante (Azul). Você vai ouvir falar bastante nele!

Para comprá-lo e fazer a recarga, basta usar as máquinas automáticas dispostas nas estações de metrô e trem, além das bilheterias desses mesmos lugares, nos postos da STCP (a empresa que gere os ônibus do Porto) e também lojas Andante. O custo é de 0,60€.

Tome cuidado com o seu cartão porque ele tem um chip bastante sensível e guarde sempre os comprovantes de carregamento. Dessa forma, caso você tenha algum problema durante a viagem (chamado de “avaria”), poderá comprovar o pagamento.

Os créditos do Andante podem ser colocados utilizando moedas ou notas. Cada viajante deve ter o seu próprio cartão. Não é permitido utilizá-lo para duas pessoas em simultâneo.

Valide SEMPRE o seu cartão nas máquinas dispostas na plataforma (ou antes delas) antes de entrar no trem, metro ou ônibus! Grande parte das estações do Porto não possuem catraca, mas há diversas máquinas validadoras na entrada ou na plataforma. Você pode validar com, no máximo, 10 minutos de antecedência do embarque. Não é necessário validar o bilhete na saída, somente nas trocas de linha ou de transporte.

Esteja atento: o cartão chamado “Andante Tour” não vale a pena para quem pretende conhecer somente a região principal do Porto e de Vila Nova de Gaia. Custa mais caro e oferece o mesmo serviço da tarifa 24 horas do Andante (Azul).

Opções de carregamento do Andante

Título de Viagem Z2: 1,20€
Validade de 1 hora a partir da primeira validação. Para andar entre o Porto e Vila Nova de Gaia de ônibus e metro, por exemplo. Com ele, no momento em que você valida o bilhete na zona C1, poderá viajar pelas três que fazem fronteira com ela, no primeiro anel, que são as C2, C6 e S8. Na compra de 10 títulos, você recebe 1 gratuitamente

Andante 24 Z2: 4,15€
Válido por 24 horas a partir do primeiro uso para dois anéis. Com ele, no momento em que você valida o bilhete na zona C1, por exemplo, poderá viajar pelas três que fazem fronteira no primeiro anel, que são as C2, C6 e S8.

Para andar entre mais zonas do Porto, você poderá usar o mesmo cartão, mas precisará carregar com outras categorias, como a Z3, Z4, etc.

Caso tudo isso pareça grego rs., não se preocupe, pois ao lado de todas as máquinas há uma tabela de fácil consulta para encontrar qual é a tarifa que você precisará carregar para determinado destino.

Atenção! O Andante (Azul) com os carregamentos aqui indicados – chamados de “ocasionais” – só pode ser usado no ônibus, metro e trem urbano. Ele não é válido para os elétricos e para o Funicular dos Guindais (para estes, compre o bilhete individualmente).

O cartão Andante tem validade de 1 ano e pode ser reutilizado. Portanto, ao final da sua viagem, poderá levá-lo de volta ao Brasil e oferecer a um amigo que esteja com embarque marcado para Portugal 🙂

Conheça os principais transportes urbanos do Porto

Metro do Porto

metrô, em Portugal, não tem acento circunflexo e é chamado de metro (se pronuncia “métro”)

Site: www.metrodoporto.pt
Horário de funcionamento: 6h à 1h

A Área Metropolitana do Porto é servida por uma rede de metro com 6 linhas:

  • Linha A: Estádio do Dragão – Senhor de Matosinhos;
  • Linha B: Estádio do Dragão – Póvoa de Varzim;
  • Linha C: Campanhã – ISMAI;
  • Linha D: Hospital de S. João – Santo Ovídio;
  • Linha E: Estádio do Dragão – Aeroporto;
  • Linha F: Senhora da Hora – Fânzeres.

Assim como já indicamos nesse artigo, muitas estações não têm catraca. Entretanto, procure sempre as máquinas para validar o seu cartão Andante antes de entrar no transporte. Não é preciso validar para sair, somente para trocar de linha. Veja o mapa completo da rede.

Outro ponto importante é que você poderá utilizar o metro para se deslocar entre o Aeroporto do Porto e o centro de forma bastante simples – sobretudo se estiver com pouca bagagem.

Faça um ensaio fotográfico no Porto

Autocarros STCP, os ônibus do Porto

ônibus = autocarro
ponto = paragem
linhas de ônibus = carreiras

Site: www.stcp.pt
Horário de funcionamento: 24h (com revezamento entre as linhas diurnas e noturnas)

Os ônibus do Porto são identificados por nomes e números. Entretanto, é muito comum as pessoas indicarem somente o número deles, sem o nome.

Nos pontos, há folhetos indicando quais aqueles que passam por ali, o caminho eles fazem e os horários de serviço. Assim como no Brasil, para chamar o ônibus no Porto é preciso fazer “sinal”.

A entrada é feita pela porta da frente. Mas, atenção antes de embarcar: verifique se uma fila está sendo formada para a entrada no ônibus.

Se você não tiver o cartão Andante (Azul) carregado, poderá pagar a passagem diretamente para o motorista – esse bilhete é chamado de “Agente Único” (1,95€).

Funicular dos Guindais – da Ribeira a Batalha

Site: www.metrodoporto.pt
Horário de funcionamento: de novembro a março, dom. a quinta, das 8h às 20h; sexta e sábado, das 8h às 22h. De abril a outubro, dom. a quinta, das 8h às 22h; sexta e sábado, das 8h às 0h. Fecha dia 25 de dezembro e pode ter horários especiais em outros feriados.
Endereço: Rua Augusto Rosa (Batalha)/ Av. Gustavo Eiffel (Ribeira)
Preço: 2,50€ somente ida (bilhete vendido apenas no Funicular)

Subir da Ribeira até a região da Praça da Batalha, no centro histórico do Porto, pode se tornar menos cansativo, sobretudo ao fim de um dia de muitas caminhadas, utilizando o Funicular dos Guindais.

Esse é um transporte originalmente datado de 1891 (construído, na época, pelo Raul Mesnier – o mesmo do Elevador de Santa Justa, em Lisboa, e tantos outros ascensores do país). Entretanto, passou mais de 100 anos fechado após um acidente, antes mesmo da virada do século XX.

Somente depois dos anos 2000 é que o espaço ganhou um novo funicular, mais moderno e seguro, para fazer o trajeto entre a zona da Ribeira a a Praça da Batalha, ligando duas partes emblemáticos do centro histórico da Cidade Invicta.

Comboios Urbanos: para usar os trens do Porto

Cartão da CP usado para bate-voltas como Aveiro, Guimarães e Braga

Trem = Comboio

Site: www.cp.pt
Horário de funcionamento: varia de acordo com a linha pretendida
Preço da passagem: varia de acordo com o trecho pretendido. Em alguns trechos dos comboios urbanos do Porto o cartão Andante (Azul) pode ser utilizado (do Porto a Espinho). Mas, para fazer bate-volta a algumas das cidades mais famosas dos arredores, é preciso comprar o cartão da CP (0,60€) e carregar com a passagem pretendida (como Aveiro, Braga e Guimarães, por exemplo). As passagens estão à venda nas bilheterias e também nas máquinas automáticas das estações.

Os comboios com destino ao Grande Porto e demais regiões de seus arredores são baratos e confortáveis.

A maioria tem como ponto de partida a estação Porto São Bento (aquela com painéis lindíssimos de azulejos). Você poderá circular entre as regiões do Porto, de Guimarães, de Braga e de Aveiro, por exemplo, de forma bastante rápida, fácil e pagando pouco.

Veja um roteiro completo e detalhado para viajar de trem em Portugal

Elétricos do Porto: o popular bondinho

bonde/ tram = elétrico

Site: www.portotramcitytour.pt
Horário de funcionamento: varia de acordo com a linha pretendida
Preço da passagem: 3€ (comprado diretamente com o motorista)
Linhas: 1 – Linha da Marginal (Infante – Passeio Alegre), 18 – Linha da Restauração (Massarelos – Carmo/ Circular) e 22 – Linha da Baixa (Carmo – Batalha/ Circular)

Todos os bondinhos do Porto são originais das décadas de 1920, 1930 e 1940 e foram totalmente remodelados. Entretanto, a primeira linha começou a circular em 1872, e fazia o percurso entre o Carmo e a Arrábida.

Passear de elétrico no Porto é delicioso, sobretudo com a linha 1 – que beira o rio Douro. Esta viagem liga o Jardim do Infante Dom Henrique, ao lado da (imperdível) Igreja de São Francisco, até o Jardim do Passeio Alegre (para quem quer ver um pôr-do-sol de perder o fôlego na Foz do Douro).

Organize AQUI a sua viagem para Portugal!

icon-saude

Parcele o seguro saúde na Real Seguro Viagem em 6x SEM JUROS

icon-carroVeja os melhores preços para alugar um carro

icon-hotel

Reserve o seu hotel no Booking, com cancelamento gratuito

Conheça os serviços exclusivos do Cultuga

icon-tour

Deseja ter a nossa companhia em Lisboa? Faça um tour conosco

icon-consultoria

Reserve um transfer ou city tour com os nossos parceiros em Portugal

icon-foto

Faça um ensaio fotográfico em Lisboa ou no Porto

Veja o índice de artigos do Cultuga para ajudar no planejamento do seu roteiro ❤

Compartilhe.

Sobre o autor

Priscila Roque

Sou jornalista especializada em cultura e fotógrafa. Foi preciso passar dos 30 anos para assumir que Lisboa é, realmente, o meu lugar no mundo. Mas a paixão por Portugal começou bem mais cedo, ainda na adolescência, quando descobri alguns músicos locais. Os meus pais são portugueses imigrados no Brasil. Depois de fazer o caminho inverso deles, trocando São Paulo por Lisboa, quero agora, com o Cultuga, diminuir a distância que separa o Brasil de Portugal.

Deixe um comentário