Natal em Portugal: os costumes inusitados e os nomes curiosos

PORTUGAL NA PANDEMIA: eventos podem ser adiados ou cancelados; atrações e estabelecimentos podem funcionar sob horário e regime especiais. Acompanhe aqui as atualizações da Covid-19

Envie este artigo para alguém que você gosta!

A época de Natal é muito importante para os portugueses. Há diversos costumes do Natal em Portugal que são bastante expressivos – seja para dividir com a família, seja para conviver em comunidade. Eles variam a cada região.

Neste artigo, selecionamos algumas das tradições do Natal em Portugal que são mais inusitadas, sobretudo por levarem nomes menos convencionais e mais engraçados que você vai gostar de conhecer!

Natal em Portugal: os costumes inusitados e os nomes curiosos

Roupa Velha

Natal em Portugal: Roupa Velha

Roupa Velha: veja como fazer esta receita de Natal no canal do Pingo Doce

No Norte de Portugal, há famílias que têm como costume comer as sobras do bacalhau cozido da ceia de Natal no almoço do dia 25 de dezembro.

Essas sobras são desfiadas de forma mais grosseira, em lascas, e usadas para preparar um novo prato – chamado de Roupa Velha. Ele pode ser servido, inclusive, junto de outros pratos de carne, como o cabrito assado.

A Roupa Velha leva o bacalhau cozido da véspera, batata cozida, couve cozida e ovos cozidos, todos picadinhos e refogados com alho e muito azeite!

LEIA TAMBÉM: Receitas portuguesas para você fazer em casa

Bananeiro

Natal em Portugal: Bananeiro de Braga

Do lado esquerdo, a multidão em frente a Casa das Bananas, em Braga, na noite do dia 24 de dezembro. Do lado direito, a tradicional garrafa de Moscatel e a banana para acompanhar (fotos: Facebook Bananeiro Braga)

Uma das tradições mais inusitadas de Portugal no Natal é o Bananeiro de Braga.

Na noite do dia 24 de dezembro, assim que começa a escurecer, muitos moradores da cidade de Braga vão até a Casa das Bananas, que fica na Rua do Souto, no centro histórico, para conviver, beber Moscatel de Setúbal e comer uma banana.

A casa já oferecia bananas aos clientes para acompanhar o Moscatel porque, além de combinarem bem em sabores, era uma forma de não jogar fora as bananas maduras que eram vendidas por lá.

Mas a tradição do Natal começou principalmente com os emigrantes de Braga que iam nesta época do ano visitar as suas famílias – desde a década de 1970. Assim, acabavam por passar na Casa das Bananas para beber um Moscatel e rever os amigos.

Ano a ano, foram juntando cada vez mais pessoas, também lojistas e moradores da cidade, que hoje ultrapassam os limites do estabelecimento e enchem a rua – tornando esse hábito de Natal um dos mais famosos de Portugal.

LEIA TAMBÉM: Dicas para passar o Natal no Porto

O Menino Mija?

Natal em Portugal: O Menino Mija?

“O Menino Mija?” – a tradição do Natal nos Açores hoje dá nome também a um licor desta época do ano

O nome é divertido e se refere a uma tradição da época natalina no arquipélago dos Açores.

Um grupo se reúne para visitar conhecidos (é praticamente uma peregrinação que acontece desde a véspera do Natal até o Dia de Reis). Ao chegar na casa de um amigo ou familiar, o grupo pergunta:

“O menino mija?”

É como uma senha para entrar e conviver, além de saborear doces e licores tradicionais, muitas vezes já postos à mesa ou disponíveis em casa.

Há até aqueles anfitriões que adiantam o convite e dizem aos amigos que “hoje o menino mija cá em casa”.

Por conta da tradição, uma fábrica da Ilha de São Miguel acabou até por criar um licor que leva o mesmo nome especialmente para ser consumido nessa época do ano.

LEIA TAMBÉM: 10 produtos típicos dos Açores para levar para o Brasil

Queima do Madeiro

Natal em Portugal: Queima do Madeiro

O tradicional Madeiro de Penamacor (Foto: Visit Portugal)

Na madrugada no Natal, do dia 24 para 25 de dezembro, diversas vilas e aldeias do interior de Portugal fazem grandes fogueiras geralmente iniciadas após a Missa do Galo, no centro da cidade ou junto a igreja, para “aquecer o Menino Jesus”.

Este encontro da população é chamado de queima do Madeiro.

A queima completa dessa fogueira pode demorar de 3 a 4 dias e serve como ponto de encontro para o convívio das pessoas, com música e boa conversa, enquanto comem e bebem.

A recolha e o transporte da madeira para essa fogueira também faz parte de um ritual que une população dias antes.

O mais famoso Madeiro de Portugal é feito na vila de Penamacor, no centro do país. Entretanto, este começa um pouco mais cedo, em 23 de dezembro, e mantém-se aceso por vários dias.

LEIA TAMBÉM: Dicas para passar o Natal em Lisboa

Magusto da Velha

Natal em Portugal: Magusto da Velha

Magusto da Velha na Aldeia Viçosa: “chove” castanhas do topo da Igreja Matriz (foto: Município da Guarda)

Na Aldeia Viçosa, que fica na Serra da Estrela, há uma tradição chamada de Magusto da Velha.

No dia seguinte ao Natal, a população relembra uma história do século XVII, em que uma senhora de posses teria oferecido aos habitantes castanhas e vinhos – para que ao menos pudessem saboreá-los uma vez no ano.

Portanto, em 26 de dezembro, ao lado da grande fogueira (o Madeiro) faz-se uma grande festa.

Cerca de 150kg são lançadas da Torre Sineira da Igreja Matriz. Ou seja, “chove” castanhas para a população, que as come junto com o vinho novo servido para lembrar esta senhora – a velha – que não se sabe o nome.

Somente como curiosidade, “magusto” é o nome que se dá aos festejos que acontecem durante o outono e inverno (e não necessariamente ligados ao Natal) para celebrar a colheita das castanhas e a produção do vinho novo – isso acontece um pouco por todo o país.

LEIA TAMBÉM: Como aproveitar a neve da Serra da Estrela

Fritos de Natal

O Natal em Portugal acontece durante o inverno. Assim, é comum que na ceia e no almoço de Natal a mesa esteja repleta de comidas e doces mais pesados – adequados a temperatura.

Uma dessas tradições são os fritos de Natal!

LEIA TAMBÉM: Conheça mais doces de Natal típicos de Portugal

São massas fritas e adocicadas, algumas também podem levar recheio.

Um dos doces mais tradicionais do Natal em Portugal é o sonho.

Diferente do Brasil, o sonho de Natal tem a aparência de um bolinho de chuva, leve e fofo, polvilhado com açúcar, mas podem ser de abóbora, cenoura ou laranja.

doces-portugueses-de-natal-sonho

Sonho: um dos doces típicos do Natal em Portugal

Há também os filhós, que são mais compactos e consistentes, ou as azevias, que levam como recheio batata doce, abóbora ou grão de bico.

doces portugueses de natal

Filhós da histórica Pastelaria Versailles, em Lisboa

doces-portugueses-de-natal-azevinhas

Azevia

Um outro frito de Natal bastante popular é o coscorão. A aparência dele lembra até a massa de pastel do Brasil, mas não leva recheio e depois de pronto ele é polvilhado com açúcar e canela.

doces-portugueses-de-natal-coscoroes

Coscorão

Ah, e a rabanada também se inclui nessa lista de fritos de Natal típicos de Portugal!

doces-portugueses-de-natal-rabanada

Rabanada


Envie este artigo para alguém que você gosta!

Este conteúdo foi útil para você? ❤

Estamos há 10 anos produzindo conteúdo autêntico sobre a cultura portuguesa e o turismo cultural e criativo de Portugal de forma independente. Você se identifica com essa proposta?

 Acompanhe o nosso canal no YouTube

Colabore via PayPal para continuarmos ativos

Conheça nossas experiências para quem viaja a Portugal

Viaje a Portugal com segurança ✈

icon-saude

SEGURO SAÚDE E VIAGEM
Faça o seu seguro para Portugal na Real Seguro Viagem com este link do Cultuga e ganhe 10% de desconto!

icon-carro

ALUGUEL DE CARRO
Viajar de carro é uma ótima opção para se aproximar da natureza e fazer um roteiro ao seu ritmo. Na RentalCars você recebe o orçamento de aluguel de carro das empresas mais conhecidas de Portugal.

icon-hotel

HOTÉIS E APARTAMENTOS
Encontre hotéis no Booking focados na higienização de seus espaços e evite surpresas frente a imprevistos com a opção de cancelamento gratuito!

TRANSFERS EM PORTUGAL
Conheça o Vinícius e sua equipe! Eles terão enorme carinho em receber você em segurança e tranquilidade no aeroporto.

Sobre o autor

Priscila Roque

Sou jornalista especializada em cultura e fotógrafa. Tenho Lisboa como o meu lugar no mundo, o meu refúgio, a minha casa. Mas é também em Portugal, este país vivo e com tanto para contar, que me sinto completa. Os meus pais são portugueses imigrados no Brasil. Depois de fazer o caminho inverso deles, trocando São Paulo por Lisboa, assumi como missão do Cultuga diminuir a distância que separa o Brasil de Portugal.

Deixe um comentário