Açores: vale a pena contratar um tour guiado?

0

Ir a uma região de Portugal de extrema beleza natural, como é o caso do arquipélago dos Açores, pode parecer uma viagem obscura aos menos aventureiros. Como são as estradas? Como chegar aos mirantes mais bonitos, do cartão postal? O que fazer quando chove ou se baixar uma forte neblina? Como é que aquela lagoa surgiu? Quem são as pessoas que vivem naqueles cantinhos paradisíacos, aparentemente tão distantes da civilização?

Essas foram as perguntas que pipocaram na minha cabeça assim que começamos a organizar a nossa ida a Ilha de São Miguel, nos Açores. Por mais que a gente pesquise muito antes da viagem, nada se compara a um passeio acompanhado de alguém da terra, de uma pessoa que vive no local.

Toda aquela imensidão de paisagens naturais ganha ainda mais valor e você tem a sensação de que realmente conheceu o local quando está com um guia. Desta vez, entre os nossos 5 dias na Ilha de São Miguel, tivemos duas experiências muito valiosas, ambas indicadas pelo VisitAzores.

Uma com Jorge Dias, da Keep Walking Azores, que nos acompanhou de carro durante um dia inteiro pelas belezas das Sete Cidades, e outra com o Hugo, da Picos de Aventura, que fez um passeio histórico pelo centro de Ponta Delgada.

tour guiado açores ponta delgada

Percorrendo Ponta Delgada com o Hugo

Vale a pena contratar um tour guiado nos Açores?

O guia conhece todos os caminhos

Uma das mais valias em fazer um passeio acompanhado de um guia é não ter que se preocupar com o caminho, sobretudo para passeios em que estudar o percurso é imprescindível. Foi assim conosco pela região das Sete Cidades, quando o Jorge esteve a frente desse tour.

Tour guiado açores na lagoa das sete cidades

Com um tour guiado, estamos sempre em segurança

Com um percurso mental já traçado, ele otimizou o nosso tempo, nos levando aos miradouros em que conseguiríamos realmente ter boas experiências (visto que o dia amanheceu nublado e algumas das paisagens somente podem ser vistas ou bem contempladas com o céu azul) e também em um delicioso percurso pelas estradas sem asfalto ao redor da Lagoa das Sete Cidades – algo que dificilmente nós teríamos feito sozinhos, com aquelas condições climáticas.

Com tempo encoberto, o guia já sabe quais são os mirantes que não estão fechados pela neblina

Na Ilha de São Miguel, a neblina é um cenário comum. No dia anterior ao tour, pegamos neblina no caminho de volta das Furnas para Ponta Delgada, quando o Rafa estava dirigindo. Tivemos que abrandar a velocidade e sentimos alguma insegurança no percurso pela falta de conhecimento das estradas. Com o Jorge, também pegamos também diversos trechos encobertos e, obviamente, a sensação de segurança foi total.

Neblina: ruim para quem dirige, maravilhoso aos olhos de quem fotografa rs.

Como escolher um bom hotel na Ilha de São Miguel?

Faça chuva ou faça sol, você vai aproveitar o dia

Quando você faz um roteiro por conta própria na Ilha de São Miguel, é necessário programar os passeios a partir das condições climáticas. Isso é fato. De nada adianta ir ao Miradouro da Grota do Inferno com o tempo fechado, pois você não vai ver nada.

Aos 45 do segundo tempo, no dia do nosso embarque para Lisboa, o sol veio com tudo e a gente correu para o Miradouro da Grota do Inferno

Entretanto, em um passeio acompanhado por um bom guia, em qualquer que seja o clima, o passeio vale a pena. Isso porque ele não somente já sabe o que você vai ver em cada um dos locais quando o céu está cinza ou azul, como também consegue prender a sua atenção a detalhes que fazem aquela parada ganhar mais valor – do que se você estivesse passado por lá sozinho.

sete-cidades-keep-walking-azores-cultuga

Rafa, o nosso guia Jorge e a Flavia (do blog Almost Locals) a beira da Lagoa das Sete Cidades

O dia do nosso passeio a Sete Cidades não poderia ser mudado, pois estávamos dentro de um roteiro de pesquisa pela Ilha de São Miguel bem redondo, com compromissos agendados. Céu cinza, garoa… E agora?

Com o tempo fechado, vimos a lagoa verde refletindo um paredão imenso de árvores

O Jorge soube contornar lindamente essa questão, nos mostrando inúmeros aspectos culturais, históricos e curiosos ao longo de todo o dia. Como a nossa visita também tinha o propósito de trazer informações precisas sobre a ilha aqui para os leitores e clientes do Cultuga, ele também aproveitou para nos mostrar acessos importantes aos miradouros, pontuar atrações que valem a visita e ainda casas típicas que também são alojamentos pitorescos na ilha.

Enfim, depois de um passeio guiado parece que tudo passa a fazer mais sentido e, claro, voltamos para a casa com muito mais histórias para contar.

Como é feito e onde comer o famoso cozido das Furnas?

A experiência de conviver com alguém “da terra”

O Jorge nasceu na Ilha de Santa Maria e o Hugo na própria Ilha de São Miguel. Ter passado algum tempo com esses açorianos, nos abriu a mente sobre a grandiosidade, as diferenças e as riquezas desse arquipélago. Também nos trouxe uma noção melhor sobre os deslocamentos entre cada uma das 9 ilhas e as suas particularidades ao longo de todo o ano.

O Hugo, da Picos de Aventura, tem verdadeira paixão pelo ecoturismo. Ele leva os viajantes em caminhadas, percursos de bicicleta e atividades aquáticas no oceano e nas lagoas. Ter a companhia de alguém que sabe onde estão as melhores experiências, cantinhos e as mais bonitas paisagens – pois faz aquilo todos os dias – não tem preço.

Flávia, eu e o Rafa com o Hugo, instrutor e guia na Picos de Aventura

Lembro ainda de, assim que nós entramos no carro, o Jorge Dias, da Keep Walking Azores, que conhece profundamente os Açores e é um guia super experiente, ter nos contado que Santa Maria – seu local de nascimento – é a ilha mais ensolarada do arquipélago. Isso faz dela menos úmida, claro, e tal peculiaridade também a transforma sua paisagem em única. São três horas de ferry a partir da Ilha de São Miguel (atenção, pois esse percurso é sazonal), pois elas ficam no mesmo grupo – o Oriental. Uma boa opção de visita, principalmente nos meses de verão.

Os Açores precisam ser absorvidos lentamente, vai por mim (usando o bordão do Ricardo Freire, do VNV rs.). Não, não dá para fazer todas ilhas em uma semana. Escolha o seu percurso com calma e lembre-se que São Pedro é doidão por lá rs. Por isso, para conseguir ver as paisagens cinematográficas açorianas é preciso tempo. Se você puder ter a companhia de um guia local na sua viagem, melhor ♥

Tour guiado nos açores lagoa do canário

Quem disse que somente o sol rende fotos cinematográficas nos Açores?

A série de reportagens #AçoresParaBrasileiros foi idealizada pelos blogs Cultuga e Almost Locals. A nossa visita à Ilha de São Miguel, nos Açores, contou com o apoio do VisitAzores, que organizou nosso roteiro; do Hotel VIP Executive Azores (Ponta Delgada), onde ficamos hospedados; da Autatlantis, que nos cedeu o carro durante nossa estadia na ilha, e da SATA – AzoresAirlines, que nos ofereceu os voos de Lisboa a Ponta Delgada e de Ponta Delgada a Lisboa.

Organize aqui a sua viagem para os Açores

icon-saude

Faça o Seguro Viagem com a Real Seguro Viagem em 6x sem juros

icon-carroVeja os melhores preços para alugar um carro na Rental Cars

icon-hotel

Reserve o seu hotel nos Açores pelo Booking, com opção de cancelamento gratuito

Serviços do Cultuga

icon-tour

Deseja ter a nossa companhia durante a sua visita a Lisboa? Faça um tour conosco

icon-consultoria

Apaixone-se por Portugal com a nossa consultoria de viagem

icon-foto

Leve um suvenir diferente da sua viagem: faça um ensaio fotográfico

Veja também o índice de artigos do Cultuga para ajudar no planejamento do seu roteiro com muitas dicas, sugestões de rota e outras informações sobre Portugal e ilhas portuguesas ?

Compartilhe.

Sobre o autor

Priscila Roque

Sou jornalista especializada em cultura e fotógrafa. Foi preciso passar dos 30 anos para assumir que Lisboa é, realmente, o meu lugar no mundo. Mas a paixão por Portugal começou bem mais cedo, ainda na adolescência, quando descobri alguns músicos locais. Os meus pais são portugueses imigrados no Brasil. Depois de fazer o caminho inverso deles, trocando São Paulo por Lisboa, quero agora, com o Cultuga, diminuir a distância que separa o Brasil de Portugal.

Deixe um comentário