Castelo dos Mouros: como visitar esse monumento de Sintra

Envie este artigo para alguém que você gosta!

Do alto de suas muralhas é possível ter uma vista impressionante. É preciso bastante disposição para visitar o Castelo dos Mouros, em Sintra. Porém, com tantas inspirações históricas e naturais espalhada por lá, difícil é não encontrar energia!

Castelo dos Mouros: como visitar esse monumento de Sintra

O Castelo dos Mouros é um dos monumentos mais importantes e emblemáticos da Vila de Sintra. Além dele, há outras opções de belíssimos palácios para visitar. Veja aqui o nosso guia completo sobre o colorido Palácio da Pena e também um roteiro mais leve para fugir das filas em Sintra.

Castelo dos Mouros, Sintra

Vista para o Castelo dos Mouros a partir do Palácio da Pena

Como chegar a Sintra e ao Castelo dos Mouros

Uma escolha clássica no roteiro de quem viaja a Portugal pela primeira vez é incluir uma passada na vila de Sintra. E com razão. É, sem dúvidas, um dos locais mais bonitos do país.

Sintra está localizada nos arredores de Lisboa e é um dos destinos que você pode fazer facilmente em bate-volta de transporte público, por exemplo.

A viagem demora, em média, 45 minutos e é feita de trem a partir da estação do Rossio (com ligação ao metrô Restauradores) ou da estação Oriente.

Ao desembarcar em Sintra, utilize o ônibus 434. Ele que sai da própria estação de trem e te leva até o Castelo dos Mouros. É com esse mesmo transporte que você também poderá conhecer o centro histórico, o Palácio Nacional e o Palácio da Pena.

Desde o dia 9 de dezembro de 2019, não é mais permitida a circulação de veículos que não sejam autorizados pela Câmara Municipal de Sintra na Calçada da Pena. Isso significa que o viajante que segue de carro alugado terá que estacionar no centro da vila (há diversos estacionamentos municipais – veja aqui) e seguir de ônibus, transfer ou táxi até o Castelo dos Mouros e/ ou o Palácio da Pena.

Entenda a diferença entre Castelo e Palácio em Portugal

Essa é uma dúvida comum entre os viajantes que visitam Portugal. Há quem diga que ama conhecer castelos – quando, na verdade, o que realmente gosta são os palácios. Mas por que essa confusão acontece?

Conversando com diversos amigos sobre isso, percebi que o nome dado a esses dois tipos de construção em outras línguas é que acaba por confundir as pessoas na hora da tradução.

Os castelos em Portugal se referem a uma construção de defesa, fortificada, que até pode ter sido usada em algum momento como residência, mas que sua principal função foi a de proteção e vigia na Idade Média.

Você logo vai perceber a diferença, pois todos eles ficam no alto, possuem muralhas e a visita não inclui salões fechados ou mobiliários, mas sim estruturas com torres e fosso, por exemplo.

Veja aqui castelos de Portugal incríveis que você poderá visitar!

Entrando no Castelo dos Mouros, em Sintra

Para ter acesso ao Castelo dos Mouros, você poderá comprar antecipadamente o seu ingresso pela Internet ou então diretamente na bilheteria, no dia do passeio.

Para chegar até muralhas do Castelo dos Mouros é preciso encarar uma longa caminhada entre espécies botânicas raras e pequenos animais. Então, dê preferência para fazer esse passeio com sapatos confortáveis.

O acesso para as cinco torres, sinalizadas com bandeiras portuguesas, são feitas a partir de rampas e escadarias.

A chamada Torre Real (a mais alta do terreno), por exemplo, pode ser descoberta após uma subida de 500 degraus!

Vale buscar também pela Igreja de São Pedro e pela necrópole medieval escondidas nas curvas do Castelo dos Mouros.

Para um passeio calmo e bem aproveitado, leve também um lanchinho e uma garrafa de água na mochila. Na entrada, há uma pequena lanchonete. Entretanto, esteja prevenido.

Visitar o Castelo dos Mouros, em Sintra

História do Castelo dos Mouros

Pouco se sabe sobre a sua etapa inicial de construção. Os primeiros documentos apontam para a plena ocupação de muçulmanos no século X.

Contrário do que muita gente pensa, não há indícios de uma grande batalha por lá. O que aconteceu, ao longo da história, foi o revezamento da ocupação entre muçulmanos e cristãos.

Entretanto, quando o primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques, conquista a cidade de Lisboa em 1147, o Castelo dos Mouros acaba por ser também entregue definitivamente dos mouros aos cristãos.

Nesta época, o Castelo dos Mouros tinha como principal função servir para a vigilância de Lisboa e seus arredores.

Com o avanço da reconquista do território português, o local perdeu importância estratégica e foi abandonado. As ruínas do tempo se intensificaram com o famoso terremoto de 1755.

O Castelo dos Mouros, então, foi restaurado no século XIX por D. Fernando II de Portugal (o mesmo do Palácio da Pena e marido da rainha D. Maria II). Ele era um homem culto e inspirado pelo Romantismo. Construir em meio a natureza mais selvagem e sobre ruínas era um de seus gostos.

Portanto, é desde essa fase que o Castelo dos Mouros se mantém como o que podemos ver hoje.

Visitar o Castelo dos Mouros, em Sintra

Serviço

Castelo dos Mouros – Sintra
Horário: funciona todos os dias, das 10h às 18h (26 outubro – 28 fevereiro) e das 09h30 às 20h (01 março – 25 outubro) – fecha dias 25 de dezembro e 1 de janeiro
Preço: variável de acordo com a época do ano. Compre o ingresso antecipadamente pela Internet para entrar sem filas.

 

Deseja saber mais sobre os Castelos de Portugal? Veja também a nossa live sobre o assunto:


Envie este artigo para alguém que você gosta!

Viaje a Portugal com segurança

icon-saude

SEGURO SAÚDE E VIAGEM
Faça o seu seguro para Portugal na Real Seguro Viagem com este link do Cultuga e ganhe 10% de desconto!

icon-carro

ALUGUEL DE CARRO
Viajar de carro é uma ótima opção para se aproximar da natureza e fazer um roteiro ao seu ritmo. Na RentalCars você recebe o orçamento de aluguel de carro das empresas mais conhecidas de Portugal.

icon-hotel

HOTÉIS E APARTAMENTOS
Encontre hotéis no Booking focados na higienização de seus espaços e evite surpresas frente a imprevistos com a opção de cancelamento gratuito!

O Cultuga precisa do seu apoio para permanecer ativo!

Estamos há 10 anos no ar produzindo conteúdo autêntico sobre a cultura portuguesa para viajantes brasileiros e apaixonados por Portugal. Frente a pandemia, precisamos da sua parceria para que esse trabalho continue sendo feito e esteja disponível a todos.

Veja de que forma que você pode colaborar com o Cultuga:

 Conheça o nosso clube de membros do Apoia-se

Participe das nossas lives sobre cultura portuguesa aos domingos no YouTube

Leu um artigo que foi útil para você? Compartilhe-o com alguém que você gosta, no seu grupo de amigos ou nas redes sociais!

Siga o Cultuga no Instagram, no Facebook e no YouTube

Conheça os serviços que nós promovemos para quem viaja por Portugal

Agradecemos o seu carinho e suporte!

Apoie o Cultuga

Sobre o autor

Priscila Roque

Sou jornalista especializada em cultura e fotógrafa. Foi preciso passar dos 30 anos para assumir que Lisboa é, realmente, o meu lugar no mundo. Mas a paixão por Portugal começou bem mais cedo, ainda na adolescência, quando descobri alguns músicos locais. Os meus pais são portugueses imigrados no Brasil. Depois de fazer o caminho inverso deles, trocando São Paulo por Lisboa, quero agora, com o Cultuga, diminuir a distância que separa o Brasil de Portugal.

2 Comentários

  1. Avatar

    Oi Priscila! Gosto muitos do seu site. Tenho algumas dúvidas sobre esse passeio:
    1) É possível chegar de carro alugado do Palácio da Pena até o Castelo e ainda estacionar?
    2) Qto tempo leva aproximadamente para chegar do local onde possa estacionar até o Castelo?
    3) Qto tempo reservo pra visitar o Castelo?
    Obrigada desde já,
    Silvia

    • Rafael Boro

      Olá, Silvia
      Tudo bem?
      Ficamos felizes que tenha gostado do Cultuga! :)

      A distância entre as bilheterias do Palácio e do Castelo é de menos de 1km (de carro ou andando). Os estacionamentos não ficam ao lado das entradas. Há placas indicando. Entretanto, são poucas vagas. Por isso, é melhor estacionar no Palácio da Pena e seguir a pé até o Castelo. Os jardins de ambas as atrações são bem grandes, então é melhor deixar, no mínimo, duas horas para cada lugar. ;)

      Um abraço e boa viagem!

Deixe um comentário