Praça do Comércio: curiosidades e a história desta que é a mais bonita praça de Lisboa!

PORTUGAL NA PANDEMIA: acompanhe aqui as atualizações da Covid-19

Neste artigo, vamos te contar algumas curiosidades e a história da Praça do Comércio, em Lisboa, também conhecido por Terreiro do Paço. Esta é a maior praça da cidade e um importante espaço na história de Portugal.

Ah, e no final desse artigo tem um vídeo lindo que fizemos por lá!

Como visitar a Praça do Comércio

A Praça do Comércio fica na Baixa, uma parte importante do centro histórico de Lisboa, junto ao rio Tejo.

Você pode chegar facilmente de metro, descendo na estação Terreiro do Paço, da linha Azul. Porém, há outras estações de metro no centro histórico de Lisboa e em uma pequena caminhada a pé também é simples chegar até aqui.

A Praça do Comércio estará constantemente presente no seu roteiro em Lisboa. É um ponto turístico bastante central. A partir daqui, você poderá visitar todo o centro histórico a pé ou então pegar o elétrico 15 para visitar os monumentos de Belém.

Praça do Comércio Lisboa

Praça do Comércio: a praça mais bonita de Lisboa

Terremoto de 1755: um marco na história da Praça do Comércio

Seu formato em U com os edifícios amarelos e o Arco chamam muito a atenção de quem passa por aqui. Mas ela nem sempre foi do jeito que vemos hoje. 

Antes dessa configuração da Praça do Comércio, esta área se chamava Terreiro do Paço.

Isso porque era também aqui que ficava o Paço da Ribeira, a principal residência da monarquia portuguesa desde o auge da Era dos Descobrimentos.

Terreiro do Paço Lisboa

Neste quadro vemos uma representação do Paço da Ribeira – antes do terremoto. Obra do pintor Dirk Stoop, no século XVII e pertencente a coleção do Museu de Lisboa

Porém, na manhã do dia 1º de novembro de 1755, um terremoto, seguido de um tsunami e dias seguidos de grandes incêndios destruíram essa e outras partes do centro histórico de Lisboa.

Quadro Terremoto de Lisboa 1755

Esse quadro foi pintado por um artista que presenciou o Terremoto de Lisboa (“Alegoria ao Terramoto de 1755”, por João Glama Strobërle – Museu Nacional de Arte Antiga)

Depois do Terremoto de 1755, a Baixa foi reconstruída e nasceu uma nova Lisboa sob o comando do primeiro ministro da época, Sebastião José de Carvalho e Melo, que depois ficou conhecido como Marquês de Pombal. 

Marques de Pombal Praça do Comércio

Nesta obra, vemos uma representação do Marquês de Pombal, dos planos para Lisboa no chão e da nova Lisboa pós-terremoto ao fundo (quadro pertencente ao Museu de Lisboa)

Com a nova Lisboa, também nasceu a Praça do Comércio como um símbolo dessa época.

Vamos dar uma olhada em alguns pontos que chamam a atenção por aqui nos dias de hoje?

Onde se hospedar perto da Praça do Comércio

Estátua de D. José na Praça do Comércio

Praça do Comércio - Lisboa Portugal

Começamos pelo centro da praça, com a estátua de D. Joséo rei de Portugal na época do Terremoto.

Essa obra foi feita com ele ainda em vida por um dos escultores mais conhecidos na história de Portugal: Machado de Castro (que dá nome a um dos melhores museus de Coimbra).

Arco da Rua Augusta

Outro ponto que chama bastante atenção por aqui é o Arco da Rua Augusta. 

Se você quiser ver a Praça do Comércio do alto, poderá subir no topo e ter uma vista de 360º da Baixa de Lisboa – no chamado Miradouro do Arco da Rua Augusta

Recebemos uma pergunta via Instagram de um leitor do Cultuga que nos perguntou quanto mede o Arco da Rua Augusta. Como não é uma resposta fácil de ser encontrada, aproveitamos para incluir essa informação aqui no artigo. De acordo com o VisitLisboa, o tamanho do Arco da Rua Augusta é 34 metros!

Miradouro Arco da Rua Augusta na Praça do Comércio

Vista da Praça do Comércio a partir do Arco da Rua Augusta

Arco visto a partir da Rua Augusta

Arco visto a partir da Rua Augusta

O arco tem esse nome porque, olhando de frente, está a principal via de conexão com o centro histórico de Lisboa: a rua Augusta.  

Arco da Rua Augusta visto da Praça do Comércio

No arco estão importantes figuras da história de Portugal: na seta indicamos o Viriato

Nele, vemos 4 personagens importantes para a história de Portugal (da esquerda para a direita): 

  • Viriato, um dos líderes da Lusitânia;
  • o navegador Vasco da Gama
  • Nuno Álvares Pereira – um dos mais importantes personagens da Batalha de Aljubarrota; 
  • e o Marquês de Pombal.

Nas laterais, estão representações dos rios Douro e Tejo – uma homenagem aos principais rios que cortam Portugal.

Ensaio Fotográfico na Praça do Comércio Lisboa

Você sabia que pode fazer um ensaio fotográfico nessa praça linda?

A Mari terá todo carinho em te receber! Veja como funciona o ensaio fotográfico em Lisboa!

Museus na Praça do Comércio

A volta da Praça do Comércio há também alguns museus interessantes para Lisboa.

Você poderá visitar, por exemplo, o Torreão Poente onde está um dos núcleos do Museu de Lisboa, sempre com exposições temporárias bem interessantes sobre a cidade.

No outro torreão, está o novo Centro Interpretativo da História do Bacalhau – quando você poderá saber mais sobre esse produto tão popular em Portugal.

E tem tambem o Lisboa Story Centre, que mostra de uma maneira interativa e lúdica como Lisboa surgiu e, principalmente, como foi o Terremoto de 1755. Ideal para quem deseja se aprofundar no assunto ou busca o que fazer em Lisboa com crianças.

Lisboa Story Centre na Praça do Comércio

Plano de reconstrução de Lisboa exposto em um bonito painel no museu Lisboa Story Centre

Café Martinho da Arcada: dos mais antigos de Lisboa!

Essas belas arcadas, que dão sustentação aos edifícios da Praça do Comércio, também guardam outras preciosidades.

Arcadas da Praça do Comércio - Lisboa

As belas (e fotogênicas) arcadas da Praça do Comércio

Aqui está o café Martinho da Arcada, que muita gente passa em frente e não repara.

Café Martinho da Arcada na Praça do Comércio

Café Martinho da Arcada, na Praça do Comércio: um dos lugares favoritos do Fernando Pessoa

Esse foi um dos cafés mais frequentados por Fernando Pessoa.

Isso porque ele trabalhou em diversos escritórios na Baixa de Lisboa ao longo da vida e, naturalmente, fazia algumas de suas pausas por aqui.

Fernando Pessoa no Café Martinho da Arcada

Fernando Pessoa no Café Martinho da Arcada, na Praça do Comércio

Do lado de dentro, podemos ver uma mesa posta dedicada a ele, fotografias nas paredes e também um chapéu.

Foi no outono de 1835 que Fernando Pessoa tomou aqui um de seus últimos cafés com o amigo Almada Negreiros. 

LEIA TAMBÉM: Bons restaurantes e cafés perto da Praça do Comércio

Regicídio: o assassinato do rei D. Carlos

Essa placa que parece um pouco escondida revela para a gente ainda um momento importante para a história de Portugal. 

Regicídio Praça do comércio Lisboa

Praca que marca o assassinato do rei D. Carlos e seu filho na Praça do Comércio, em Lisboa

Foi aqui na Praça do Comércio, em 1908, que o rei D. Carlos e o príncipe herdeiro D. Luis Filipe, foram assassinados a tiros em uma emboscada.

Regicídio Praça do comércio Lisboa

Representação de um dos episódios mais marcantes da história da Praça do Comércio: o regicídio de 1908, quando o rei D. Carlos e seu herdeiro foram assassinados

Com a monarquia enfraquecida, veio o início da República dois anos depois, em 1910.

Cais das Colunas: entrada de honra de Lisboa

Junto ao rio Tejo, vemos o Cais das Colunas – uma antiga entrada de honra da cidade.

Cais das Colunas no Terreiro do Paço

Cais das Colunas Praça do Comércio

Por aqui, Lisboa recebeu muitos convidados ilustres, como por exemplo a Rainha Elizabeth da Inglaterra, na década de 1950.

Pôr-do-sol na Praça do Comércio Lisboa

Pôr-do-sol a partir do Cais das Colunas com vista para a maravilhosa Ponte 25 de Abril

Hoje em dia, é um dos lugares mais disputados para ver o pôr-do-sol em Lisboa.

Natal e Ano Novo em Lisboa, na Praça do Comércio

Reveillon em Lisboa na Praça do Comércio

A queima de fogos na Praça do Comércio, no centro histórico de Lisboa

Por ter um espaço muito amplo, vários eventos acontecem nessa área como, por exemplo, o reveillon de Lisboa, com os principais shows e a queima de fogos.

No Natal, as decorações noturnas também são muito bonitas.

Decoração de natal na Praça do Comércio

As ruas que desembocam na Praça do Comércio ficam lindas no Natal

Sempre é bom passear pela Praça do Comércio, mas curtir a tranquilidade do início da manhã ou ver o pôr-do-sol perto do rio Tejo são momentos especiais que você pode ter aqui.

Você imaginava que a Praça do Comércio tinha tanto para ver?

Conta para a gente aqui nos comentários o que mais te surpreendeu!

Vídeo da Praça do Comércio

Você sabia que o Cultuga tem um canal no YouTube? Por lá, também mostramos muito de Portugal!

Assista a este vídeo especial que fizemos na Praça do Comércio, em Lisboa:

Envie este artigo para alguém que você gosta!

Portugal perto de você ❤

Há 11 anos produzimos conteúdo autêntico sobre cultura portuguesa e turismo cultural de Portugal!

 YOUTUBE
Inscreva-se
em nosso canal no YouTube – há sempre novidades!

NEWSLETTER
Cadastre-se na nossa newsletter
 e receba atualizações por e-mail

Viaje a Portugal com tranquilidade ✈

icon-saude

SEGURO SAÚDE
Faça o seguro para Portugal na Real Seguro Viagem. Você ganha 10% de desconto!

icon-carro

ALUGAR CARRO
Viaje de carro com um roteiro ao seu ritmo. Na RentalCars você recebe o orçamento das empresas mais conhecidas de Portugal.

icon-hotel

HOTÉIS E APARTAMENTOS
Encontre hotéis no Booking e proteja-se de imprevistos com a opção de cancelamento gratuito!

SESSÃO FOTOGRÁFICA
Eternize a sua viagem a Portugal com um ensaio fotográfico!

TOURS E TRANSFERS
Conheça o trabalho do Vinícius! Ele e sua equipe vão receber você com carinho e conforto!

Sobre o autor

Sou jornalista especializada em cultura e fotógrafa. Tenho Lisboa como o meu lugar no mundo, o meu refúgio, a minha casa. Mas é também em Portugal, este país vivo e com tanto para contar, que me sinto completa. Os meus pais são portugueses imigrados no Brasil. Depois de fazer o caminho inverso deles, trocando São Paulo por Lisboa, assumi como missão do Cultuga diminuir a distância que separa o Brasil de Portugal.

Deixe um comentário