Onde se hospedar em Lisboa: Baixa e Chiado

0

“Quais os melhores bairros para se hospedar em Lisboa?” – essa é uma pergunta frequente de muitos leitores e clientes do Cultuga. A resposta não é tão simples, pois depende do perfil de cada um. Mas se você gosta de ficar perto das grandes atrações do centro histórico, com acesso a pé a bastante coisa, e não se importa com o alto fluxo turístico, a Baixa e o Chiado são os perfeitos.

A nossa série “Hospedagem em Lisboa” já levou você para as Avenidas Novas, ao Parque das Nações e aos arredores do aeroporto, e agora embarca pelas ruas históricas e culturais da capital de Portugal. 

Atenção que os preços podem até duplicar, de acordo com a época do ano. Isso vai depender do mês da sua viagem, se em alta, média ou baixa temporada.

Também é importante dizer que existe uma taxa municipal turística de dormida em Lisboa – 1€/ noite até ao valor máximo de 7€ (7 noites seguidas por dormida e por hóspede) – cobrada no check in ou no check out.

Onde se hospedar em Lisboa: Baixa e Chiado

A Baixa e o Chiado são bairros vizinhos e formam parte do centro histórico de Lisboa. Para facilitar o seu entendimento, caso esteja indo a Lisboa pela primeira vez, eles são conectados inclusive por uma estação de metro com o nome Baixa-Chiado, quando uma saída vai para a parte mais plana da cidade (a Baixa, claro) e a outra para uma das colinas de Lisboa (no Chiado).

Essa é uma escolha perfeita para o viajante que gosta de caminhar, usar pouco transporte público e ficar próximo – ou dentro rs. – da história de Lisboa.

rua-da-conceicao-lisboa-eletrico-baixa-cultuga

O elétrico na Rua da Conceição, Baixa de Lisboa

É nessa região que estão situadas as famosas Praça do Comércio e a Praça do Rossio, além das ruas Augusta e Garrett, o Elevador de Santa Justa, as ruínas do Convento do Carmo, o Café A Brasileira (com a estátua do Fernando Pessoa a porta) e também é um caminho de passagem importante dos elétricos (bondinhos) – vou parar por aqui porque precisaria de 20 linhas para listar todas as atrações rs.

Ah, mas ainda tem bônus: quem fica por aqui tem acesso ao Castelo de São Jorge fácil e o rio Tejo estará sempre aos seus pés.

baixa-de-lisboa-rio-tejo-por-do-sol-cultuga

Toda a estrutura que vemos hoje na Baixa, com ruas planas e paralelas, ordenadas originalmente pelo nome de ofícios, que vai da margem do rio Tejo até a área da Praça dos Restauradores, foi pensada e desenhada pelo Marquês de Pombal e seus engenheiros após 1º de novembro de 1755. Foi nesse dia que Lisboa passou por sua maior tragédia: um terremoto, seguido de tsunami e incêndio. Foram mais de 10 mil edifícios atingidos (com 35 igrejas e 55 palácios) e há quem diga que, ao menos, 10-15 mil pessoas morreram (por volta de 10% da população). Essa arquitetura típica faz dessa região única (e muito moderna para a época), além de ser um chamariz para quem visita a capital.

O Chiado está em uma das colinas de Lisboa e sofreu menos com o terremoto, pois não precisou ser totalmente reconstruído. Assim, ele não é plano, como a Baixa. Para quem não tem limitação de mobilidade, as suas subidas até não incomodam tanto, já que sempre é agradável parar e conhecer as lojas históricas, tomar um cafezinho e provar um doce tradicional ou sentar para comer pratos típicos portugueses – e não só – nos ótimos restaurantes que ali se encontram.

O Chiado é lindo de todos os ângulos! 💜 #lisboa #chiado #largodochiado #cultuga

Uma publicação partilhada por Cultuga – Dicas sobre Portugal (@cultugaoficial) a


O bairro também respira arte e cultura. Fernando Pessoa, Ramalho Ortigão e Eça de Queiroz foram alguns dos grandes nomes dos séculos XIX e XX que frequentavam os teatros, os cafés e as livrarias dessa área. Aliás, a título de curiosidade, a livraria Bertrand, que fica na Rua Garrett, 73, é a mais antiga em atividade do mundo. E perto daqui também está a livraria Ferin (na Rua Nova do Almada, 72), uma das favoritas do Eça.

Para se locomover de metrô para outras regiões da cidade, use as estações Terreiro do Paço (linha azul), Rossio (linha verde), Restauradores (linha azul) e Baixa-Chiado (linhas azul e verde).

O bairro de Belém, um dos mais emblemáticos de Lisboa, é de fácil acesso com o uso do elétrico 15 – Praça da Figueira/ Algés, dos ônibus 714 – Praça da Figueira/ Outurela e 728 – Portela/ Restelo, ou táxi/ Uber.

Não vale a pena alugar um carro enquanto você estiver hospedado na Baixa ou no Chiado. Há muito trânsito, além dos estacionamentos serem em menor quantidade e mais caros.

Veja como usar o metrô de Lisboa

Hotéis românticos e novos

O centro histórico de Lisboa está repleto de hotéis românticos, charmosos e novos. Um casal em lua de mel ou bodas, que procura esse perfil de hospedagem, vai adorar passar algumas noites em um cantinho especial na Baixa e no Chiado.

Onde se hospedar em Lisboa: Pousada de Lisboa

A nova Pousada de Lisboa está localizada na emblemática Praça do Comércio. Ela tem piscina interior e um restaurante especializado em carne

Não poderia começar as indicações sem a queridinha atual do Grupo Pestana na capital: a Pousada de Lisboa (5 estrelas). Localizado em um edifício – adivinhe! – histórico, onde já foi sede do Ministério da Administração Interna, na Praça do Comércio, esse hotel tem restaurante, SPA e alguns quartos com vista para o rio Tejo.

Muito perto deste luxuoso hotel, está o Pestana CR7 Lisboa (4 estrelas), segunda unidade de hotéis do Cristiano Ronaldo a primeira fica na Ilha da Madeira. Aqui também é um lugar para casais apaixonados, mas com uma queda para o futebol, especialmente pelo craque português. 🙂 A diária começa, em média, nos 85€/ noite dependendo da época. O espaço é agradável, com decoração discreta e tem bar e restaurante.

Já no Chiado, o acolhedor Lisboa Pessoa Hotel (4 estrelas) e a concorrida e exclusiva Casa do Barãoela tem apenas 6 quartos – são hospedagens mais acolhedoras e envolventes. Para relaxar e aproveitar o que o melhor do bairro pode oferecer: cultura e gastronomia.

Onde se hospedar em Lisboa: Pestana CR7 Lisboa

Os quartos e o ambiente do Pestana CR7 Lisboa são modernos e descontraídos

Onde se hospedar em Lisboa: Casa do Barão

A Casa do Barão fica no bairro do Chiado e é perfeita para casais que viajam em lua de mel ou datas especiais

Se você é um apreciador de restaurantes, indico o Alma (restaurante com 1 estrela Michelin), do chef Henrique Sá Pessoa, e três espaços do premiado José Avillez localizados aqui: o Belcanto (com 2 estrelas Michelin), o Cantinho do Avillez e o Bairro do Avillez.

Para tomar café e comer bons doces no Chiado, vá ao Tartine (a bola de Berlim é uma delícia, na minha opinião) e a Manteigaria (aqui tem os melhores pastéis de nata de Lisboa, mesmo!).

Conheça os restaurantes dos chefs portugueses mais famosos do país

Hotéis tradicionais

Esse é o tipo de hotel mais procurado pelo turista que visita a capital de Portugal. As acomodações são clássicas e com quartos twin, duplo ou suite. Além disso, é possível optar por reservar com ou sem café da manhã (pequeno almoço em Portugal 😉 ).

Na categoria 3 estrelas, o The 7 Hotel cumpre com todas as “obrigações” de uma hospedagem tradicional, mas com um bônus: há quartos com uma pequena cozinha. Ele fica na Rua Áurea (também chamada de Rua do Ouro), entre a Praça do Rossio (D. Pedro IV) e a Praça do Comércio, e tem fácil acesso ao metrô Baixa-Chiado. O preço gira em torno de 100€ a noite.

Ainda na Baixa, o Hotel Santa Justa (4 estrelas) é uma opção interessante para quem quer conforto e deseja estar no burburinho do centro histórico.

Aliás, na Baixa tem muitos daqueles restaurantes turísticos caros e com baixa qualidade (como em qualquer centro histórico de cidades turísticas). Então, deixo uma dica aqui. Na rua do Hotel Santa Justa, vá ao João do Grão, para comer pratos ótimos de bacalhau com um preço justo.

Para fechar o almoço com chave de ouro, tome um café acompanhado de um docinho na Confeitaria Nacional, a mais antiga de Lisboa, e termine com uma ginjinha no Largo de São Domingos (um licor digestivo feito com a ginja, um fruto parente da cereja) 😉

O Hotel do Chiado (4 estrelas), com quartos a partir de 149€, é um clássico que caberia perfeitamente na categoria de “hotéis românticos”. Ele está incluído no prédio histórico do Armazéns do Chiado, obra de recuperação do famoso arquiteto português Álvaro Siza Vieira. Alguns quartos têm vista para o rio Tejo e o Castelo de São Jorge, assim como o Entretanto Rooftop Bar, no 7º andar – uma das mais valia do hotel.

Onde se hospedar em Lisboa: Hotel do Chiado

Além do conforto de um hotel 4 estrelas, o Hotel do Chiado tem uma vista privilegiada de Lisboa

Por estar colado na Rua Garrett, o acesso para as lojas e os restaurantes a partir desse hotel é bem prático. Não deixe de conhecer também a Cervejaria Trindade (que tem sua origem em um antigo convento do séc. XIII, que ruiu com o terremoto de 1755), a Pastelaria Alcôa (de Alcobaça, famosa pelos doces de ovos) e os Gelados Santini (loja portuguesa com um sorvete melhor do que o outro).

Quer ter a nossa companhia durante a sua viagem por Lisboa? Conheça os nosso passeios!

Apartamentos e flats

A procura por apartamentos cresceu muito em Lisboa nos últimos dois anos. A maioria deles é remodelado, então há mais conforto, decoração contemporânea e praticidade, principalmente para famílias que viajam a Lisboa com crianças.

Porém, dois itens podem fazer a diferença na hora da reserva: o elevador e o ar condicionado/ aquecedor. Tenha atenção ao fazer a sua escolha.

Alguns edifícios mais antigos – há muitos no centro histórico – não têm espaço ou não podem ter elevadores. Para as pessoas com malas grandes, mobilidade reduzida ou com carrinho de bebê, ficar hospedado em um local com escadas, definitivamente, não é nada bom.

O ar condicionado/ aquecedor é item fundamental para quem viaja nos meses mais quentes (junho, julho e agosto) e mais frios (dezembro, janeiro e fevereiro). Ninguém tira férias para passar calor ou frio dentro de “casa”, não é?

Shoppings: onde fazer compras em Lisboa?

Onde se hospedar em Lisboa: Madalena Hermitage

O aconchego e o charme histórico dos apartamentos do Madalena Hermitage, na Baixa

Invadindo um pouco da colina do Castelo, perto da Igreja da Sé e junto a Praça do Comércio – isso significa que a localização é impecável – estão o Madalena Hermitage e as Casas da Baixa. Ambos estão inseridos em edifícios do séc. XVIII, e são espaçosos e charmosos. Se você gosta de croissant, então, não deixe de comer no Fábrica Lisboa, que é “vizinho” rs.

Já o Dream Chiado Apartments e o Lisbon Rentals Chiado também seguem a linha de decoração, arquitetura e conforto dos anteriores. Essa é uma tendência atual que vem agradando os turistas que passam mais tempo em Lisboa. A diferença entre eles é que o Dream Chiado Apartments tem estúdios – ótimo para casais – e o Lisbon Rentals Chiado são apartamentos grandes, com até três quartos.

Onde se hospedar em Lisboa: Dream Chiado Apartments

O conforto e a decoração são alguns dos pontos positivos do Dream Chiado Apartments

Para “abastecer” o apartamento, há duas unidades do supermercado Pingo Doce na Baixa, um bom Go Natural no Chiado, ou ainda, fora da região, no use o supermercado do El Corte Inglés ou a mega loja do Continente no Shopping Vasco da Gama (Parque das Nações).

5 mirantes incríveis para apreciar Lisboa

Opções econômicas de hospedagem

Os hostels (ou albergues) são as opções mais baratas de hospedagem para quem faz uma viagem econômica. Os viajantes sozinhos e em grupos de amigos procuram bastante.

No centro histórico de Lisboa há muitos, alguns deles premiados pelo Hostel World, com cozinha comunitária, banheiro compartilhado ou privativo e quartos de diversos tamanhos.

Um dos que mais gostamos é o Travellers House, pois tem vários tipos de quartos, incluindo com cama de casal, e fica na Rua Augusta, a principal rua da Baixa de Lisboa. O acesso é fácil às estações de metro Terreiro do Paço e Baixa-Chiado. Os preços ficam entre 18€ e 60€, dependendo do tipo do quarto e da época do ano.

A nossa amiga Raquel, do blog Praga Boêmia, aprovou esse hostel quando esteve aqui no início do ano 😀

Onde se hospedar em Lisboa: Travellers House

No Travellers House você pode escolher entre quartos privativos ou coletivos

Ainda na parte plana do centro histórico, indico o Yes Lisbon Hostel, várias vezes premiado no Hoscars do Hostelworld, e o Lisbon Destination Hostel. Uma curiosidade desse último, é que ele fica dentro da imponente e histórica estação do Rossio, de onde partem os trens para Sintra.

Onde se hospedar em Lisboa: Lisbon Destination Hostel

O Lisbon Destination Hostel está inserido dentro da centenária estação de trem do Rossio

Já no Chiado, esse tipo de hospedagem acaba sendo mais escassa. De qualquer forma, destaco o aconchegante Lisbon Poets, quase ao lado do histórico Café A Brasileira, um dos locais de passagem do poeta Fernando Pessoa.

Caso não haja café da manhã incluído na sua reserva, a solução é comprar algo no supermercado (tem duas unidades do supermercado Pingo Doce na região – Rua 1º de Dezembro e no Largo Chão do Loreto) ou tomar mesmo na rua. A Padaria Portuguesa é a maior rede de padarias de Lisboa, com mais de 50 unidades, e tem cinco lojas entre a Baixa e o Chiado.

Lembre-se apenas que, ao escolher se hospedar em um hostel, poderá ter mais barulho nos corredores durante a noite e no quarto (para os coletivos), pela alta frequência de viajantes mais jovens.

Organize aqui a sua viagem para Portugal

icon-saude

Faça o Seguro Viagem com a Real Seguro Viagem em 6x sem juros

icon-carroVeja os melhores preços para alugar um carro na Rental Cars

icon-hotel

Reserve o seu hotel em Lisboa pelo Booking, com opção de cancelamento gratuito

Serviços do Cultuga

icon-tour

Deseja ter a nossa companhia durante a sua visita a Lisboa? Faça um tour conosco

icon-consultoria

Apaixone-se por Portugal com a nossa consultoria de viagem

icon-foto

Leve um suvenir diferente: faça um ensaio fotográfico em Portugal

Veja também o índice de artigos do Cultuga para ajudar no planejamento do seu roteiro com muitas dicas, sugestões de rota e outras informações sobre Portugal ?

Compartilhe.

Sobre o autor

Rafael Boro

Sou jornalista, tenho 33 anos e, apesar de ter nascido em São Paulo, adotei Lisboa como minha cidade. Gosto de apreciar a gastronomia lusa e, sempre que posso, vou a um café ou a um restaurante que não conheço. Lisboa também me trouxe um time de futebol do coração, o Sporting, mesmo tendo o tênis como o meu principal esporte. Troco fácil os transportes públicos por uma longa caminhada. Na minha playlist de música portuguesa não falta David Fonseca e Tara Perdida.

Deixe um comentário