Seu guia de viagem em Portugal | 14 anos no ar

    Lisboa está na rota mundial das cidades para ver street art. Há obras muito interessantes e bonitas espalhadas por diversos bairros e foram feitas por artistas do mundo inteiro.

    Neste artigo da série “Para Ver em Lisboa”, disponível também em vídeo, vamos te mostrar 5 obras de street art em Lisboa que mais gostamos e que, certamente, vão chamar a sua atenção!

    1. Lince Ibérico
    Bordalo II

    Street Art Lisboa Bordalo II Street Art Lisboa Bordalo II Street Art Lisboa Bordalo II Street Art Lisboa Bordalo II

    Andando pelo moderno bairro do Parque das Nações, em Lisboa, encontramos um Lince Ibérico gigante do artista Bordalo II, uma escultura permanente que chama atenção imediatamente por sua beleza e grandiosidade.

    O lisboeta Bordalo II é conhecido por fazer obras reutilizando pedaços de plástico que seriam descartados. Com esse material, ele cria enormes animais coloridos por todo o mundo e que não deixam ninguém indiferente.

    Especialmente nesta obra, a gente também pode tocar e interagir. Daqui saem dezenas de fotos todos os dias, claro. Mas, para além do lúdico, essa arte urbana nos faz pensar e refletir sobre a produção de lixo rápido, que acaba por prejudicar todas as espécies.

    Endereço: Rossio dos Olivais, no Parque das Nações (Estação de Metro Oriente, Linha Vermelha)


    2. Calçada Amália
    Vhils

    Street Art Lisboa Vhils Street Art Lisboa Vhils Street Art Lisboa Vhils Street Art Lisboa Vhils

    A rainha do Fado, Amália Rodrigues, está eternizada na calçada portuguesa – uma obra do artista Vhils com os calceteiros de Lisboa. Em um pedacinho do tradicional bairro de Alfama vemos essa união de talentos de Lisboa incrustado na parede.

    Pelo posicionamento da obra, é como se tivesse vindo uma onda e revelado um dos símbolos do bairro, que é o Fado.

    O projeto foi idealizado pelo cineasta Ruben Alves e pelo artista urbano Vhils. O objetivo foi homenagear a Amália Rodrigues, o Fado e os responsáveis por perpetuar uma das técnicas mais antigas de arte pública da cidade, que são os calceteiros de Lisboa.

    O rosto foi feito a partir da minuciosa técnica da calçada portuguesa e o resultado pode ser visto aqui e também na capa do disco “As Vozes do Fado”, de 2015.

    Endereço: Calçada do Menino de Deus, em Alfama (Elétrico 28, parada Rua Escolas Gerais)

    Veja também: 5 miradouros em Lisboa com vistas de tirar o fôlego


    3. Mercearia
    Mariana Duarte Santos

    Street Art Lisboa Mariana Duarte Santos Street Art Lisboa Mariana Duarte Santos Street Art Lisboa Mariana Duarte Santos Street Art Lisboa Mariana Duarte Santos

    O mural da artista Mariana Duarte Santos transporta a gente para dentro de uma antiga mercearia típica de Lisboa.

    É bem perto do centro histórico de Lisboa que está esse mural todo pintado a mão e que, em poucos segundos, nos faz viajar no tempo.

    A artista portuguesa Mariana Duarte Santos usou como referência uma fotografia da década de 1950, do Arquivo Fotográfico da Câmara Municipal de Lisboa.

    Nessa região existiam diversos comércios como esse e que davam suporte a freguesia daqui. Agora, a pintura dessa mercearia bem típica encanta os viajantes e faz os moradores relembrarem bonitos momentos do passado.

    Endereço: Rua Nova do Desterro, no Intendente (Estação de Metro Intendente, Linha Verde)


    4. Mural de Azulejos
    André Saraiva

    Street Art Lisboa Andre Saraiva Street Art Lisboa Andre Saraiva Street Art Lisboa Andre Saraiva Street Art Lisboa Andre Saraiva

    Na fotografia não é possível perceber a dimensão dessa obra. Mais de 50 mil azulejos formam essa street art impressionante do artista André Saraiva.

    O azulejo é um revestimento que começou a ser produzido em Portugal há mais de 450 anos e, desde então, nunca saiu de moda.

    Neste painel, estamos diante de uma das formas mais modernas do uso do azulejo em Lisboa, que é o suporte a uma imensa obra de arte urbana do século 21.

    O artista André Saraiva reproduziu uma série de símbolos de Lisboa e de outros lugares do mundo importantes para ele neste mural. Tudo pintado a mão nesses quase 200 metros de comprimento de azulejos.

    Vemos também o Mr. A em diversas partes do mural, o personagem que se tornou a assinatura do artista desde a década de 1990.

    Endereço: Jardim Botto Machado, junto ao Campo de Santa Clara (Estação de Metro Santa Apolónia, Linha Azul)


    5. Adapta
    Add Fuel

    Street Art Lisboa Add Fuel Street Art Lisboa Add Fuel

    Há séculos que o azulejo é um símbolo de Portugal, como já disse por aqui. E o artista Add Fuel reinterpreta esse símbolo de uma forma muito autêntica.

    Por entre as ruas do tradicional bairro da Graça está esse enorme painel feito durante a época mais grave da pandemia de Covid-19.

    O mural se chama Adapta e mostra a própria adaptação da obra ao espaço disponível deste edifício. As cores combinam com o que já existia por aqui, com os tons de verde e azul.

    Há ainda a reinterpretação do artista Add Fuel aos azulejos da fachada, quando o painel faz a continuação desse revestimento, mas sob um olhar mais moderno. Ele partiu do padrão dos azulejos originais para criar os seus e, assim, aproximar as obras.

    Para o Add Fuel, esse trabalho é sobre “a forma como cada um de nós, na tentativa de continuar a ser feliz no meio da adversidade e do desconhecido, se adapta“.

    Endereço: Rua da Nossa Senhora da Glória, 79, na Graça (Elétrico 28, parada Rua da Graça)


    Street Art em Lisboa
    em vídeo

    E aí, qual dessas obras de street art em Lisboa você mais se identificou ou ficou com vontade de conhecer? Conta pra gente aqui nos comentários!

    E para ter Portugal mais perto de você, acompanhe os nossos artigos aqui no blog e também os nossos vídeos no canal do Cultuga no YouTube!

    Viaje a Portugal com tudo organizado
    ver disponibilidade

    Sou jornalista, luso-brasileiro, tenho 40 anos e gosto de apreciar a gastronomia portuguesa. Lisboa me trouxe um time de futebol do coração, o Sporting, mesmo tendo o tênis como o meu principal esporte. Troco fácil os transportes públicos por uma longa caminhada. Na minha playlist de música portuguesa não falta David Fonseca, Moonspell e Tiago Bettencourt.

    Deixe um comentário