Se você tem interesse em conhecer a terra dos seus antepassados em Portugal, este artigo é para você!

Eu também sou filha de portugueses, com raízes na Ilha da Madeira e no distrito de Aveiro. Sei como é sentir essa curiosidade de ver de pertinho o lugar de onde saíram os nossos pais, avós e bisavós de Portugal rumo ao Brasil, as nossas #FofurasPortuguesas.

LEIA TAMBÉM: “Como descobrir meus antepassados portugueses?”

Viajar para conhecer as origens da família pode, sim, ser uma experiência emocionante e enriquecedora – inclusive de autoconhecimento. Entretanto, por ser uma viagem especial, requer um bom planejamento.

Neste artigo, vou dividir dicas úteis para te ajudar planejar uma viagem especial à terra dos seus antepassados em Portugal. Saiba como encontrar informações, como se preparar, o que levar e o que esperar ao chegar a Portugal.

Dicas que você vai encontrar nesse artigo e que vão te ajudar a descobrir suas raízes:

  1. Pesquise a história da sua família
  2. Entre em contato com a Junta de Freguesia
  3. Planeje a viagem com antecedência
  4. Visite a paróquia local
  5. Procure a biblioteca municipal (+ livrarias e sebos)
  6. Explore a cidade e converse com moradores 
  7. Visite museus sobre a história local
  8. Faça um diário de viagem

1. Pesquise a história da sua família

Antes de iniciar sua jornada para a terra dos seus antepassados em Portugal, é fundamental que você pesquise sobre a história da sua família em busca de “pistas”.

Tente descobrir o maior número de informações sobre seus ancestrais que puder, como nomes, datas de nascimento, casamento e morte, bem como a cidade ou, pelo menos, a região onde eles nasceram/ viveram.

Essas informações ajudarão a direcionar sua pesquisa e a definir um roteiro de viagem que inclua as cidades e regiões que deseja visitar.

Além disso, conhecer a história da sua família pode tornar a viagem mais significativa e emocionante, pois você estará seguindo os passos dos seus antepassados e descobrindo mais sobre suas raízes e tradições.

Porém, se você não tiver muitas informações – apenas o nome de uma região, por exemplo, não desanime. Confia em mim: ainda assim vale a pena fazer essa viagem!


2. Entre em contato com a Junta de Freguesia

A Junta de Freguesia é uma entidade local que pode te ajudar com informações sobre os seus antepassados e sobre a região. Funciona como uma espécie de sub-prefeitura.

Entre em contato com a Junta de Freguesia que atende a cidade, vila ou aldeia onde seus familiares viveram e peça ajuda.

No site da Junta de Freguesia você encontrará os e-mails e telefones. Eles poderão dar alguma pista, uma direção para as suas pesquisas.

Atenção que, por se tratar de um órgão público, caso você também queira ir a Junta de Freguesia pessoalmente, programe-se para estar na região de segunda a sexta-feira no horário comercial e fora de feriados nacionais e locais. Pode parecer óbvio, mas quando estamos em uma viagem de férias nem sempre nos apegamos a essa informação.


3. Planeje a viagem com antecedência

Aldeia de Idanha a Velha, na Serra da Estrela
Nos distritos da Guarda e de Castelo Branco, junto a Serra da Estrela, há uma série de aldeias de onde saíram muitos portugueses rumo ao Brasil

Uma vez que você tenha reunido as informações básicas sobre a sua família, chegou a hora de pesquisar sobre a cidade e a região dos seus antepassados na Internet. Procure por textos, fotos e vídeos que possam te dar referências do que você vai encontrar por lá e também do que poderá visitar nos arredores.

É importante ter algum conhecimento sobre Portugal antes do embarque. Quanto mais antecedência você planejar a sua viagem e estudar sobre o destino, mais você poderá aproveitar. Afinal, quando temos um contexto ou uma história, o próprio lugar também se torna mais mágico e significativo.

Reserve as passagens aéreas, os hotéis e o aluguel de carro (ou trem/ ônibus) com antecedência para economizar e evitar surpresas, sobretudo por se tratar de uma viagem tão especial.

Nos últimos anos, Portugal se tornou um destino turístico muito procurado por pessoas do mundo todo. É importante planejar a sua viagem para ter uma excelente experiência – e aqui no Cultuga tem todas as dicas que você precisa para se organizar.


4. Visite a paróquia do local

As igrejas paroquiais costumam ser bons lugares para começar a busca por informações sobre seus antepassados pessoalmente. Por isso, ao visitar a cidade onde seus familiares viveram em Portugal, não deixe de dar uma passada na principal igreja local.

Além de ser um lugar de grande importância religiosa e cultural, as igrejas também são fontes preciosas de informações sobre a história da região. Se você encontrar alguém por lá, pergunte sobre como eram feitos os registros antigamente e quais celebrações tradicionais acontecem na cidade.

Portugal é um país profundamente religioso e, durante muito tempo, as paróquias detiveram os registros de batismo, casamento e óbito dos cidadãos. Portanto, explorar as igrejas pode ser uma experiência emocionante e enriquecedora para obter informações sobre a história da sua família.

Na viagem que fiz à terra da minha família materna – que é São Jorge, na Ilha da Madeira – conheci a Igreja Matriz. Somente de estar naquele lugar em que a maior parte dos meus antepassados maternos conviveu, participou de celebrações, casamentos e batismos foi uma sensação indescritível.

Imaginar que os meus avós, por sua fé, podem ter pedido algum apoio emocional ali ao padre da época ou em oração antes de embarcarem rumo ao Brasil com a minha mãe pequena no colo é como se tivesse obtido uma peça muito bonita do quebra-cabeças da minha vida.


5. Procure a biblioteca municipal
+ visite também livrarias e sebos

Um outro local que pode ajudar bastante nas suas pesquisas e tornar a sua viagem mais rica é visitar a biblioteca municipal da região em que viveu a sua família.

Nessas bibliotecas você poderá encontrar algum livro que conte a história da região, que tenha fotografias antigas, que mostrem um pouco da atmosfera do local na época dos seus antepassados.

Lembro de ter visitado a Biblioteca Municipal da Lousã em uma das viagens que fiz até essa região tão interessante com o Rafa. A pessoa que nos atendeu foi super solícita e nos contou de uma série de livros que eles tinham sobre as muitas famílias que saíram da Serra da Lousã rumo ao Brasil.

Há diversas regiões de Portugal que, ao longo da história, foram lugares de enorme emigração para o Brasil, como Trás-os-Montes, o Minho, o Douro, a Serra da Estrela, os Açores e a Madeira. Assim, para além da história de sua família, saber um pouco mais sobre a história da região e o que motivou esses movimentos migratórios também será precioso.

Na Ilha da Madeira, tive também a oportunidade de visitar a Livraria Esperança – que me marcou muito. É uma livraria imensa, a maior do Portugal. Por lá, encontrei livros raros sobre a história da freguesia de São Jorge, a terra da minha família materna. Por isso, percorrer livrarias e sebos (chamados de “alfarrabistas” em Portugal) também valem a pena.


6. Explore a cidade e converse com os moradores

Achadas da Cruz Ilha da Madeira
Saber que os meus avós saíram com a minha mãe nos braços dessa ilha quase isolada no Atlântico me emocionou. Todas as paisagens da Ilha da Madeira só me faziam pensar no quão corajosos eles foram nessa jornada.

Passear pelas ruas da cidade e conversar com os moradores também pode ser uma ótima ideia para obter mais informações sobre a história e as tradições da região. Vá com tempo e faça uma caminhada com calma para absorver essa atmosfera.

Muitas vezes, os moradores podem ajudar você a encontrar parentes distantes ou ainda indicar lugares que você não encontraria em guias turísticos.

Tivemos um leitor do Cultuga que compartilhou conosco a bonita história dessa busca que ele fez por parentes em uma localidade chamada Vila Praia de Âncora, na região do Minho. Trocando algumas palavras na igreja paroquial e nos pequenos restaurantes da vila, acabou por descobrir um tio avô que o emocionou muito.


7. Visite museus sobre a história local

antepassados portugueses museu
Museu das Migrações e das Comunidades, em Fafe, na região do Minho

Museus que contam a história de uma cidade, de uma tradição, são excelentes fontes de informações sobre a cultura e a história da região.

Eles também podem fornecer informações sobre seus antepassados e como era a vida na região em que viveram.

Para os lugarejos ou cidades em que saíram muito emigrantes pode ser ainda mais interessante, pois no museu você também terá contato com essas informações – tendo como exemplo o Museu das Migrações e das Comunidades, em Fafe, na região do Minho.


8. Faça um diário de viagem

antepassados portugueses
Na minha primeira viagem a Portugal, em 2007, tive o privilégio de conhecer as irmãs da minha avó paterna – que vivem no distrito de Aveiro – e participar de suas rotinas

Além de ajudar a lembrar dos momentos vividos na viagem, manter um registro detalhado também pode ser útil para pesquisas futuras sobre a história da sua família.

Anote os nomes de pessoas e dos lugares importantes, assim como as informações que coletou em bibliotecas, igrejas e museus.

Tire também muitas fotos ou faça vídeos para ilustrar seus registros e ter uma recordação visual da viagem.

Compartilhar essas informações com familiares e amigos pode ser uma forma de incentivar outras pessoas a explorar suas raízes e fazer uma viagem semelhante.

Por fim, lembre-se de guardar esses registros em um lugar seguro, para que possam ser acessados facilmente no futuro. :)

Com essas dicas, você poderá planejar uma viagem inesquecível para a terra dos seus antepassados em Portugal. Aproveite a oportunidade para aprender sobre a história e a cultura do país e criar memórias duradouras.

Se você precisar de ajuda para o planejamento e para inspirar a sua viagem, o Cultuga está repleto de conteúdo! Temos também uma equipe de parceiros que poderão tornar a sua visita a Portugal ainda mais especial.

Depois, volte aqui para me contar como foi a sua viagem a Portugal! Vou adorar saber! :)


Saiba mais sobre a nossa história com Portugal:

Viaje a Portugal com tudo organizado

 

Sou jornalista especializada em cultura e tenho 42 anos. Lisboa é o meu lugar no mundo. Os meus pais são portugueses imigrados no Brasil. Depois de fazer o caminho inverso deles, me tornado também imigrante, assumi como missão do Cultuga diminuir a distância que separa o Brasil de Portugal.

2 Comentários

  1. Boa tarde Priscila Roque, gostei muito desse trabalho de vcs. (Como visitar a terra dos seus antepassados em Portugal) trabalho muito bem elaborado. Como já falei meu sonho é visitar Portugal terra do meu Pai, e avô portugueses.
    Um abração pra vcs. E parabéns pelo trabalho.
    Elias Paisano

Deixe um comentário