Portugal: roteiro completo e delicioso para viajar de trem

4

Viajar de trem é um dos tipos de roteiro que os brasileiros mais buscam quando viajam a Europa. Poder apreciar caminhos e descobrir as peculiaridades desse transporte que, infelizmente, é pouco explorado no Brasil, realmente encantam.

Fazer um roteiro de trem em Portugal pode ser uma agradável surpresa. Apesar da rede ferroviária portuguesa não cobrir todo o país, há caminhos de ferro muito bonitos e, de um modo geral, essa é uma viagem barata e bem fácil de ser feita.

Roteiro em Portugal completo para viajar de trem 

Para este roteiro de viagem, sugiro que você compre sua passagem aérea com chegada por Lisboa e retorno a partir do Porto. Assim, você poderá poupar um dia de deslocamento.

Outro ponto importante é que indicamos aqui um roteiro mais alargado que percorre diversas regiões de Portugal de sul a norte para ser feito em um percurso de 20 dias, aproximadamente. Entretanto, se você tem 10 ou 15 dias para essa viagem, basta focar nas bases de Lisboa e do Porto somente. A partir dessas duas cidades, é possível fazer a maioria dos bate-voltas aqui indicados, exceto do Algarve – que é mais longe e não vale a pena ir e voltar no mesmo dia. 

Como ir de Lisboa a Évora

No caminho de Lisboa a Évora: a oportunidade de cruzar a Ponte 25 de Abril sobre o rio Tejo

Como se preparar para uma viagem de trem em Portugal?

Portugal tem uma rede ferroviária boa. Não é tão ampla como deveria para servir a população. Mas, para quem viaja pelo país, consegue fazer alguns percursos muito bonitos e bem agradáveis.

Veja quais são os pontos que você deve ter atenção ao fazer este roteiro:

  • A maior parte dos bate-voltas aqui indicados são feitos em 1h – 1h30, aproximadamente. Por isso, é possível fazer em qualquer época do ano;
  • Para quem costuma ficar enjoado em viagens, saiba que há alguns trens que balançam um pouco mais do que outros em Portugal. O Rafa, por vezes, enjoa. Para ele, o trem Alfapendular, que é o mais rápido, costuma dar uma nhaca. Os trens urbanos e regionais, por serem mais lentos, são tranquilos nesse aspecto. Assim, vale a pena levar um remédio fraquinho e uma garrafa de água para garantir. Mas não tome um remédio que dê sono, pois as viagens são muito curtas;
  • Não é preciso (nem possível) comprar todas as passagens de trem antecipadamente. Somente é recomendado comprar para as viagens de longo curso (como Lisboa a Évora ou Faro ao Porto, por exemplo). Para trens urbanos e regionais, você precisará comprar um cartão específico em cada região (que custa de 0,50€ a 0,60€ de acordo com o local e são vendidos na estação) e carregar com o valor da passagem desejada ou comprar a passagem diretamente nas bilheterias (no caso específico da linha regional do Algarve, de Lagos a Vila Real de Santo António, em que não há o uso de cartão);
  • Todos os horários e trajetos de trem podem ser consultados no site da CP;
  • Lembre-se: em Portugal, os trens são chamados de comboios!

Os tipos de trem que você vai usar

Antes de organizar a sua viagem, é importante você saber quais são os tipos de trem indicados nesse roteiro:

Portugal de trem

Nos trens de longo curso, você poderá escolher também por poltronas que compartilham mesa

Comboio urbano (U)

Esses trens são usados para o transporte público comum e circulam nos arredores das cidades principais. Em Lisboa, por exemplo, você vai utilizá-lo para ir a Sintra ou a Cascais.

O fluxo de partidas é diário e em alto volume. Portanto, para utilizá-lo, não é necessário comprar bilhetes antecipadamente com horário marcado (nem mesmo é possível). Basta ter o cartão do transporte – que você poderá comprar na bilheteria – e fazer o carregamento de acordo com o seu destino final. Tenha atenção que o cartão utilizado em Lisboa não é o mesmo do Porto. Será necessário comprar um novo cartão em cada uma dessas regiões para fazer seu uso.

Nesses trens não há banheiros e lanchonete.

Comboio regional (R) e interRegional (IR)

Esses trens também são usados para o transporte público comum, mas abrangem regiões vizinhas. No Porto, por exemplo, você vai utilizá-lo para ir ao Alto Douro Vinhateiro, região produtora dos vinhos do Porto, que fica a cerca de 120km de distância.

O fluxo de partidas é menor. Por isso, é ideal verificar antecipadamente no site da CP os horários de partida para a época da sua viagem.

Para utilizá-lo, não é necessário comprar bilhetes antecipadamente com horário marcado. Basta ter o cartão do transporte – que você poderá comprar na bilheteria – e fazer o carregamento de acordo com o seu destino final. Tenha atenção que o cartão utilizado em Lisboa não é o mesmo do Porto. Será necessário comprar um novo cartão em cada uma dessas regiões para fazer seu uso.

Em algumas linhas regionais, como a do Algarve por exemplo (que liga Lagos a Vila Real de Santo António), é necessário comprar a passagem em papel mesmo, direto das bilheterias. Entretanto, não se preocupe em tentar identificar quando é cartão, quando é passagem em papel. Basta ir direto ao guichê da estação e perguntar qual é o tipo de passagem necessária para o percurso que deseja fazer, pois não há diferenciação de valores neste caso.

Nesses trens não há lanchonete e, em alguns, nem banheiros.

Comboio Alfapendular (AP)

Esses são os trens mais rápidos que circulam em Portugal e também os mais confortáveis. As viagens são de longo curso, por isso, também mais caras.

Há divisão entre a classe conforto (com bebida, jornal, fones de ouvido, tomada) e a classe turística. Com acesso a todos, há televisões nos corredores, banheiros e também um vagão com um pequeno bar.

Eles param em menos estações durante o trajeto.

Para este tipo de viagem, é possível comprar as passagens pela Internet a partir de 60 dias antes do embarque. Quanto antes você comprar, maior a chance de conseguir bons descontos (em alguns casos, até de 65%).

Comboio Intercidades (IC)

Esses trens fazem viagens de longo curso, tal como o comboio Alfapendular, mas chegando a um número maiores de cidades. Por isso, as viagens também são mais demoradas.

Há divisão entre 1ª classe (com tomada em alguns assentos e poltronas mais confortáveis) e a 2ª classe. Com acesso a todos, há banheiros e um vagão com um pequeno bar (exceto no percurso que indicamos aqui entre Lisboa e Évora. Neste, não há bar).

É possível também comprar as passagens pela Internet a partir de 60 dias antes da sua viagem. Quanto antes você comprar, maior a chance de conseguir bons descontos (em alguns casos, até de 65%).

Dia a dia: roteiro para viagem de trem por Portugal

Malas preparadas? Então vamos ao roteiro 🙂

Parte 1: base em Lisboa

Veja as nossas sugestões de locais para se hospedar no centro histórico de Lisboa, nas Avenidas Novas e também próximo ao Aeroporto e arredores do Parque das Nações.

Dia 1: Brasil – Lisboa

Tire o dia de chegada para descansar e percorrer os arredores da sua hospedagem. Não planeje atrações imperdíveis para este dia. O fuso horário, dependendo da época da viagem e da sua região do Brasil, pode ser de até 5 horas a mais. Lembre-se também que atrasos no voo, desconforto da poltrona, má alimentação ou a ansiedade em chegar logo ao destino podem te deixar mais cansados do que o que imagina.

Dia 2: Lisboa (centro histórico)

O que ver em Lisboa: Castelo de São Jorge

O rio Tejo, a Ponte 25 de Abril e a Baixa vistas a partir do Castelo de São Jorge

Aproveite para percorrer o centro histórico de Lisboa, que é bastante grande. Você poderá começar pelo Castelo de São Jorge, descer a pé pelo bairro de Alfama, visitando o Miradouro de Santa Luzia e a Sé Catedral. Na hora do almoço, caminhe pela Baixa Pombalina, que foi a região totalmente reconstruída da cidade após o Terremoto de 1755. Já ao final da tarde, suba ao Chiado, o bairro cultural e boêmio de Lisboa, que tem entre os seus principais personagens o Fernando Pessoa. É também no Chiado que está a Livraria Bertrand, a mais antiga em atividade no mundo. Por fim, não deixe de ir até o Miradouro São Pedro de Alcântara, para admirar de cima o percurso que você fez ao longo de todo esse dia.

O que ver em Lisboa: Castelo de São Jorge

A longa e impressionante escadaria que se abre para Lisboa

Veja as nossas sugestões de onde comer no centro histórico de Lisboa, com dicas de todas essas áreas citadas, seja para boas refeições, seja para deliciosos cafés.

Quer fazer uma visita guiada ao centro histórico de Lisboa? Fale com a gente 🙂

Dia 3: Sintra

Castelo dos Mouros, Sintra

Vista para o Castelo dos Mouros a partir do Palácio da Pena, em Sintra

De onde parte o trem: estação Lisboa Rossio ou estação Lisboa Oriente ou estação Lisboa Roma-Areeiro ou estação Lisboa Entrecampos ou estação Lisboa Sete Rios (todas elas com fácil conexão de metro/ escolha aquela que for mais próxima da sua hospedagem)
Tipo de trem: comboio urbano (U)
Custo médio/ pessoa: de 1,90€ a 2,25€ cada trecho
Onde comprar a passagem: na própria estação de trem (que possui bilheterias) ou nas máquinas automáticas. Você precisa comprar o cartão Lisboa Viva Viagem e fazer um carregamento em dinheiro com a modalidade Zapping (quando a passagem sai um pouco mais barata) ou então comprar um bilhete unitário de Lisboa a Sintra
Como validar a passagem: para embarcar em Lisboa e desembarcar em Sintra você passará por catracas em que a sua passagem será automaticamente validada. Caso você embarque em uma estação sem catracas, tenha atenção as máquinas eletrônicas disponíveis na plataforma. Basta encostar o cartão em uma delas para validar.
Tempo de viagem: 40 minutos cada trecho (aproximadamente)

Sintra é um bate-volta de Lisboa bem popular. E não por acaso, pois essa vila romântica parece ter saído das páginas de um conto de fadas e deixa qualquer viajante de queixo caído – além de, claro, ser bem fácil de chegar. Visitá-la é um dos passeios obrigatórios dos arredores da capital. Veja este guia que fizemos sobre o seu principal cartão-postal, o Palácio da Pena e a nossa sugestão de dia completo para fugir das longas filas.

Dia 4: Cascais

Praia da Rainha e Ribeira

Praia da Rainha, no centro da vila de Cascais

De onde parte o trem: estação Lisboa Cais do Sodré (tem ligação com o metro)
Tipo de trem: comboio urbano (U)
Custo médio/ pessoa: de 1,90€ a 2,25€ cada trecho
Onde comprar a passagem: na própria estação de trem (que possui bilheterias) ou nas máquinas automáticas. Você precisa comprar o cartão Lisboa Viva Viagem e fazer um carregamento em dinheiro com a modalidade Zapping (quando a passagem sai um pouco mais barata) ou então comprar um bilhete unitário de Lisboa a Cascais
Como validar a passagem: para embarcar em Lisboa e desembarcar em Cascais você passará por catracas em que a sua passagem será automaticamente validada. Caso você embarque em uma estação sem catracas, tenha atenção as máquinas eletrônicas disponíveis na plataforma. Basta encostar o cartão em uma delas para validar.
Tempo de viagem: 40 minutos cada trecho (aproximadamente)

Cascais é uma daquelas clássicas viagens em bate-volta a partir de Lisboa. Destino de muitos brasileiros que viajam para Portugal, a antiga vila de pescadores – e também de reis – tem como principal atração as suas praias. Entretanto, há muito para fazer em Cascais. Veja que bacana esse roteiro bem completo de Cascais que o Rafa já publicou aqui no Cultuga para qualquer época do ano.

Dia 5: Lisboa (Belém)

Vista aérea do bairro de Belém Lisboa

Doca de Belém, rosa dos Ventos, Praça do Império e Mosteiro dos Jerónimos vistos do mirante do Padrão dos Descobrimentos, em Belém

Pausa nos percursos de trem para aproveitar mais um dia completo em Lisboa. A sugestão de hoje é o bairro de Belém. Aqui que estão os principais monumentos da capital, construídos durante a Era dos Descobrimentos: a Torre de Belém e o Mosteiro dos JerónimosEsse é um daqueles passeios que não pode faltar no seu roteiro de viagem a Portugal, pois não é somente uma região muito bonita, como também tem grande valor para a história que conecta Portugal ao Brasil. Portanto, pega esse guia completo com tudo o que você precisa saber para aproveitar um dia bem passado em Belém!

Dia 6: Évora

O centro histórico de Évora é envolvido por muralhas

De onde parte o trem: estação Lisboa Sete Rios (tem ligação com o metro Jardim Zoológico)
Tipo de trem: comboio Intercidades (IC)
Custo médio/ pessoa: a partir de 12,40€ cada trecho
Onde comprar a passagem: o ideal é comprar antecipadamente no site da CP, quando você poderá conseguir algum desconto. Entretanto, também é possível comprar pessoalmente nas bilheterias das principais estações de trem do país
Como validar a passagem: durante a viagem, passará um bilheteiro por todos os passageiros para conferir a passagem (seja na tela do seu celular, seja impresso em papel). Tenha sempre o seu documento de identificação em mãos (passaporte, cartão cidadão ou cartão de residência).
Tempo de viagem: 1h30 cada trecho

No coração da região do Alentejo está Évorauma das minhas cidades portuguesas favoritas. Ela é riquíssima culturalmente e merece ser visitada, principalmente, por sua gastronomia, que inclui carne de porco, embutidos, azeites de alta qualidade e também vinhos intensos. Tenho a certeza que você vai adorar descobrir o que fazer em Évora e incluir esta cidade em seu roteiro de viagem a Portugal. Veja esse roteiro delicioso que sugerimos aqui no Cultuga.

Dia 7: Lisboa (Avenidas Novas e Parque das Nações)

Oceanário, em Lisboa

Oceanário: uma das atrações imperdíveis do Parque das Nações, em Lisboa

No último dia de Lisboa, aproveite para percorrer dois bairros que são emblemáticos para o desenvolvimento da cidade. Comece pelo Parque das Nações – onde está localizado o Oceanário, o teleférico e o Centro Comercial Vasco da Gama – e, depois do almoço, siga para o bairro das Avenidas Novas, para conhecer a Fundação Calouste Gulbenkian (com um jardim que vai divertir os viajantes mirins e um excelente museu com a coleção de arte do fundador), fazer compras no El Corte Inglés e finalizar o dia com a vista lindíssima do alto do Parque Eduardo VII.

Parte 2: base em Faro

Para sugestões de base por aqui, veja a guesthouse Opus One e o Lemon Tree Stay – com fácil acesso a partir da estação de trem de Faro e excelente custo/ benefício.

Dia 8: Lisboa – Faro

Faro, Algarve

Entrada para o centro histórico de Faro

De onde parte o trem: estação Lisboa Oriente ou estação Lisboa Entrecampos (ambas com ligação ao metro)
Tipo de trem: comboio Intercidades (IC) ou comboio Alfapendular (AP)
Custo médio/ pessoa:  a partir de 21,60€ cada trecho
Onde comprar a passagem: o ideal é comprar antecipadamente no site da CP, quando você poderá conseguir algum desconto. Entretanto, também é possível comprar pessoalmente nas bilheterias das principais estações de trem do país
Como validar a passagem: durante a viagem, passará um bilheteiro por todos os passageiros para conferir a passagem (seja na tela do seu celular, seja impresso em papel). Tenha sempre o seu documento de identificação em mãos (passaporte, cartão cidadão ou cartão de residência).
Tempo de viagem: de 3h a 3h30

Faça a sua viagem entre Lisboa e Faro bem cedo. Assim, você chega a tempo de almoçar bem e conhecer o centro histórico da capital do Algarve, que é bastante florida, com fachadas branquinhas, uma ria inspiradora e recheada de memórias. Neste artigo, temos um roteiro bem bacana para você aproveitar Faro a pé.

Atenção: há trens que não fazem o percurso direto de Lisboa a Faro. Esteja em alerta, caso seja necessário descer para fazer a baldeação (sobretudo para quem costuma cochilar no balancinho do trem)

Dia 9: Lagos

Praia do Camilo, Lagos

A Praia do Camilo tem fácil acesso de ônibus a partir do centro de Lagos

De onde parte o trem: estação de Faro (no centro histórico)
Tipo de trem: comboio regional (R)
Custo médio/ pessoa:  7,40€ cada trecho
Onde comprar a passagem: na bilheteria da própria estação de trem. Depois de adquirir a passagem em papel, é só entrar no trem e esperar o bilheteiro passar para validá-la. Caso a bilheteria esteja fechada (em cidade pequenas é comum que o horário de funcionamento seja reduzido), informe o destino para o bilheteiro, quando ele passar pelo seu lugar, e pague diretamente para ele em dinheiro.
Como validar a passagem: durante a viagem, o bilheteiro vai passar pelo seu lugar para conferir a passagem e “picar” o seu bilhete
Tempo de viagem: 1h30 – 1h45 cada trecho

Lagos é uma cidade que tem como sua maior riqueza uma impressionante paisagem natural. O melhor disso tudo é que seu acesso é bem fácil e o transporte público chega a locais muito bonitos rapidamente. Além das praias, você também poderá aproveitar o centro histórico que é uma gracinha. Veja esse roteiro completo que já publicamos aqui no Cultuga para organizar este dia de viagem.

Dia 10: Tavira

Ponte Romana de Tavira sobre o rio Gilão

Ponte romana e rio Gilão, em Tavira

Estação de trem de Tavira, Portugal

Estação de trem de Tavira, no Algarve

De onde parte o trem: estação de Faro (no centro histórico)
Tipo de trem: comboio regional (R)
Custo médio/ pessoa:  3,20€ cada trecho
Onde comprar a passagem: na bilheteria da própria estação de trem. Depois de adquirir a passagem em papel, é só entrar no trem e esperar o bilheteiro passar para validá-la. Caso a bilheteria esteja fechada (em cidade pequenas é comum que o horário de funcionamento seja reduzido), informe o destino para o bilheteiro, quando ele passar pelo seu lugar, e pague diretamente para ele em dinheiro.
Como validar a passagem: durante a viagem, o bilheteiro vai passar pelo seu lugar para conferir a passagem e “picar” o seu bilhete
Tempo de viagem: 40 minutos cada trecho

Tavira é mais uma das minhas cidades favoritas no país. Ela vai te mostrar um outro Algarve, diferente daquele estereotipado pelos guias de viagem – que esbanja praias, mas pouco fala de sua história. Ela me surpreendeu por se mostrar não somente muito bonita e organizada, mas também por respirar sua própria cultura e demonstrar certo cuidado em querer perpetuar isso. Dá uma olhada no roteiro que nós fizemos por lá.

Parte 3: base em Aveiro

Aveiro tem muitas opções boas no centro histórico e com fácil acesso para quem viaja de trem. Tenha como referência a Av. Dr. Lourenço Peixinho, que é plana e tranquila para percorrer, se você estiver com pouca bagagem. Como as melhores hospedagens ficam a pouco mais de 1km de distância da estação, você poderá optar por ir a pé ou pegar um táxi. Veja, por exemplo, o moderno Hotel das Salinas e o mais tradicional Hotel Aveiro Center

Dia 11: Faro – Aveiro

o-que-fazer-em-aveiro-barco-moliceiro-cultuga

Os tradicionais barcos moliceiros de Aveiro

De onde parte o trem: estação de Faro (no centro histórico)
Tipo de trem: comboio Intercidades (IC) ou comboio Alfapendular (AP)
Custo médio/ pessoa: de 38€ a 67€
Onde comprar a passagem: o ideal é comprar antecipadamente no site da CP, quando você poderá conseguir algum desconto. Entretanto, também é possível comprar pessoalmente, nas bilheterias das principais estações de trem do país
Como validar a passagem: durante a viagem, passará um bilheteiro por todos os passageiros para conferir a passagem (seja na tela do seu celular, seja impresso em papel). Tenha sempre o seu documento de identificação em mãos (passaporte, cartão cidadão ou cartão de residência).
Tempo de viagem: entre 5h e 6h

A estação de Aveiro fica a poucos metros do centro histórico

Dia de mudar de base e rumar ao norte de Portugal. Esse será o maior trecho percorrido de trem neste roteiro, por isso também o mais caro. Assim, se for possível, compre com muita antecedência (a partir de 60 dias antes) para ter um bom desconto.

Sugiro uma base diferente das demais grandes cidades aqui indicadas (Lisboa/ Porto/ Faro) para que tenha uma outra experiência, que é Aveiro. Graciosa, romântica e colorida, é assim que você vai encontrá-la. Para mim, Aveiro também é uma daquelas cidades inesquecíveis de Portugal. Em nenhum cantinho desse país você encontrará nada parecido. Veja como aproveitar Aveiro nesse roteiro aqui.

Dia 12: Águeda

Águeda, Portugal

O centro de Águeda fica repleto de guarda-chuvas coloridos entre os meses de junho e setembro

De onde parte o trem: estação de Aveiro (pertinho do centro histórico, fácil chegar a pé)
Tipo de trem: comboio regional (R)
Custo médio/ pessoa: 2,15€ cada trecho
Onde comprar a passagem: na bilheteria da própria estação de trem. Depois de adquirir a passagem em papel, é só entrar no trem e esperar o bilheteiro passar para validá-la. Caso a bilheteria esteja fechada (em cidade pequenas é comum que o horário de funcionamento seja reduzido), informe o destino para o bilheteiro, quando ele passar pelo seu lugar, e pague diretamente para ele em dinheiro.
Como validar a passagem: durante a viagem, o bilheteiro vai passar pelo seu lugar para conferir a passagem e “picar” o seu bilhete
Tempo de viagem: 35 – 40 minutos cada trecho (aproximadamente)

Você já ouviu falar da terra dos guarda-chuvas coloridos? Essa é Águeda, mais um local para encher os olhos em Portugal, sobretudo se a sua viagem for entre os meses de junho e setembro, que é quando os guarda-chuvas estão espalhados pelas ruas de toda a cidade.

Se esse percurso calhar em um fim de semana do seu roteiro, verifique também na CP se haverá o comboio histórico servindo a linha. Além do percurso ser por um Portugal profundo e super rural, tem todo o clima de viajar em um trem bonitão e especial. Veja aqui as nossas sugestões para aproveitar e tirar fotos lindas em Águeda.

Entretanto, caso você faça essa viagem no outono/ inverno, use esse dia para permanecer em Aveiro ou para dar um pulinho (de táxi mesmo/ em 15 minutos) na Fábrica da Vista Alegre – a “inventora” da porcelana portuguesa, ativa desde 1824, com museu, lojinhas e oficina de pintura.

Dia 13: Coimbra

bate-volta-porto-coimbra-cultuga

O centro histórico de Coimbra visto da Ponte de Santa Clara

De onde parte o trem: estação de Aveiro (pertinho do centro histórico, fácil chegar a pé)
Tipo de trem: comboio regional (R) (ideal que seja este, pois é o mais barato e vai direto para a estação de Coimbra do centro histórico. Não é necessário se deslocar para a estação Coimbra-B)
Custo médio/ pessoa: 5,35€ cada trecho
Onde comprar a passagem: na própria estação de trem, que possui bilheterias e também máquinas automáticas. Você precisa comprar o cartão da CP e fazer um carregamento com o valor da passagem entre Aveiro e Coimbra
Como validar a passagem: nas estações sem catracas, tenha atenção as máquinas eletrônicas disponíveis na plataforma. Basta encostar o cartão em uma delas para validar antes do embarque.
Tempo de viagem: 1h cada trecho (aproximadamente)

Quando chego ao centro de Coimbra, é automático. Cantarolo mentalmente: “Coiiiiimbra é uma lição/ De sooooonho e tradição/ O lente é uma cançãããããão/ E a luuuua a faculdade”. De Aveiro a Coimbra é rapidinho e, com o trem urbano, você desembarca já no centro histórico da cidade. Por isso, sugiro que você passe o dia por aqui para conhecer, principalmente a Universidade e a Biblioteca Joanina – que são os cartões postais da cidade dos estudantes. Percorra também o centro histórico e a beira do rio Mondego, que é uma delícia. Se gosta de museus, o Museu Machado de Castro é fantástico (principalmente por sua estrutura). E, se você for embora mais a noitinha, aproveite também para conhecer as origens do Fado de Coimbra (que é diferente do de Lisboa) no Fado ao Centro.

Parte 4: base no Porto

Para ter facilidade no seu deslocamento, procure uma hospedagem próxima a Estação São Bento. É também o coração da cidade do Porto e com acesso a pé a maior parte das atrações. Uma das opções econômicas mais interessantes do centro do Porto é o Moov Hotel Porto Centro. Na mesma área, porém com mais conforto, tem também o excelente NH Collection Porto Batalha.

Dia 14: Aveiro – Porto/ Vila Nova de Gaia

Ribeira, Porto, Portugal

Fim de tarde incrível a beira do rio Douro, no Porto

De onde parte o trem: da estação de Aveiro (com destino a estação Porto São Bento)
Tipo de trem: comboio urbano (U) (ideal que seja este, pois é o mais barato e vai direto para a estação Porto São Bento, no centro histórico. Não é necessário se deslocar para a estação Porto Campanhã)
Custo médio/ pessoa: 3,50,€
Onde comprar a passagem: na própria estação de trem, que possui bilheterias e também máquinas automáticas. Você precisa comprar o cartão da CP e fazer um carregamento com o valor da passagem entre Aveiro e o Porto
Como validar a passagem: nas estações sem catracas, tenha atenção as máquinas eletrônicas disponíveis na plataforma. Basta encostar o cartão em uma delas para validar antes do embarque.
Tempo de viagem: 1h – 1h15 (aproximadamente)

Dia de fechar as malas e seguir para a última base, que é a cidade do Porto. Aconselho vivamente que escolha uma hospedagem no centro histórico da cidade. Assim, você poderá fazer a maior parte dos passeios e percursos em bate-volta a pé (pois os demais trens que vou sugerir aqui partem da estação Porto – São Bento).

Porto, Portugal

Use esse dia para desacelerar um pouco e descansar. Um passeio muito bonito é atravessar a Ponte D. Luís I, do Porto a Vila Nova de Gaia, por baixo para visitar uma cave de vinho do Porto. Depois, suba com o Teleférico de Gaia (ou a pé) para o Jardim do Morro, quando você poderá atravessar novamente a ponte, desta vez por cima, de Gaia ao Porto, para ter uma visão panorâmica de tirar o fôlego sobre o rio Douro – sobretudo ao fim da tarde. 

Dia 15: Porto (centro histórico)

Livraria Lello, Porto, Portugal

Livraria Lello: dos passeios imperdíveis do Porto

Hoje é dia de fazer tudo a pé e desfrutar da cidade com todo tempo que ela merece. Comece por sua área comercial, percorrendo a rua de Santa Catarina, com muitas lojas de rua (é aqui que também fica o Café Majestic, um dos cafés históricos mais emblemáticos do Porto) e a Av. dos Aliados – com seus edifícios de granito e as árvores que marcam cada estação do ano. Siga para a Torre dos Clérigos (que tem apresentações diárias de órgão ao meio dia). Sugiro, então, que faça o seu almoço na Cervejaria Brasão – um dos meus restaurantes favoritos na cidade, que tem uma boa francesinha (veja aqui mais opções de lugares para comer esse prato típico).

No período da tarde, aproveite para visitar a famosa Livraria Lello e também convido você a dar uma passadinha rápida no Centro Português de Fotografia, que tem entrada gratuita, e está instalado em uma antiga prisão da cidade. O edifício é fantástico (e, para os amantes da fotografia, um prato cheio em todos os sentidos).

Passe pela Igreja do Carmo (com uma lindíssima parede de azulejos) e siga para a Rua Miguel Bombarda, que tem várias galerias de arte, até finalmente chegar ao Jardins do Palácio de Cristal para descansar e ver o pôr-do-sol 😉

Dia 16: Peso da Régua (Alto Douro Vinhateiro)

Viagem de trem pelo rio Douro

A viagem de trem pela Linha do Douro é uma das mais bonitas de Portugal

De onde parte o trem: estação Porto São Bento (com destino a estação da Régua)
Tipo de trem: comboio InterRegional (IR) (ideal pegar este, pois assim não é necessário fazer baldeação)
Custo médio/ pessoa: 9,90€ cada trecho
Onde comprar a passagem: na própria estação de trem, que possui bilheterias e também máquinas automáticas. Você precisa comprar o cartão da CP e fazer um carregamento com o valor da passagem entre Porto e Régua
Como validar a passagem: nas estações sem catracas, tenha atenção as máquinas eletrônicas disponíveis na plataforma. Basta encostar o cartão em uma delas para validar antes do embarque.
Tempo de viagem: 2 horas cada trecho

Conhecer a trajetória de vinícolas centenárias e também mais jovens é um programa que cabe em qualquer roteiro para Portugal, seja qual for a parte do país que você escolheu visitar. Mas é aqui no coração do Alto Douro Vinhateiro, localizado a 120km do Porto, que é a única região em que se pode produzir o Vinho do Porto. Isso porque as características climáticas e do solo são únicas.

A experiência já começa no trem, com trechos absolutamente incríveis que passam por aquele imenso vale. 

O Peso da Régua é uma das principais áreas com mais estrutura urbana do Alto Douro. Portanto, você pode passar o dia por aqui, mesmo sem carro.

Quinta da Pacheca, Portugal

Para chegar a Quinta da Pacheca, bastam 5 minutos de táxi a partir da estação do Peso da Régua

Se desejar visitar um produtor de vinho, recomendo a Quinta da Pacheca, em um percurso de táxi que demora menos de 5 minutos (há um ponto de táxi junto a estação da Régua). Há também passeios de barco junto ao Cais da Régua, que duram de 1 a 2 horas. Para se aprofundar no universo dos vinhos, há o Museu do Douro, com informações riquíssimas sobre a região.

Para o almoço, deixo como indicação o restaurante A Tasquinha, com uma das melhores carnes bovinas que já comi neste país (uma Posta Mirandesa).

Saiba mais sobre essa encantadora região nesse artigo que já publicamos aqui no Cultuga.

Dia 17: Braga

Braga, Portugal

De onde parte o trem: estação Porto São Bento
Tipo de trem: comboio urbano (U)
Custo médio/ pessoa:  3,20€ cada trecho
Onde comprar a passagem: na própria estação de trem, que possui bilheterias e também máquinas automáticas. Você precisa comprar o cartão da CP e fazer um carregamento com o valor da passagem entre Porto e Braga
Como validar a passagem: nas estações sem catracas, tenha atenção as máquinas eletrônicas disponíveis na plataforma. Basta encostar o cartão em uma delas para validar antes do embarque.
Tempo de viagem: 1h – 1h15 cada trecho

Braga tem um gostinho especial para mim, por ter lá amigos muito queridos que adoro visitar. É uma cidade rica em história e religiosidade – mas não só, pois há também flores que colorem as ruas durante a maior parte do ano e uma vida jovem e pulsante que dá gosto de ver, em virtude da Universidade.

Proponho que você faça um bate-volta até aqui, pois é muito fácil visitar esse cantinho localizado no coração da região do Minho.

Uma passada pela Sé Catedral, claro, não pode faltar. Experimente também conhecer a deliciosa Livraria Centésima Páginaprestigiar a arquitetura da GNRation e do Palácio do Raio (com entrada gratuita) e tirar alguns minutos para contemplar o colorido do Jardim de Santa Bárbara.

Com um dia aberto, antes de ir embora, considere passar no Santuário do Bom Jesus do Monte para ter uma das vistas mais bonitas deste país, na minha humilde opinião (para isso, use o ônibus nº 2 a partir do centro histórico e suba com o funicular – o mais antigo movido a água do mundo).

Santuário do Bom Jesus do Monte

Do alto do Santuário do Bom Jesus do Monte, em Braga, o fim de tarde é inesquecível

Ah, para almoçar, deixo como sugestão o Retrokitchen – amigável para quem está com crianças – e, para a sobremesa ou um café da tarde, nham o delicioso Tíbias de Braga.

Dia 18: Guimarães

castelos-de-portugal-castelo-de-guimaraes-2

De onde parte o trem: estação Porto São Bento
Tipo de trem: comboio urbano (U)
Custo médio/ pessoa:  3,20€ cada trecho
Onde comprar a passagem: na própria estação de trem, que possui bilheterias e também máquinas automáticas. Você precisa comprar o cartão da CP e fazer um carregamento com o valor da passagem entre Porto e Guimarães
Como validar a passagem: nas estações sem catracas, tenha atenção as máquinas eletrônicas disponíveis na plataforma. Basta encostar o cartão em uma delas para validar antes do embarque.
Tempo de viagem: 1h – 1h15 cada trecho

Pensa em uma cidade charmosa. É assim Guimarães – praticamente uma unanimidade na opinião de quem a visita. A história conta que o primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques, nasceu em Guimarães. Por isso, também é considerada o “berço” da nação. As ruas e praças do centro histórico são muito graciosas e, por todo lado, você verá enraizada as tradições do artesanato (conheça o trabalho da Oficina, com o bordado e a olaria). Destaque para o Castelo de Guimarães e o Paço dos Duques de Bragança, que não podem faltar no seu roteiro. Ah, só evite ir aos domingos – quando a cidade fica bem parada. Quando vamos a Guimarães, geralmente almoçamos no Xisko e tomamos um café na Pastelaria Clarinha.

Dia 19: Porto

Foz do Douro, quando o Rio Douro encontra com o Oceano Atlântico

Foz do Douro, quando o Rio Douro encontra com o Oceano Atlântico

Recomendo que você passe o seu último dia de viagem desfrutando dessa base maravilhosa, que é o Porto. No início da manhã, se desejar fazer um passeio fora do circuito clássico da cidade, visite a Igreja da Lapa, onde há um mausoléu com o coração de D. Pedro I do Brasil (no final da vida, ele deixou em testamento o desejo de oferecer seu coração a cidade do Porto). Depois, poderá fazer uma caminhada – ou ir de metro – até a Casa da Música, para uma visita guiada em português, às 11h da manhã. Para almoçar por aqui, há algumas opções logo ao lado, no Mercado Bom Sucesso. No período da tarde, faça um passeio pelos jardins e museu da Fundação de Serralves, que você chega facilmente com o ônibus 203. Se estiver um dia bonito, termine o seu dia com o pôr-do-sol maravilhoso na Foz do Douro. Para isso, você pode andar pouco mais de 5 minutos a partir da Serralves para pegar o ônibus 202 (com ponto final no Jardim do Passeio Alegre). 

Dia 20: Porto – Brasil

Independente do seu horário de retorno, deixe este dia livre para fazer compras eventuais que possam ter faltado ao longo da viagem ou para repetir algum passeio que tenha gostado muito. Assim, você terá tempo suficiente para arrumar as malas do jeito que deseja, chegar com calma no Aeroporto e fazer o tax-free.

Como adaptar esse roteiro para menos dias de viagem?

É bastante simples compactar esse roteiro para menos dias. Todas as bases aqui indicadas (Lisboa, Porto, Faro e Aveiro) são interligadas em qualquer ordem por meio de comboios Alfapendulares, sem baldeações. Portanto, escolha aquelas que deseja pernoitar e, a partir delas, os bate-voltas que quer fazer. Lembrando que Aveiro e Coimbra podem, inclusive, ser feitas também em bate-volta do Porto (em dias separados, de preferência).

Organize AQUI a sua viagem para Portugal!

icon-saude

Faça o seguro saúde na Real Seguro Viagem em 6x SEM JUROS

icon-carroVeja os melhores preços para alugar um carro

icon-hotel

Reserve o seu hotel no Booking, com opção de cancelamento gratuito

Conheça os serviços exclusivos do Cultuga

icon-tour

Deseja ter a nossa companhia em Lisboa? Faça um tour conosco

icon-consultoria

Reserve um transfer ou um city tour com os nossos parceiros em Portugal

icon-foto

Leve fotos lindas suas desta viagem: faça um ensaio fotográfico

Veja também o índice de artigos do Cultuga para ajudar no planejamento do seu roteiro ❤

Compartilhe.

Sobre o autor

Priscila Roque

Sou jornalista especializada em cultura e fotógrafa. Foi preciso passar dos 30 anos para assumir que Lisboa é, realmente, o meu lugar no mundo. Mas a paixão por Portugal começou bem mais cedo, ainda na adolescência, quando descobri alguns músicos locais. Os meus pais são portugueses imigrados no Brasil. Depois de fazer o caminho inverso deles, trocando São Paulo por Lisboa, quero agora, com o Cultuga, diminuir a distância que separa o Brasil de Portugal.

4 comentários

  1. Boa noite.

    No site dos Comboios de Portugal alguns horários e valores não estão disponíveis. Será que não tem mesmo, ou depois pode aparecer.

    Exemplo: Porto-Coimbra, para o dia 14 de julho não consta o valor pra nenhum horário, e nem consigo comprar. Outros trechos que constam ND (não disponível): Lisboa-Évora, Lisboa Covilhã, etc.

    Agradeço a atenção.

    • Rafael Boro
      Rafael Boro em

      Olá, Giuliano
      Tudo bem?

      Esse problema é super recente. Nós reparamos a mesma coisa quando tentamos comprar uma passagem. Entramos em contato com a CP, e eles responderam o seguinte: “Por motivo de entrada em vigor do horário de verão a 8 de julho, a venda para os comboios Alfa Pendular, Intercidades, InterRegional e Regional, a partir de 7 de julho, está temporariamente indisponível, estando prevista a sua reposição com a maior brevidade possível”.

      Eles não indicaram uma data para que a venda se normalize. 🙁 Acredito que a melhor coisa é entrar todos os dias no site para tentar comprar.

      Um abraço e boa viagem!

    • Priscila Roque e Rafael Boro
      Priscila Roque e Rafael Boro em

      Olá, Natalie
      Viva! Muito obrigada pelo carinho e apoio, sempre!
      Um grande beijo do lado de cá do Atlântico

Deixe um comentário