Todos nós temos uma história ancestral, um entrelaçado de vidas que nos forma. Para aqueles que são filhos, netos ou bisnetos de imigrantes – como eu -, mergulhar nessa jornada se torna ainda mais interessante. Na minha opinião, descobrir mais sobre antepassados portugueses pode ser uma “viagem” emocionante, cheia de surpresas e revelações sobre nossa própria história.

Portanto, se você possui raízes portuguesas e tem interesse em explorar sua genealogia – seja para tirar a sua cidadania portuguesa, seja por curiosidade e autoconhecimento, preparei um guia passo a passo com algumas lições que aprendi ao pesquisar sobre minha própria família. Essas dicas certamente ajudarão você nessa jornada.

Recomendo que você tenha um caderno e uma caneta à mão para documentar cada etapa da sua pesquisa. Se preferir, também pode criar uma pasta digital para guardar fotos e documentos escaneados.

Aqui está um resumo do que você encontrará neste artigo:

Como descobrir antepassados portugueses:


1: Reunir as informações básicas

Antes de começar a pesquisar, é importante reunir o máximo de informações e documentos disponíveis sobre seus parentes mais próximos.

Converse com seus pais, avós e outros membros mais velhos da família para obter nomes completos, datas de nascimento, casamento e óbito, locais de residência (freguesia, cidade ou região), profissões e até mesmo histórias que eles se lembrem – tanto sobre eles mesmos quanto sobre os antepassados portugueses falecidos.

Com um caderno e uma caneta em mãos, anote tudo! Todas as informações são valiosas. Qualquer detalhe pode ser fundamental para orientar suas buscas.

Peça também a eles documentos, como certidões, bilhetes de viagem de navio, passaportes antigos, etc. Além disso, fotos, cartas e até receitas tradicionais de família podem ser fontes de informações.

Trate essas memórias com cuidado e respeito. Se necessário, faça cópias nítidas ou tire fotos em ambientes bem iluminados e com boa resolução para que possa ler o conteúdo.

Lembre-se de devolver os itens aos seus familiares e proteger essa memória.


2: Explorar documentos familiares

antepassados portugueses
A leitura de uma certidão portuguesa pode ser, inicialmente, um desafio. Mas vale a pena tentar. Dependendo das informações que você precisa, com a prática, você aprende a identificar

Após conversar com a família e reunir as informações básicas, é hora de explorar os documentos familiares que você coletou.

Dê uma olhada nos álbuns de fotografias antigas, nos documentos, nas certidões de nascimento, casamento e óbito, nas cartas e em qualquer outra fonte que possa fornecer informações sobre seus antepassados.

Esses registros podem revelar nomes de parentes desconhecidos, sobrenomes, datas importantes e pistas sobre suas origens em Portugal.

Registre todas as descobertas no seu caderno. Anote tudo com cuidado para ter uma visão clara e organizada da sua pesquisa.


3: Utilizar sites de genealogia online

Antepassados Portugueses

O avanço da tecnologia tornou a construção da árvore genealógica mais fácil e acessível. Lembro de quando minha mãe solicitou a um especialista uma pesquisa, há 25 anos, e ele nos entregou um monte de folhas impressas de um programa de computador super complexo.

Atualmente, existem diversos sites especializados em genealogia, como o FamilySearch e o MyHeritage, que possuem coleções impressionantes de registros históricos, incluindo os de Portugal.

Essas plataformas são simples, podem ser utilizadas por qualquer pessoa (não só profissionais) e permitem que você construa sua árvore genealógica online, conectando você a parentes distantes e descobrindo mais sobre sua história familiar.

Algumas funcionalidades desses sites podem ser utilizadas gratuitamente, enquanto outras mais avançadas são pagas. No entanto, são bastante interessantes, especialmente se você obteve nomes completos, datas e locais de origem com seus parentes.

Aqui começa uma viagem fascinante! :)

A cada descoberta, anote em seu caderno. É importante criar um diário para registrar as informações.

Como essa busca pode se tornar longa, com muitos detalhes e levar anos, ter tudo documentado como um diário irá ajudar você a recuperar as informações coletadas com mais facilidade e confiabilidade, além de evitar que você gaste tempo refazendo a mesma pesquisa várias vezes.

Eu encontrei uma série de documentos dos meus bisavós, avós, tio-avós e dos meus pais nesses sites. E há especialmente um recurso no MyHeritage que me emocionou: eles utilizam a inteligência artificial para colorir fotos antigas. Assim, pude ver documentos da década de 1950 coloridos, com as fotografias dos meus familiares que já não estão por aqui há muito tempo. É como se aquelas imagens realmente ganhassem vida.


4: Pesquisar em arquivos, museus e bibliotecas

Antepassados portugueses: museu da imigração
O Museu da Imigração, em São Paulo, é uma experiência emocionante

Os arquivos, museus e bibliotecas são verdadeiros tesouros de informações históricas.

Em São Paulo, não posso deixar de recomendar uma visita ao Museu da Imigração. É um lugar precioso, seja para buscar informações específicas no acervo ou para conhecer a realidade da chegada de muitos imigrantes de Portugal ao Brasil (e não apenas, como de italianos, japoneses, entre outras nacionalidades).

É como se pudéssemos nos aproximar desse evento marcante na vida dos nossos antepassados.

Além disso, você pode realizar pesquisas online:

Os órgãos portugueses responsáveis por guardar certidões antigas são chamados de Arquivos Distritais.

Portanto, se você souber a qual distrito pertencem seus parentes portugueses, pode entrar em contato com o arquivo distrital daquela região para solicitar cópias dos documentos que deseja pesquisar. Alguns deles já estão digitalizados e disponíveis online para pesquisa gratuita.

Isso é muito útil para quem está realizando o processo de cidadania portuguesa e precisa ter acesso aos documentos originais.

Mas hoje quero dedicar este artigo à investigação dos seus antepassados portugueses, muito além da obtenção da cidadania. É uma oportunidade de conhecer mais sobre sua família e sobre você mesmo.

Saiba que várias aldeias, vilas e cidades de Portugal tiveram fluxos migratórios para o Brasil ao longo de vários séculos, ou seja, um grande número de pessoas emigrou ao mesmo tempo. A região de Trás-os-Montes, por exemplo, é uma delas.

Por isso, se tiver a oportunidade, entre em contato por e-mail ou telefone com bibliotecas e paróquias de Portugal, de acordo com a região dos seus antepassados. São fontes interessantes que podem fornecer materiais adicionais para sua pesquisa, tanto sobre um parente específico quanto sobre a condição e a história dos imigrantes como um todo naquela época.

Somente como curiosidade, antigamente, eram os arquivos paroquiais que registravam e armazenavam as certidões de batismo, casamento e óbito.

Ah, não se esqueça de registrar tudo em seu “diário de bordo” nessa jornada em busca de informações sobre seus antepassados portugueses. Anote cada descoberta e mantenha um registro organizado.


5: Fazer uma viagem a Portugal

Antepassados Portugueses
Tomei Aveiro como “minha”. Essa lindeza de cidade fica a 5km de onde o meu pai cresceu
Antepassados Portugueses
Fui em busca das minhas #FofurasPortuguesas na Gafanha da Nazaré, no Distrito de Aveiro

Nada se compara a explorar pessoalmente as suas raízes portuguesas.

Se você tiver a oportunidade, planeje uma viagem a Portugal e visite as cidades e vilas onde seus ancestrais viveram.

Passeie pelas ruas, visite igrejas e cemitérios locais, converse com os moradores e mergulhe na cultura e história da região.

Além disso, ir pessoalmente às paróquias e bibliotecas que você contatou também pode trazer ótimas descobertas nessa conexão com a história de sua família.

Aqui no Cultuga, temos um artigo especial sobre como programar uma viagem a Portugal para conhecer a terra dos seus antepassados com boas dicas para você utilizar as informações que já reuniu nessa pesquisa, mesmo que não tenha conseguido encontrar muita coisa. Vai valer a pena. :)


6: Manter-se atualizado

A pesquisa sobre a história da sua família e seus antepassados portugueses é um trabalho em constante evolução. À medida que mais registros são digitalizados e disponibilizados online, por exemplo, surgem novas informações.

Por isso, é importante continuar atualizando e aprimorando sua pesquisa ao longo do tempo, registrando cada etapa no seu caderno.

Lembre-se de que a genealogia é uma jornada que requer paciência, dedicação, carinho e curiosidade.

Ao descobrir seus antepassados portugueses, você estará reconstruindo parte da história da sua família e se conectando a uma herança cultural fascinante.

Aproveite cada descoberta e compartilhe sua jornada com seus familiares, pois essa história pode ser um valioso elo para unir gerações.

Uma última dica é considerar contratar um profissional em genealogia caso a pesquisa se torne muito complexa ou se você não tiver tempo disponível para se dedicar.

Esses especialistas possuem conhecimentos aprofundados em pesquisa genealógica e têm acesso a ferramentas que podem acelerar seu processo de descoberta. Eles podem ajudar a lidar com documentos antigos, decifrar caligrafias difíceis e rastrear sua ancestralidade com maior precisão.

Investir em um serviço desse tipo pode valer a pena para quem deseja uma pesquisa mais detalhada e personalizada. Deixo como recomendação o trabalho de pesquisa feito pelo Gustavo, do site Origines.

Mergulhar na genealogia dos seus antepassados portugueses é uma jornada emocionante e gratificante. Digo por experiência própria.

Tenho pais portugueses emigrados no Brasil, com raízes paternas no distrito de Aveiro e raízes maternas na Ilha da Madeira. Cada vez que vou em busca de mais informações – inclusive culturais e históricas dessas regiões – me sinto preenchida.

Boa sorte em sua aventura genealógica e, depois, volte aqui no Cultuga para me contar como foi! :)

Saiba mais sobre a nossa história com Portugal:

Viaje a Portugal com tudo organizado

 

Sou jornalista especializada em cultura e tenho 42 anos. Lisboa é o meu lugar no mundo. Os meus pais são portugueses imigrados no Brasil. Depois de fazer o caminho inverso deles, me tornado também imigrante, assumi como missão do Cultuga diminuir a distância que separa o Brasil de Portugal.

4 Comentários

  1. ANTONIO CORREA DA SILVA JUNIOR em

    Olá Priscila e Rafa, ótimas dicas, sem dúvida é uma grande viagem. É o prêmio maior é conhecer a riquíssima cultuga portuguesa, ou, porque não, a Cultuga ! Abs, Antonio e Rosangela.

  2. Meus avós são de Viseu meu país se chama Anselmo da silva Monteiro. E o meu avô se chamas José Monteiro de Azevedo eu vivo em Angola meu pai já é falecido

Deixe um comentário